NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO

sábado, 15 de abril de 2017

Os 16 melhores antibióticos naturais para combater infecções

Os antibióticos têm um papel importante na medicina. Quando o sistema imunológico está sobrecarregado, eles podem ser muito úteis. No entanto, embora mais de uma centena de diferentes antibióticos tenham sido desenvolvidos desde a descoberta da penicilina, em 1928, as infecções ainda nos afligem. O problema é que as pessoas abusam do consumo de antibióticos e, como resultado, ...
muitas bactérias terminam criando resistência a eles. Os antibióticos podem ser a salvação, em alguns casos, quando usados apropriadamente. No entanto, o uso excessivo ou inadequado deles pode causar problemas de saúde generalizados.

O que fazer para evitar isso?

Consumir alimentos que são verdadeiros antibióticos naturais e que não oferecem risco de saúde nem de criar superbactérias. Esse antibióticos naturais devem ser usados de forma regular numa rotina que visa à prevenção.Os antibióticos que você compra na farmácia existem há menos de cem anos, enquanto os antibióticos naturais têm sido usados ??por mais de 2.000 anos. O uso adequado dos antibióticos naturais pode não só inibir infecções bacterianas, virais e fúngicas, mas também minimizar a necessidade de antibióticos farmacêuticos, com seus efeitos secundários adversos.
Mas, como dissemos, eles precisam ser consumidos regularmente para formar uma proteção real. É preciso entender que a ação de um remédio natural é lenta e gradativa, porém com baixíssima taxa de risco. Selecionamos o que, no nosso entendimento, são os dez melhores antibióticos naturais. Todos são facilmente encontrados na feira, no supermercado e em boas lojas de produtos naturais. Inclua um ou mais deles em sua alimentação e você terá muito mais resistência a infecções. Eis a relação como os sete mais poderosos antibióticos naturais.

1. Açafrão-da-terra/ cúrcuma

Para muitos, nenhum outro alimento tem atividade antibiótica maior que a cúrcuma (açafrão-da-terra). Os indianos já sabem disso e a usam há milhares de anos para combater dor de garganta e outras infecções. Consuma cúrcuma (se possível combinada com pimenta-do-reino) e sentirá uma maior resistência do seu corpo. O açafrão possui propriedades anti-espasmódicas, anti-depressivas e sedativas. A sua infusão é usada no tratamento da asma, problemas de fígado, bexiga, histeria e cálculos renais.
Como cataplasma (quente) é indicada no combate às hemorróidas.

2. Limão

A elevada percentagem de potássio e vitamina C do limão faz com que seja um forte antibacteriano. A fruta pode ser consumida pura ou na forma de suco com um pouco de mel. Os limões ajudam a previnir as gastroenterites, causadas pela Salmonella typhimurium, devido à acção bactericida dos flavonóides presentes na casca. Lave e rale a casca. Use-a em doçaria, sumos e saladas. Quantidade diária recomendada: 1 limão / dia.

3. Mel

infec2
O mel é especial para combater infecções e suas enzimas ajudam a eliminar as bactérias. Estudos comprovaram que o mel contém uma enzima capaz de destruir a bactéria Staphylococcus aureus responsável pelas intoxicações alimentares e a H. pylori responsável pela úlcera gástrica. Pode ser usado como adoçante em iogurtes, sumos, cafés, sobremesas e para conservar frutas em compotas. Quantidade diária recomendada: 1 colher de sopa / dia.

4. Alho

O alho tem forte ação antibiótica e uma grande quantidade de antioxidantes. Ele elimina as bactérias que estão alojadas no nosso sangue e ajuda a manter nosso sistema imunológico forte.

5. Cebola

Graças à sua elevada percentagem de enxofre e flavonóides, é excelente para problemas respiratórios, como gripe, bronquite e faringite. A cebola pode inibir o crescimento de uma grande variedade de bactérias que provocam intoxicação alimentar como a Escherichia coli, Staphylococcus aureus e Listeria monocytogenes. Esta inibição resulta a suas propriedades antioxidantes presentes nas substâncias quercetina (encontrada em maior quantidade na cebola roxa) e campferol. A cebola deve ser usada no tempero de vegetais, carnes, peixes e saladas. Quantidade diária recomendada: 1 cebola média / dia.

