Agora são: horas e minutos - Agradeço sua presença e volte sempre

Seguir

AUDIO

quarta-feira, 25 de julho de 2018

Oito dicas diárias para ter “Atenção Plena” e viver no “Agora”, com mais consciência

Como é possível para pessoas do século 21 que NÃO vivem em mosteiros em locais isolados para incorporar práticas de atenção plena e viver presentes no AGORA em suas vidas? A atenção plena é mesmo compatível com nossos estilos de vida ocupados e agitados? No entanto, eu aprendi rapidamente que a atenção plena não consiste em criar um estado de calma permanente em nossos ambientes, mas é, em vez disso, acessar o campo da infinita calma existente dentro de nós mesmos.
Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch
A ATENÇÃO PLENA TEM SIDO COMPROVADA PARA ACALMAR ESPIRITUAL E CIENTIFICAMENTE A MENTE, SOLTAR O CORPO E AUMENTAR O BEM-ESTAR GERAL E UMA BOA SAÚDE.
Por Aletheia Luna – Fonte: https://lonerwolf.com/mindfulness-practices/
OITO DICAS DIÁRIAS PARA DESENVOLVER ATENÇÃO PLENA COMO UM MESTRE ZEN
No entanto, quando se trata de praticar a atenção plena, muitos de nós rapidamente ficamos entediados, distraídos ou frustrados. E, eventualmente, a atenção plena é um conceito que rapidamente é empurrado em algum lugar em nossa lista mental para “fazer”.
Como é possível para pessoas do século 21 que NÃO vivem em mosteiros em locais isolados para incorporar práticas de atenção plena em suas vidas? A atenção plena é mesmo compatível com nossos estilos de vida ocupados e agitados?
ESTADO DE CALMA PERMANENTE … É POSSÍVEL?
A noção de calma permanente é irresistível para nós humanos. Na verdade, eu fui originalmente atraída para desenvolver atenção total com essa promessa de viver em uma espécie de “utopia” diária. No entanto, aprendi rapidamente que a atenção plena não consiste em criar um estado de calma permanente em nossos ambientes, mas é, em vez disso, acessar o campo da infinita calma dentro de nós mesmos.
A realidade é que nossos ambientes, emoções e até os nossos pensamentos não podem ser “controlados” porque tudo ocorre espontânea e simultaneamente. Você já parou para realmente perguntar de onde seus pensamentos e emoções e sentimentos subseqüentes surgem? Se você tiver feito isto, você descobriu que os pensamentos aparecem do nada na sua mente, e tão rapidamente como surgiram desaparecem em um nada depois de acionar vários gatilhos emocionais.
Foi voce que fez esse pensamento surgir? Você pensou: “Agora vou pensar sobre isso, então sobre aquilo, …”? Mesmo se você decidir pensar de uma certa maneira (como pensamentos positivos), você controlou de onde surgiu aquele desejo de pensar positivamente? Você controlou as circunstâncias que levaram a esse desejo, ou as pessoas que você conheceu? Não, claro que não!
Para entender verdadeiramente que nossos pensamentos, que acionam emoções e sentimentos são impessoais (nada a ver conosco) é uma revelação divinamente chocante. Para eu descobrir que eu não estava no controle de meus pensamentos e sentimentos era e ainda é muito libertador. Então … se os pensamentos e as consequentes emoções e sentimentos que eles desencadeiam são completamente impessoais (como não, nós não os possuímos), então, como eles podem ser “nossos”?
A atenção plena revela-nos que o sofrimento emocional que experimentamos na vida ocorre quando aceitamos que esses pensamentos e sentimentos são nossos. Em outras palavras, sentimos ansiedade, depressão, medo, angústia, culpa, raiva, etc, quando nos identificamos com as emoções geradas pelos pensamentos como sendo “nossos” e não das divagações da nossa mente inferior.
