Agora são: horas e minutos - Agradeço sua presença e volte sempre

Seguir

AUDIO

domingo, 29 de julho de 2018

10 efeitos da legalização da maconha


Por , em 28.07.2018
A legalização da maconha é uma tendência em todo o mundo. Parece que os governos de países de todo o planeta estão percebendo o que a ciência já diz há muito tempo: a maconha é muito menos perigosa do que drogas que já são legalizadas, como o tabaco e o álcool. Porém, uma mudança social deste tamanho tem efeitos positivos e negativos na sociedade, alguns deles bastante imprevisíveis. O site Listverse fez uma lista destes efeitos nos estados americanos que liberaram o uso da droga e os resultados são estes:

10. Acidentes de carro aumentam, mas fatalidades diminuem


Quando você substitui motoristas bêbados por motoristas chapados, os acidentes, aparentemente, se tornam bem mais vagarosos. Legalizar a maconha definitivamente leva a mais pessoas fumando maconha. No Colorado, o consumo adulto de maconha subiu 29% desde que foi legalizado. Mas muitas dessas pessoas estão deixando de beber ou bebendo menos, especialmente antes de dirigir.
A direção embriagada, no estado de Washington, diminuiu quase 33% desde 2007. Por outro lado, motoristas sob o efeito da maconha aumentaram em cerca de 50% (embora seja difícil considerar este dado, porque a maconha permanece na corrente sanguínea por semanas após o desaparecimento dos efeitos).
O que parece estar acontecendo, no entanto, são acidentes de carro muito lentos e muito cuidadosos. Estatisticamente falando, acidentes de carro subiram em lugares que legalizaram maconha, enquanto fatalidades nestes acidentes diminuíram. Não dá para saber o que isso significa, mas é difícil não imaginar motoristas chapados andando bem devagar, batendo uns nos outros a 10 km/h.

9. A polícia resolve mais crimes


Se tem um ponto em que os defensores da cannabis estavam certos é que quando você legaliza a erva, a polícia se concentra nos crimes reais. Em seu primeiro ano com a maconha legal, as acusações de porte de maconha caíram em 98% no estado de Washington. Entre 2000 e 2010, antes da erva ser legalizada, o estado gastou 200 milhões de dólares para aplicar as leis sobre a cannabis, o que significa que a legalização da droga liberou cerca de 196 milhões de dólares em recursos policiais.
E o efeito disso é direto: mais recursos e menos este crime para lidar levaram a um melhor policiamento. Tanto Colorado quanto Washington têm visto taxas de resolução de crimes mais rápidas em todos os níveis desde a legalização da maconha.
Outro efeito da legalização para as forças policiais americanas é que os policiais não estão mais parando carros com tanta frequência, simplesmente porque eles não podem mais usar o fato do carro estar cheirando à maconha como uma desculpa para revistá-los.

8. Mais crianças estão dando entrada nos hospitais por comer brownies de maconha


Assim que a cannabis foi legalizada, os hospitais começaram a receber crianças que haviam experimentado brownies de maconha. Em um único ano, o estado do Colorado tratou 87 crianças com menos de nove anos de idade por ingerir cannabis, um aumento de 450% desde que a maconha foi legalizada. Mas isso não é necessariamente uma coisa ruim.
A maioria desses casos acontece porque uma criança rouba um brownie de maconha dos pais, sem perceber que são brownies diferentes. É possível que a cannabis legalizada esteja fazendo isso acontecer com mais frequência, mas é muito mais provável que os pais tenham menos medo de levar os filhos para os hospitais, agora que ela é legal.
Segundo o texto do Listverse, houveram casos em que pais enfrentaram acusações de abuso infantil e até mesmo perderam seus filhos apenas porque a criança pegou um cookie destes, portanto seria razoável supor que a principal razão pela qual mais crianças vão ao hospital é que os pais têm menos medo. Antes, eles provavelmente estavam apenas lidando com isso sozinhos.
O uso de cannabis por menores de idade não aumentou com a legalização nos EUA – no estado de Washington e no Colorado, o uso de maconha na adolescência até mesmo diminuiu.

7. O número de moradores de rua parece aumentar


Quando o Colorado legalizou a maconha, os moradores começaram a reclamar de seus novos vizinhos. Segundo o Listverse, um morador destes estados afirmou que suas cidades “de repente se tornaram um paraíso para os usuários de maconha recreacionais, atraindo transeuntes, mendigos e um grande número de viciados em drogas desabrigados”.
A falta de moradia realmente aumentou no Colorado, no estado de Washington, no Oregon, na Califórnia e no Alasca depois da legalização da maconha, o que sugere que os usuários de maconha sem moradia realmente migram para lugares que os deixam fumar legalmente.

6. Turismo aumenta por causa da maconha


Em 2015, o Colorado registrou um recorde de 2,6 bilhões de dólares ganhos com o turismo. O estado diz que estas cifras foram alcançadas por causa de uma campanha de turismo, mas os fatos sugerem que as pessoas estavam visitando o estado por causa da maconha. Uma pesquisa com pessoas em férias no Colorado descobriu que 49% delas estavam lá por causa da erva.
Por incrível que pareça, a maioria delas acabou ficando sem comprar nada: apenas 8% dos turistas do Colorado visitavam uma loja que vendesse cannabis. Ainda assim, quase metade deles disse que a legalização da droga era pelo menos parte da razão pela qual eles decidiram passar suas férias no alto das montanhas.
Em Amsterdã, o conselho de turismo estima que 1,5 milhão de turistas visitem a cidade a cada ano por causa da cannabis legalizada, injetando uma enorme quantidade de dinheiro na economia da cidade.