6. Gengibre

infec6
O gengibre é muito potente para combater infecções e aliviar dores. Você pode tomá-lo como chá ou adicioná-lo em sucos. O gengibre pode ser consumido fresco ou sob forma de condimento / especiarias. No passado o gengibre chegou a ser utilizado no fabrico de xaropes indicados para curar as dores de garganta. O gengibre possui propriedades anti-sépticas, desinfectantes e termogénicas. É contra-indicado para quem sofre de tensão arterial alta.

7. Alecrim

O alecrim é outro potente antibiótico natural. Ele possui intensa atividade bactericida, além de propriedades antivirais. O chá de alecrim ajuda a combater os germes que podem invadir o organismo e causar infecções.

8. Canela

infec4
A canela tem uma longa história tanto como especiaria quanto como medicamento. Seus óleos essenciais são poderosos no combate a vírus, bactérias e fungos. Procure consumir canela das mais diversas formas (chá, sob frutas, no suco...) e pouco a pouco construirá uma forte proteção contra infecções. A canela, todavia, é contraindicada para quem tem pressão alta e seu consumo também deve ser evitado durante a gravidez. A cabeça possui imensas propriedades benéficas para a nossa saúde. As suas propriedades anti-bacterianas e analgésicas ajudam a regular os níveis de açúcar no sangue, actua contra constipações e dores de garganta, reduz as dores causadas pela artrite e alivia as dores menstruais.

9. Vinagre de maçã

Ele contém ácido málico, uma substância exterminadora de vírus e bactérias. O vinagre de maçã, consumido regularmente, age fazendo uma limpeza e evitando a proliferação de microrganismos patogênicos no nosso organismo.

10. Folhas de oliveira

Ela têm uma incrível capacidade de destruir uma grande variedade de vírus, fungos e bactérias. Este potente antibiótico natural pode ser tomado para ajudar a combater todos os tipos de infecção.

11. Azeitona

As azeitonas possuem uma acção anti-oxidante muito forte – vitamina E e compostos fenólicos. Estas moléculas neutralizam os radicais livres, que são altamente instáveis e oxidantes, protegendo as células do nosso corpo da oxidação.

12. Equinácea

Esta planta estimula a produção celular de uma substância chamada interferon – um antiviral natural. A equinácea é considerada um antibiótico natural que combate bactérias, vírus, fungos e outros micróbios que causam doenças. Esta planta estimula também o sistema imunológico sendo fundamental no combate contra as infecções. Convém tomar a equinácea de 2 em 2 horas durante os períodos em que está a sofrer infecções agudas.
A Equinácea é uma planta medicinal, também conhecida como Flor-de-cone, Púrpura ou Rudbéquia, muito utilizada como remédio caseiro no tratamento de gripes e resfriados. O seu nome científico é Echinacea purpurea e pode ser comprada em lojas de produtos naturais, feiras livres e farmácias de manipulação na sua forma natural ou em alguns supermercado, sob a forma de sachês.
A Equinácea serve para ajudar no tratamento de gripes e resfriados, infecções respiratórias, infecção urinária, candidíase, dor de dente, gengiva, artrite reumatoide e doenças virais ou bacterianas, pois fortalece o sistema imunológico.
Chá para gripe: Colocar 1 colher (de chá) da raiz ou folhas da Equinácea em uma xícara de água fervente. Deixar repousar por 15 minutos, coar e beber 2 vezes por dia. A Equinácea está contraindicada no caso de alergia a plantas da família Asteraceae, assim como para pacientes com HIV, tuberculose, colagenose e esclerose múltipla.

13. Própolis

infec5
As propriedades terapêuticas do propólis foram descobertas na antiguidade. Os egípcios usavam propólis no tratamento de gripes e doenças do foro respiratório, cicatrização de feridas e infecções da pele. O propolis é um antibiótico natural que não causa qualquer efeito secundário indesejável. Não pode ser ingerido durante muito tempo seguido pois acaba por combater as bactérias benéficas ao bom funcionamento do organismo. O uso do própolis é indicado em casos de:
gripes,
bronquites,
contipações,
asmas,
amigdalites,
rinite alérgica,
sinusite.

14. Sementes de uva

As sementes de uva devem ser utilizadas no tratamento de problemas relacionados com o coração:
pressão alta,
má circulação sanguínea,
colesterol,
arteriosclerose, etc.
O extrato de sementes de uva pode ser usado para tratar feridas e prevenir o aparecimento de cancros.