Isso é difícil de entender? Eu sei que pode ser difícil, e até mesmo inacreditável de se processar, mas não estou pedindo que você acredite em qualquer coisa que eu diga aqui. Você pode experimentá-lo por si mesmo. Tudo o que você precisa fazer é sentar-se por alguns minutos, permitir-se observar o fluxo interminável de pensamentos em sua mente (como se voce fosse apenas um observador) e explorar de onde eles vêm. Pergunte a si mesmo, “de onde vem esse pensamento?”
É tão difícil para nós extrair-nos do emaranhado de nossos pensamentos e das emoções que eles acionam, porque nos ensinaram desde o nosso nascimento a nos identificarmos com eles. Então, o que eu escrevo pode parecer confuso – mas isso é inevitavelmente o produto de acreditarmos em algo ilusório por tanto tempo! Como um peixe que não sabe que está nadando no oceano, nosso condicionamento faz com que adotemos uma percepção míope da vida e do nosso ser.
Reconhecer que a natureza fugaz dos nossos pensamentos, emoções e sentimentos realmente não tem nada a ver conosco abre  a porta estreita. Esta porta (ou o caminho do meio) nos ajuda a descobrir o que nunca muda dentro de nós: o que é imutável, eterno, o nível onde esta a paz, o silêncio, que é o nível de existência da nossa Alma, o nosso EU REAL.
Este campo de consciência onde esta reside a calma, o silêncio, a bem aventurança, existe subjacente aos nossos pensamentos, e é pré-existente ao nosso senso atual de quem somos como personalidade humana. Nascemos com este campo da calma antes de desenvolvermos qualquer conceito de “eu”,  do “EGO” temporário de nossa personalidade humana ter sido enraizado em nós, pelas INFLUÊNCIAS do meio ambiente, da cultura e da nossa família, e nós carregamos essa calma conosco em todos os lugares e em cada momento de nossas vidas.
OITO PRÁTICAS SIMPLES PARA DESENVOLVER A ATENÇÃO PLENA
A melhor maneira de se reconectar com esse campo de paz dentro de você, também conhecido como “a testemunha”, é através da incorporação de práticas conscientes em sua vida.
As práticas de atenção plena só serão efetivas se forem levadas a sério como tudo o mais que voce perceba TER IMPORTÂNCIA. Para dizer sem rodeios, você deve praticar como se o seu traseiro estivesse em chamas! Tem que haver atitude, entusiasmo e dedicação direcionados para o desenvolvimento da atenção plena, caso contrário você perderá rapidamente o interesse. Uma prática leve e meticulosa só leva ao desapontamento.
Outro aspecto vital a ser ciente é que a atenção plena não é sobre a realização de algum estado especial, ou utopia perfeita. Como já indiquei; isso simplesmente não existe. Em vez disso, a atenção plena é simplesmente se tornar consciente de tudo o que está acontecendo no momento, no agora, seja essa uma sensação física, um som, um pensamento, um cheiro, e principalmente as emoções. Seria sábio perguntar e perceber QUEM fica zangado, com raiva, ferido e sente medo, etc.
A atenção plena desenvolvida vai permitir que as coisas sejam exatamente o que elas são no momento, no seu agora, seja um sentimento de solidão, uma sensação de medo no estômago, ouvir um gotejamento da torneira, um ladrar do cachorro, ter a necessidade de gritar, a necessidade de chorar, a necessidade de rir, o desejo de comida, e assim por diante. Adoro viver no agora e com minha atenção plenamente consciente, pois significa estar em paz e deixar de ser escravo de suas emoções. E espero que você tire muito dessas práticas:

