Agora são: horas e minutos - Agradeço sua presença e volte sempre

3 mitos sobre a doença de Parkinson


Um dos atletas mais bem sucedidos do século 20 é o campeão de boxe Muhammad Ali, mas para Maryum Ali, ele é apenas o pai.

Enquanto ela viu o pai se tornar um dos rostos mais famosos da doença de Parkinson desde o seu diagnóstico há quase 30 anos, ela aprendeu muito sobre as realidades de Parkinson.

Atualmente, cerca de 1 milhão de pessoas só nos EUA têm Parkinson, que resulta de uma perda de células cerebrais que produzem a dopamina. A condição provoca tremores, rigidez muscular e diminuição do equilíbrio.

Nos primeiros dias de diagnóstico do seu pai, informações sobre a condição eram escassas. “Mesmo os médicos não entendiam isso”, disse ela MyHealthNewsDaily. Mas ainda hoje, mitos alguns mitos sobre Parkinson ainda persistem.

“As pessoas pensam que é uma doença de pessoas mais velhas”, disse ela. Embora seja verdade que a maioria das pessoas com Parkinson desenvolve a doença por volta dos 60 anos, está a ser diagnosticada cada vez mais em pessoas mais jovens, disse ela.

Cerca de 10 por cento das pessoas com Parkinson são diagnosticados antes os 40 anos. Outro mito, afirma Ali, é que não há muito que possa ser feito para ajudar uma pessoa com Parkinson. As pessoas devem saber que existem formas eficazes para lidar com os sintomas da doença.

Por exemplo, o exercício físico ajudou enormemente o seu pai, disse ela. De fato, um estudo publicado este mês na revista Geriatrics and Gerontology International constatou que dos pacientes de Parkinson que participaram de sessões de exercício por semana, relataram melhorias em suas atividades diárias em comparação com um grupo controle que não fazia exercício.

Tratamentos de estimulação cerebral também ajudam, disse Ali. É importante encontrar um especialista que esteja familiarizado com todas as opções disponíveis, disse ela. “Você pode fazer muitas coisas diferentes, não é como se não houvesse esperança.”

Um terceiro mito sobre a condição é que ela é altamente genética, disse Ali. “Muita gente acha isso, mas apenas 5% das pessoas que contraem a doença têm um laço genético”, disse ela. Os cientistas não sabem exatamente o que causa a doença de Parkinson.

Embora a genética desempenhe um papel, a maioria dos pesquisadores acreditam que substâncias químicas no ambiente aumentam o risco de uma pessoa ter a condição, de acordo com o National Institutes of Health.

Os vírus e inflamação no corpo, também têm sido associados com a condição. A doença de Parkinson pode atingir pessoas mais jovens, mas para todos os pacientes, o exercício e outros tratamentos podem ajudar com os sintomas.




Postagens mais visitadas deste blog

Porquê tomar o Cloreto de Magnésio P.A.?

ÍNDIA - Cientistas Criam Cruza de Humano com Gorila, Nascendo Bebê Híbrido!!

Homem constrói rádio chamado ''espírito de Tesla'' adivinha o que acontece quando ele é ligado? Assustador...

Governo japonês está preocupado com os efeitos da vacina contra HPV, como infertilidade e paralisia

Você já percebeu seu olho pulsando? Saiba o motivo disso acontecer

PAUL PANTONE: ELE CRIOU UMA MOTOR QUE FUNCIONA COM 80% DE ÁGUA E DIMINUI MAIS DE 50% A EMISSÃO DE GASES NOCIVOS...

Inacreditavel descoberta : Desenhos antigos encontrados na Índia parecem representar naves extraterrestres (Vimana)

Radiação Cósmica De Sistema Estelar Gigante Ruma Em Direção À Terra Alerta NASA

Máfia que desviava bilhões com fraudes em julgamentos tributários espõe "gestapo fiscal" contra contribuintes