15. Romã

As romãs nos ajudam a reduzir os níveis de colesterol (LDL) e os anti-oxidantes presentes nesta fruta evitam a formação de placas de gordura nas paredes das veias e das artérias. Estudos comprovaram que as romãs diminuem consideravelmente os microrganismos presentes na boca logo previnem as cáries causadas pela bactéria Streptococcus mutans e intoxicações alimentares causadas pela bactéria B. cereus. As bagas das romãs podem ser usadas em saladas ou moídas para fazer sumo. Quantidade diária recomendada: 1 romã / dia.

16. Óleo de côco

Metade da composição do óleo de côco é ácido láurico – um precursor da monolaurina. Esta substância combate bactérias, vírus e protozoários – candidíase (Candida albicans) e cáries (Streptococcus mutans). Estudos na Irlanda comprovaram que o óleo de côco, ao ser digerido, inibe a proliferação de bactérias que vivem na boca. O óleo de côco pode ser usado em bolos e doces ou para temperar saladas. Quantidade diária recomendada: 4 colheres de sopa / dia.

Pesquisadores descobrem ponte cósmica que interliga galáxias

Os cientistas fizeram outra descoberta impressionante, provando que o Universo é mais misterioso do que imaginamos. Observações de mais de 23.000 pares de galáxias permitiu aos astrônomos localizarem uma ponte de matéria escura que as conecta.

Pela primeira vez, os especialistas fizeram uma imagem da ‘elusiva ponte de matéria escura’ que interliga diferentes galáxias por todo o cosmos.
Até agora os cientistas haviam somente especulado sobre a existência e uma teia cósmica, pois ela permanecia inobservável até agora.
O mapa recém obtido – em cor falsa mostra galáxias brilhantes como uma região branca, enquanto as pontes de matéria escura são ilustradas em vermelho.

Os pesquisadores publicaram seu trabalho num novo artigo no Monthly Notices of the Royal Astronomical Society.

A imagem – composta de observações de mais de 23.000 pares de galáxias – confirma as previsões de que as galáxias por todo o Universo são ligadas umas as outras, através de uma rede cósmica conectadas por matéria escura.
A matéria escura é uma substância misteriosa que perfaz aproximadamente 27 por cento do Universo. Ela não brilha, absorve ou reflete a luz, o que a torna indetectável pela maior parte.  Somente baseados nas suas interações com a matéria visível, os cientistas podem deduzir sua existência. Porém, os pesquisadores da Universitade de Waterloo foram capazes de mensurar um efeito conhecido como lente gravitacional fraca, através do uso de numerosas imagens a partir de um levantamento celeste em vários anos, utilizando o Telescópio Canadá-França-Havaí.
A lente gravitacional faz com que galáxias distantes pareçam distorcidas, devido à uma massa não vista, tal como um planeta, um buraco negro, ou neste caso a matéria escura.
Os pesquisadores essencialmente usaram as imagens de milhares de galáxias localizadas a uns 4,5 bilhões de anos-luz de distância, para revelarem a misteriosa presença de ‘matéria escura’ as interligando.
O astrônomo Mike Hudson disse:
Por décadas, pesquisadores têm previsto a existência de filamentos de matéria escura entre as galáxias, os quais agem como uma superestrutura similar à uma teia, interligando as galáxias.
Esta imagem nos posiciona além das previsões, para algo que podemos ver e mensurar.
Como apontado pelo Science Alert, esta imagem não só é agradável esteticamente, mas ela também revela várias características intrigantes, as quais de outra forma seriam difíceis de detectar.
As novas observações permitiram aos astrônomos criarem um mapa mostrando as pontes, enquanto descobriram que o fenômeno é mais forte em sistemas que estão separados por menos de 40 milhões de anos-luz.

E ainda há muito mais a ser descoberto sobre o nosso incrível Universo.