1. FAÇA TUDO LENTAMENTE

Conscientemente desacelere tudo (“tempo é dinheiro” é uma afirmação para quem vive preso em uma armadilha). Caminhe devagar, beba lentamente, sente-se devagar, respire devagar, fale lentamente, mova o corpo lentamente – pratique a diminuição da sua tendência natural de apressar tudo.
A reação imediata a esta prática geralmente é: “Eu não posso fazer isso! Eu tenho prazos para cumprir etc., etc. “Mas quando você aprende a ir devagar, você reconhecerá quantas coisas você faz e se envolve durante os seus dias que você realmente não precisa fazer. Como resultado, você aprenderá a se concentrar apenas no que você realmente precisa fazer e se tornará muito mais eficiente.
Você também pode escolher uma ação para fazer lentamente, como andar ou respirar. Permita-se conectar-se completamente com os movimentos da lentidão e o quão difícil é, em primeiro lugar, adaptar-se a esse novo ritmo. Em breve, com a prática, o próprio movimento se tornará um gatilho para se tornar consciente e presente. Lembre de que o ritmo natural de tudo que é criado em nosso planeta tem seu tempo. A natureza NÃO TEM PRESSA e no entanto cria e ordena tudo da melhor forma possível.

2. PERCEBA A  SUA RESPIRAÇÃO

Quantas vezes você tentou respirar devagar, apenas para encontrar-se ficando atordoado ou em pânico? Eu sei que quando estou me sentindo estressada, a pior coisa que eu faço é tentar  controlar minha respiração. Em vez de me sentir relaxado, sinto-me mais nervosa e sufocada.
A melhor alternativa para controlar sua respiração é testemunhar isso. Para testemunhar a própria respiração, você deve conscientemente parar no momento presente e simplesmente observar como a sua respiração está sendo.
Por exemplo, se você estiver respirando superficialmente de sua parte superior do tórax, simplesmente testemunhe e permita que essa respiração aconteça. Em breve, o próprio ato de testemunhar e permitir vai acalmá-lo, dando-lhe o espaço para aprofundar a sua respiração, se desejar. Talvez sua respiração possa ser rápida e irregular, ou neutra e profunda – apenas permitam.

3. SINTA O SEU CORPO INTERNO

Esta técnica foi inspirada por Eckhart Tolle em seu livro ” A New Earth “, onde ele menciona a energia sutil dentro de nós que ele chama de “corpo interno”.
Para sentir o seu corpo interno, basta chamar a atenção para uma área do seu corpo, como a mão, o pé, o peito ou a cabeça. Permita-se sentir a energia da força da vida em uma área específica. Por exemplo, deixe sua atenção se instalar completamente em sua mão. Como é que o corpo interno se sente ali? É pesado, sensível, quente, zumbido?
Eventualmente, você pode conscientizar outras áreas do seu corpo até que você possa sentir completamente o corpo interno. Com a prática, você poderá tomar conhecimento do corpo interno mesmo enquanto conversa com os outros. Esta prática de atenção plena também permite que você afrouxe sua identificação com seu corpofísico, tornando-se uma boa ferramenta de despertar.

4. DEIXE O ATO DE SE ALIMENTAR TORNAR-SE UMA SINFONIA DE SABORES E TEXTURAS

Tome o hábito de usar o alimento como uma âncora de atenção plena. Geralmente, sempre que comemos, estamos fazendo algo também. Por exemplo, a maioria de nós come na frente da TV, come enquanto usa nossos CELULARES, come enquanto conversa, come enquanto lê o jornal, come enquanto pensa em algo … etc. Nós raramente estamos completamente presentes quando digerimos os nossos alimentos.
A maioria de nós esqueceu ou desaprendeu como simplesmente SER com a nossa comida. O alimento é feito para se apreciar e para nutrir o corpo, mas a maioria de nós, de forma irrepreensível, age assim, reduzindo-o a uma função puramente prática.
Ansioso para comer como uma experiência intimamente sensorial. Deixe os sabores, as texturas, os aromas e a temperatura do seu alimento desencadear o seu paladar. Quando as distrações surgem (como elas inevitavelmente surgirão), basta levar seu foco e intenção de volta ao experimentar sua comida. Eu escrevi um artigo sobre esse tópico há algum tempo chamado ” Nós comemos, mas não provamos

5. DEDIQUE UM DIA POR SEMANA PARA SE TORNAR ATENTO A CADA UM DOS SEUS CINCO SENTIDOS

Por exemplo, na segunda-feira você poderia prestar atenção ao som na terça-feira; ao tato na quarta-feira; visão na quinta-feira; odores na sexta-feira; paladar no sábado – e faça isso repetidamente.
Você poderia mesmo tentar incorporar outros sentidos, como DESENVOLVER  a sua intuição ou o seu instinto, prestando atenção às sensações físicas que você obtém em certos lugares, situações e, especialmente, no contato com outras pessoas.
Na segunda-feira, por exemplo, você poderia se treinar para se tornar alerta às sensações físicas, como quando você toca alguma coisa, esbarra contra alguém, move seu corpo, anda, senta, digitando no seu computador, etc.
Eventualmente, você começará a se ancorar firmemente no momento presente através de todos os seus sentidos  desenvolverá a sua intuição.