5. Turistas fumam tanto que vão parar nos hospitais


Os turistas acabam esquecendo o bom senso em casa, entretanto. Desde que o Colorado legalizou a maconha, seus hospitais tiveram que lidar com o dobro de pessoas de fora do estado aparecendo no pronto-socorro que ficaram tão chapadas que acabavam se machucando ou sofriam ataques de ansiedade tão horríveis que acabavam implorando para que seus amigos ligassem para um médico.
Em 2014, 1,68% dos pacientes de hospitais do estado de Colorado disseram especificamente aos médicos que estavam lá por causa da cannabis. O engraçado é que os moradores locais não fazem isso. Não houve mudança alguma no número de pacientes que iam para o pronto-socorro por causa dos efeitos da maconha no estado. São apenas os turistas. Aparentemente estas pessoas acreditam que, se podem ficar legalmente chapadas, precisam ficar mais chapadas do que nunca.

4. Cães começam a ficar chapados


De acordo com o Wheat Ridge Animal Hospital, o envenenamento por cannabis em cães no Colorado quadruplicou desde que a maconha foi legalizada. Um veterinário afirma que seu hospital trata uma média de cinco cães drogados a cada semana.
Não é que as pessoas estejam colocando cigarros na boca dos cachorros (pelo menos não na maioria das vezes). Normalmente, os cães comem a erva de alguma forma. Eles acabam cansados, cambaleantes e sensíveis à luz. Em casos extremos, chegam a vomitar e desmaiar.
Os cães geralmente ficam bem dentro de 24 horas, mas alguns chegaram a morrer depois de incidente. Essas mortes foram provavelmente provocadas pelo chocolate em vez da maconha, no entanto, já que o chocolate em um brownie é muito pior para os cães do que a erva.

3. O uso de opioides diminuiu


Os EUA estão vivendo uma verdadeira epidemia de opioides. Eles matam cerca 42 mil americanos todos os anos. Não importa o que você acha da maconha, ela não é nem de longe tão ruim quanto os opioides. E legalizar a cannabis parece ser uma maneira bastante eficaz de lutar contra o uso de opioides. De acordo com um estudo, as prescrições de opiáceos diminuem em média 14% sempre que a cannabis medicinal é legalizada.
Em parte, isso é porque dá às pessoas uma alternativa. Quando a maconha é ilegal, os pacientes não têm muitas outras opções para lidar com a dor, exceto por tomar opioides, o que pode ser muito viciante e muito perigoso. Mas a outra parte é que a cannabis é simplesmente mais barata. Em média, a maconha custa aos pacientes cerca de 60% do valor de opioides. E isso salva vidas. A legalização da maconha medicinal, em média, reduziu em 25% as mortes por overdose de opiáceos.

2. Taxas de criminalidade despencam


O crime no estado de Washington é o menor em 40 anos, enquanto o Colorado registrou uma queda de 2,4% nos crimes violentos desde a legalização. Mas isso não é nada comparado aos estados mais ao sul. Nos estados que fazem fronteira com o México, onde o comércio de cannabis geralmente é controlado por cartéis de drogas, as taxas de criminalidade caíram totalmente onde a maconha foi legalizada. Na Califórnia, a legalização da maconha só para uso médico reduziu o crime violento em 15%, roubos em 19% e assassinatos em 10%.
Os homicídios relacionados a drogas diminuíram em 41% – quase sendo cortados pela metade – desde que a maconha medicinal foi legalizada na Califórnia.
Os números mostram que legalizar a maconha não transforma ninguém em criminoso e faz com que o tráfico de drogas perca poder.

1. Escolas públicas melhoram


Em 2015, o Colorado arrecadou 135 milhões de dólares em receita tributária apenas por meio da cannabis. Quando a maconha foi legalizada, o Colorado decidiu que a maior parte do dinheiro iria para as escolas. Durante o ano letivo de 2015-2016, os impostos sobre a maconha contribuíram com 80 milhões de dólares para projetos de construção de escolas.
Em 2017, as escolas em Deer Trail, Colorado, receberam 34 milhões de dólares para construir um novo campus e especificamente creditaram o dinheiro aos impostos sobre a maconha, o que significa que as crianças de lá receberam uma nova instalação por causa da maconha.
De acordo com um pesquisador de Harvard, se todos os Estados Unidos legalizassem a maconha (e outras drogas) e depois tributassem e regulassem sua venda, o dinheiro adicional arrecadado seria de 106,7 bilhões de dólares por ano. Essa cifra vem da teoria de que a nação ganharia 58,8 bilhões de dólares em receitas fiscais e economizaria os 47,9 bilhões de dólares que gasta com a proibição das drogas a cada ano.
Segundo o Listverse, isso seria dinheiro suficiente para tornar todas as faculdades dos EUA gratuitas, e ainda sobraria. 


Postar um comentário