Fonte de energia para seres vivos foi detectada em lua de Saturno

A descoberta confirma Enceladus como potencial mundo habitável de nosso Sistema Solar

Nave Cassini da NASA encontrou hidrogênio molecular em Enceladus, demonstrando condições ainda mais favoráveis à existência de vida alienígena nessa lua

A NASA, a agência espacial norte-americana, acaba de anunciar a publicação no periódico Science de um artigo demonstrando a existência de uma potencial fonte de energia para vida na lua Enceladus de Saturno. De acordo com a publicação, o achado demonstra que podem existir no oceano interior do satélite as mesmas condições que já foram observadas na Terra, próximas a fontes hidrotermais em nossos oceanos. Reações químicas capazes de sustentar seres vivos dependem da presença de hidrogênio molecular (H2), que o estudo aponta ser resultado de reações contínuas entre a água quente e a rocha no fundo do oceano de Enceladus.

Enceladus, de somente 504 km de diâmetro, desde 2005 é forte candidato a abrigar vida alienígena no Sistema Solar. Esse foi o ano em que a nave Cassini da NASA observou pela primeira vez gêiseres saindo de fissuras próximas ao polo sul da lua. Isso indicou a presença de um oceano de água líquida, possível graças às forças de maré atuando conforme Enceladus orbita Saturno, gerando calor interno. A Cassini realizou vários mergulhos nas plumas emitidas pelos gêiseres e em outubro de 2015 chegou a somente 49 km da superfície da lua, quando seus espectrômetros analisaram os elementos presentes nas plumas.

Assim, uma equipe chefiada por Hunter Waite, do Southwest Research Institute (SwRI) em San Antonio, conseguiu determinar que o H2 está presente entre 0,4 e 1,4% do volume do material da pluma observado, acompanhado entre outros por dióxido de carbono (CO2), presente entre 0,3 a 0,8%. Os cientistas consideraram como mais provável que o hidrogênio molecular seja produzido continuamente por reações entre a água quente e a rocha no fundo no oceano. Como esse ambiente não é propício para a presença contínua do H2, para explicar o volume em que foi encontrado o mais viável seria que a substância fosse produzida por fontes hidrotermais como as que temos na Terra. Tal conclusão coincide com um estudo apresentado em 2016 por outro grupo de pesquisa, que descobriu grãos de sílica detectados pela Cassini nas plumas do satélite.


CRÉDITO: NASA
Os gêiseres de Enceladus em foto da Cassini
Os gêiseres de Enceladus em foto da Cassini

 SISTEMA SIMILAR AO DA TERRA CAPAZ DE SUSTENTAR SERES VIVOS 

Nas chaminés hidrotermais encontradas em vários oceanos terrestres seres vivos prosperam sem necessidade de luz solar. Micróbios encontrados nesses ambientes usam CO2 combinado ao H2 para produzir metano (CH4). Como CO2 e H2 foram detectados em Enceladus, é possível que seres alienígenas realizem as mesmas transformações nas profundezas do oceano da lua. Os cientistas dizem que a quantidade de H2 observado é uma fonte de energia mais que suficiente para sustentar essa biosfera. Os cientistas alertam que esse anúncio não significa que comprovadamente exista vida alienígena em Enceladus e que há ainda um longo caminho a percorrer antes de fazer tal anúncio. Contudo, a descoberta aumenta consideravelmente as chances de que a lua de Saturno efetivamente abrigue vida extraterrestre.

Leia o artigo na Science

Visite o site da missão Cassini

NASA estuda missão para procurar vida alienígena em lua de Saturno

Nave Cassini flagra estranho formato de lua de Saturno

SETI procura ideias para buscar formas de vida alienígenas diversas

Stephen Hawking lança Projeto Starshot para viagens interestelares

Nave Cassini obtém melhores imagens de Encélado

Nave Cassini fotografa interrupção no anel mais externo de Saturno

Estrela invasora do Sistema Solar (chegando o segundo sol…)


Conheça a estrela que invadiu o Sistema Solar
Uma estrela invasora passou pelo nosso Sistema Solar há apenas 70 mil anos, de acordo com “uma nova descoberta dos astrônomos”. Nenhuma outra estrela chegou tão perto de nosso sistema (n.T. Até onde alcança o “conhecimento” dos nossos atuais cientistas).
Os astrônomos pesquisadores, integrantes de uma equipe internacional, dizem que ela chegou a ficar cinco vezes mais perto do que o sol/estrela nosso vizinho mais próximo, a estrela anã Próxima Centauri, da Constelação do Centauro.
Edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch
Um sol/estrela invasora do nosso Sistema Solar foi descoberto pelos astrônomos (uma preparação da opinião pública para o inevitável ?…)
Paul Rincon-Editor de Ciência da BBC News – Fonte: http://www.bbc.co.uk/
O objeto cósmico, uma estrela anã vermelha conhecida como estrela Scholz, já passou pela área externa do Sistema Solar, uma região conhecida como Nuvem Oort (*).