6. PASSE MAIS TEMPO EM MEIO À NATUREZA A CADA DIA

Se você mora em uma cidade, tente passar mais tempo ao ar livre. Viver em casa o dia todo tende a restringir a mente imensamente. Ao sentar-se lá fora, você abre sua mente para experimentar mais expansão. Esta é uma das práticas de prestar atenção e estar mais atento no AGORA mais simples que envolve pouco esforço. Tudo o que você precisa fazer é comprometer-se a sentar-se e assistir o que quer que venha ao seu campo de visão em meio à natureza durante pelo menos meia hora diária.

7. FAÇA UMA MEDITAÇÃO EM MOVIMENTO

Uma das minhas práticas favoritas de atenção plena é a meditação em movimento. A coisa legal sobre esta prática é que você pode incorporá-la em seu regime de exercícios diários. A meditação em movimento é muito simples e extremamente fundamentada. Tudo o que envolve é tomar consciência da sensação do solo sob seus pés, não importa onde voce esteja.
Eu gosto de sentir o ritmo dos meus pés, e o que parece andar em diferentes sapatos, como sapatilhas, flip-flops, sandálias – bem como a textura da terra, seja suave, dura, escorregadia ou difícil. Para praticar a meditação ambulante, permita que seu foco repouse nos movimentos de seus pés. Literalmente, “coloque-se nos seus sapatos”, de seus pés e experimente apenas o que eles estão experimentando.
Lembre-se, nenhuma sensação deve ser “melhor” ou “pior” do que outra (não julgue, apenas OBSERVE). O objetivo da atenção plena é não só viver no momento, mas também tomar consciência dos pensamentos que surgirão em sua mente e deixá-los ir, sem se APEGAR a eles.

8. ORAÇÃO DE GRATIDÃO

Fazer uma oração de agradecimento pelo que você tem todos os dias é uma das práticas de atenção plena das mais transformadoras.
A gratidão só pode existir no momento presente, no agora, portanto, é a ferramenta de atenção perfeita. Quando estamos perdidos em nossos pensamentos, é tão fácil para nós tomar o que pensamos e ceder às emoções e constantemente procurar por mais.
A gratidão nos justifica no aqui e no agora. Se você acredita em Deus, na Vida, no Espírito, na ciência – não importa – faça seus agradecimentos, silenciosamente ou em voz alta, e você se tornará mais presente. Na verdade, o próprio ato de gratidão nos obriga a tomar consciência de todo o bem de que temos e desfrutamos no agora. É um ato de celebrar a VIDA, independente da sua condição no momento, ruim ou boa, com dinheiro ou sem, não importa, voce esta vivo e isto é maravilhoso.
Aqui está uma amostra de uma pequena oração de gratidão,
Obrigado Deus / Vida / Espírito por tudo o que tenho neste presente e eterno momento EU SOU tão agradecido e abençoado. Amém.
A Calma e a Paz já existem Agora, como sendo a sua verdadeira natureza. No entanto, perdemos contato com essa experiência quando tomamos pensamentos e sentimentos pessoalmente, acreditando que eles significem algo sobre nós.
Pensamentos, emoções e sentimentos nunca objetivamente significam nada sobre você: eles simplesmente surgem e caem, vão e vêm. Alguns pensamentos vêm mais do que outros, e outros menos. Mas não controlamos nenhum pensamento ou sentimento, portanto, como eles realmente podem nos definir ou mesmo ser “nossos”?
A atenção plena é a prática de retornar à realidade novamente. Espero que essas oito práticas conscientes possam revolucionar a forma como você vive a sua vida – ou mais corretamente, como a vida vive voce.
Postar um comentário