Nuvem Oort, que envelopa o sistema solar em seu interior e é composta de uma incontável quantidade de pedaços de rocha.
A estrela Scholz não passou sozinha pelo Sistema Solar, ela veio acompanhada por um objeto conhecido como uma estrela anã marrom (Brown Dwarf Star) – um corpo celeste que não tem a massa necessária para gerar fusão em seus núcleos e portanto não emite luz como o nosso sol.
Observações da trajetória da estrela sugerem que há cerca de 70 mil anos esta estrela invasora passou a 0,8 ano-luz de distância de nosso Sol.
A nossa vizinha mais próxima, a estrela/sol Próxima Centauri, da Constelação do Centauro, está a 4,2 anos-luz, por exemplo. A “descoberta” foi publicada na revista especializada Astrophysical Journal Letters.

Uma representação artística da estrela Scholz, que atualmente está a 20 anos-luz de distância
Muito Perto
Na pesquisa, os astrônomos liderados por Eric Mamajek, da Universidade de Rochester, Estados Unidos, afirmaram que têm 98% de certeza de que a estrela Scholz viajou pelo que é conhecido como a “Nuvem Oort Externa*”, uma região no limite do Sistema Solar conhecido como um depósito de detritos remanescentes da construção dos planetas do sistema solar que possui trilhões de pedaçosde rochas que são a origem dos cometas, meteoros e asteroides.
Esta região é como uma “casca” esférica que envolve o Sistema Solar e pode se estender até 100 mil Unidades Astronômicas, ou UA (uma UA é a distância entre a Terra e o Sol, cerca de 150 milhões de km).
Para determinar a trajetória da estrela, os pesquisadores precisavam de duas informações: a mudança na distância do Sol para a estrela (sua velocidade radial) e o movimento da estrela pelo espaço interestelar (velocidade tangencial).
{n.T.: (*) A Nuvem de Oort, é uma nuvem esférica de detritos que se acredita localizar-se a cerca de 50 000 UA, ou quase um ano-luz de distância do Sol. Isso significa que ela está a aproximadamente um quarto da distância da mais próxima estrela do nosso sistema solar, Proxima Centauri. O cinturão de Kuiper e o disco disperso, as outras duas regiões do Sistema Solar que contêm objetos transnetunianos, se localizam a menos de um milésimo da distância estimada da nuvem de Oort. A parte externa da nuvem de Oort define o limite cosmográfico do Sistema Solar e a região de influência gravitacional do Sol.
Acredita-se que a nuvem de Oort, que recebe o seu nome graças ao astrônomo holandês Jan Oort, compreenda duas regiões distintas: uma parte externa esférica e uma parte interna em forma de disco, ou nuvem de Hills. Os objetos da Nuvem de Oort são compostos principalmente por materiais voláteis como rocha, gelo, amônia e metano.

A Nuvem de Oort
Os astrônomos conjecturam que a matéria que compõe a nuvem de Oort tenha se formado perto do Sol, nos primeiros estágios da formação do Sistema Solar, e tenha se espalhado pelo espaço devido aos efeitos gravitacionais dos planetas gigantes.
Embora não se tenha feito nenhuma observação direta da nuvem de Oort, ela pode ser a fonte de todos os meteoros, asteroides e cometas de longo período e de tipo Halley que entram no Sistema Solar interior, além de muitos centauros e cometas de Júpiter. A parte externa da nuvem de Oort é pouco influenciada pela gravidade do Sol, e isso faz com que outras estrelas e a própria Via Láctea possam interferir na órbita de seus objetos dentro da nuvem e mandá-los para dentro do Sistema Solar interior. Dependendo de suas órbitas, a maioria dos cometas de curto período do Sistema Solar pode ter vindo do disco disperso, mas alguns podem ter se originado na nuvem de Oort}
A estrela Scholz atualmente está a 20 anos-luz de distância, ou seja, um sistema razoavelmente próximo. Mas, a Scholz demonstrou um movimento tangencial muito lento para uma estrela tão próxima.
Isto indica que ela estaria se distanciando de nosso sistema ou estaria vindo em nossa direção para um encontro próximo com o Sistema Solar no futuro.
As medidas da velocidade radial confirmaram que o sistema estelar binário está, na verdade, se distanciando de nosso sistema. Ao rastrear seus movimentos no passado, os cientistas descobriram a passagem próxima do Sol há 70 mil anos.

Tamanho estimado e quadro comparativo de diferentes corpos cósmicos
”Insignificante”
Uma estrela passando pela Nuvem Oort poderia causar problemas gravitacionais nas órbitas dos cometas daquela região, arremessando-os para trajetórias para dentro do nosso Sistema Solar. Mas, Eric Mamajek acredita que os efeitos da estrela Scholz em nossa vizinhança cósmica foram “insignificantes”.
“Existem trilhões de cometas na nuven Oort e há chance de alguns desses terem sido perturbados por este objeto. Mas, até agora, parece que esta estrela não desencadeou uma ‘chuva de cometas’ mais importante”, afirmou o cientista à BBC News.
A estrela Scholz passou relativamente perto, mas o sistema binário (a estrela anã vermelha e sua companheira, a anã marrom) tem pouca massa e estava passando em alta velocidade. Estes fatores combinados contribuíram para que o efeito da passagem da Scholz pela Nuvem Oort fosse pequeno.
Notícia publicada no jornal The Washington Post de 30 de dezembro de 1983 sobre a descoberta do corpo celeste estranho:

A seguir a tradução da notícia: Por Thomas O’Toole, publicada no jornal Washington Post, da equipe de redação – sexta-feira dia 30 dezembro, 1983; Página A1 Um corpo celeste possivelmente tão grande como o gigantesco planeta Júpiter e, possivelmente, tão perto da Terra que seria parte deste sistema solar foi encontrado na direção da Constelação de Órion por um telescópio em órbita a bordo do satélite astronômico infravermelho dos EUA (Infrared Astronomical Satellite-IRAS). Tão misterioso é o objeto que os astrônomos não sabem se ele é um planeta, um cometa gigante, uma “proto-estrela” próxima que nunca ficou quente o suficiente para se tornar uma estrela, uma galáxia distante tão jovem que ainda está em processo de formação de suas primeiras estrelas ou uma galáxia tão envolta em poeira que nenhuma das suas estrelas ainda é visível. “Tudo o que posso dizer é que não sabemos o que é, disse em uma entrevista, o Dr. Gerry Neugebauer, o cientista chefe do IRAS para o JPL-Laboratório de Propulsão a Jato da Califórnia e diretor do Observatório Monte Palomar, do Instituto de Tecnologia da Califórnia, a explicação mais fascinante deste misterioso corpo, que é tão frio que não lança luz e nunca foi visto por telescópios ópticos na Terra ou no espaço, é que ele é um planeta gigante gasoso tão grande como Júpiter e tão perto da Terra em 50 bilhões de milhas. Embora isso possa parecer uma grande distância em termos terrestres, é uma curta distância em termos cosmológicos, tão perto, de fato, que seria o corpo celeste mais próximo da Terra além do mais externo planeta Plutão. Se ele esta realmente tão perto, seria uma parte do nosso sistema solar, disse o Dr. James Houck do Centro de Rádio Física da Universidade Cornell.
Apesar de esta ter sido a passagem mais próxima já detectada de uma estrela pelos astrônomos, se trata de proximidade inédita da passagem desta estrela, e Mamajek acredita não ser incomum que estrelas se aproximem de nosso Sol. Ele afirma que uma estrela provavelmente passa nas proximidades da Nuvem Oort aproximadamente a cada 100 mil anos.
Mas ele sugere que uma passagem tão próxima como esta, ou mais próxima ainda, é, de alguma forma, mais rara. Segundo Mamajek, as simulações matemáticas mostram que um evento como o que envolveu a estrela Scholz ocorre, em média, a cada 9 milhões de anos.

Filme recente de uma explosão solar, feito pela sonda STEREO da NASA, no dia 28 de novembro de 2013, que revelou a existência de um aparentemente imenso objeto já dentro do nosso sistema solar.
“Então, é uma coincidência que nós tenhamos conseguido descobrir uma que passou tão perto nesses últimos 100 mil anos”, disse.
“Ao entardecer, dizeis: haverá bom tempo porque o céu está rubro. E pela manhã: hoje haverá tempestade porque o céu esta vermelho-escuro. Hipócritas ! Sabeis, portanto discernir os aspectos do céu e não podeis reconhecer  OS SINAIS DOS TEMPOS?”  Mateus 16: 2 e 3
Atualização em 14 de Junho de 2016: 
A seguir citamos passagem de um livro (“Contato com Discos Voadores”, de Dino Kraspedon, páginas 33 a 37) publicado ainda em 1957, sobre encontros com extraterrestres vindos das luas de Júpiter, Ganimedes e Io, em que são feitas referências (há 59 anos atrás) à chegada deste SEGUNDO SOL ao nosso sistema solar:
“Em breve os terrestres terão outros problemas a resolver. Se até agora não tem solução para o problema dos três corpos, brevemente haverá maior dificuldade com a inclusão de um outro sol no nosso sistema. Agora são três; depois serão quatro corpos, representados pela Terra, dois sóis e o centro magnético.
P.— Não estou compreendendo bem o que você se está referindo. Que outro sol é esse que fará parte do nosso sistema?
  1. — É o que lhe estou afirmando: um outro sol penetrará, dentro em breve, no nosso sistema planetário, e teremos um invejável sistema de sóis duplos Aliás, essa é uma das razões porque aqui nos encontramos, além de vir preveni-los contra os perigos a que estão expostos com o advento da era atômica e de vir saudá-los.
  1. — Sim, eu quero saber quais os perigos a que estamos expostos com o advento da idade atômica, mas primeiro seria interessante ouvir mais a respeito desse novo sol.
  2. — Esse corpo é um monstro, que em breve poderá ser visto na direção (da Constelação) de Câncer, de luz apagada. A luz de um sol só passa a brilhar quando penetra num campo magnético secundário como o nosso. Penetrando no sistema, toma um movimento de rotação, deforma o espaço e gera correntes que lhe darão brilho. Se viesse luminoso, sua luz provocaria forte repulsão e seria desviado da sua rota. Sem brilho, ele sofre a pressão do nosso sol mas o seu momento cinético lhe garantirá a penetração no sistema solar. De inicio será uma luz avermelhada, depois azul. Após vencer a zona das grandes massas planetárias (Júpiter, Saturno, Urano e Netuno), terá a oposição solar pela frente, mas na retaguarda terá o peso das grandes massas a impulsioná-lo por uma ação repulsiva. A repulsão contra os planetas, pela retaguarda, a sua luz brilhando e o volume de sua massa descomunal fará o nosso sol atual deslocar-se das proximidades do centro magnético, situando se mais longe. Então os dois sóis demarcarão as suas órbitas, ficando o de maior massa e menos luz mais próximo do centro (E sucederá naquele dia, diz o Senhor, que farei que o sol se ponha ao meio dia, e a Terra se entenebreça em dia de luz. (Amos: 8-9). 
A penetração desse novo corpo foi predita por Nostradamus nas suas célebres Centúrias, II, quadra 41, onde se lê: “La grande estoille par sept jours bruslera. Nuee fera deux soleils apparoir”. 
O que significa: Por sete dias a GRANDE ESTRELA brilhará, nuvem fará dois sóis aparecer.

Imagem de uma explosão solar, feito pela sonda STEREO da NASA, no dia 28 de novembro de 2013, que revelou a existência de um imenso objeto já dentro do sistema solar.
Dois sóis no sistema criarão problemas MUITO difíceis. Todos os planetas terão as suas atuais órbitas modificadas. Mercúrio cairá na zona hoje compreendida entre Vênus e a Terra. Vênus irá para o lugar que medeia entre a Terra e Marte. A Terra sentirá o efeito, antes que o novo sol  se coloque no seu lugar definitivo. À medida que esse corpo começar a brilhar, a pressão da luz fará com que a Lua se desloque da sua órbita e vá situar-se num ponto que passe à categoria de planeta. Com esse deslocamento conduzirá uma quantidade da massa etérea da Terra, que lhe garantirá uma estabilização de movimento. A Terra, por sua vez, sob a pressão combinada de dois sóis, irá se situar na zona hoje ocupada pelos asteroides (entre Marte e Júpiter).
As imagens abaixo são fascinantes e mostram um gigantesco e até então, invisível objeto visto pelo SECCHI (Sun Earth Connection Coronal and Heliospheric Investigation)  e que ainda estava sendo visível. É verdade que as câmeras do telescópio do SOHO teriam perdido mais de 12 horas de gravação? Por que será? 
Em suma, haverá um deslocamento geral de todos os corpos que povoam o nosso atual sistema solar. Plutão será lançado para fora, e vagará errante pelo espaço, até que um seio acolhedor o recolha. Um dos satélites de Marte será arrancado da sua atual posição e será projetado no espaço. De massa bastante densa, em vez de repelido será atraído para o interior.
Sua trajetória será de tal forma que viria a constituir-se em novo satélite da Terra. Depende do sentido em que ele tomar contato com este planeta. Se isso se der contra o sentido de rotação da Terra, o choque provocado pelo encontro da sua massa com o éter fá-lo-á em pedaços; se for a favor, ficará ligado ao planeta.

Foto batida recentemente, em 24 dezembro de 2015, em infravermelho, do sol e do seu novo companheiro que ainda não esta completamente visível em nossa realidade tridimensional
A Terra não sofrerá com um choque contra, pois a sua camada etérea oferece proteção. Pelos nossos cálculos, apenas cairá uma chuva de pedras (meteoros) sobre a superfície deste globo, principalmente na zona compreendida pelo sul europeu, norte da África, Ásia Menor, o norte da América do Sul e o sul da América do Norte. O impacto transformará o atual esplêndido satélite marciano em pedacinhos de uns 20 kg cada um, que devastará as zonas acima descritas. Depois tudo se normalizara. Nós teremos um novo céu onde viajar, e vocês uma nova terra.
  1. — Quando será isso? Ainda levará muito tempo?
  2. — Será muito em breve, no fim deste século XX. A Terra começará o seu novo milênio com uma nova fonte de luz a iluminar os seus prados. Muitos desaparecerão para sempre do cenário terrestre, mas um pequenino rebanho restará, obediente às leis de Deus, e não haverá mais as lágrimas que aqui existem. Haverá paz e abundância, justiça e misericórdia. As almas injustas terão o castigo merecido, e só os bons terão guarida. Nesse dia o homem compreenderá o triunfo dos justos, e verá porque Deus não puniu imediatamente os maus. O Sol, que há de vir, será chamado o “Sol da Justiça”.  O seu aparecimento nos céus da Terra será o sinal precursor da vinda d’Aquele que brilha ainda mais que o próprio Sol.

Muito em breve veremos DOIS SÓIS iluminando os céus da Terra
  1. — E que tem a ver a vinda dos discos voadores (extraterrestres) à Terra com o Sol que há de vir?
  1. — Estudamos todos os efeitos que o seu aparecimento trará. Se nos fosse permitido, podíamos enviar, por meio de aparelhos apropriados, pulsações eletromagnéticas contra ele, e evitaríamos a sua entrada, fazendo que a sua luz acendesse fora do sistema. Mas evitar a sua Vinda seria querer nos opor contra à vontade de Deus e deixar que a injustiça aqui se perpetuasse. Quem está com a sua consciência tranquila e em paz com o seu Criador nada precisa temer. Deixemo-lo vir. 
Viemos com finalidade de estudos e também, para fazer um supremo apelo ao homem para que evitem a catástrofe e vivam em paz. A Terra não é o centro do sistema planetário, como antes pensavam, mas é o centro do mal. Se os homens se tornassem bons, talvez que o Criador tivesse compaixão. Evitem a guerra, porque pode dar-se o caso que o homem destrua o seu planeta com as suas próprias mãos evitando assim, que as forças da natureza o façam (em 2018). Não é difícil ser bom; é o bastante não fazer o mal.    O restante Deus suprirá.” (Fim de citação)
Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos (os inconscientes e ignorantes), e Cristo te esclarecerá. Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios*, mas como sábios”  –  Efésios 5:14-15
{Nota: Significado de Néscio: adjetivo, Característica de quem não possui (não desenvolveu) conhecimento, capacidade, sentido ou coerência. s.m. Sujeito ignorante, estúpido, incompetente, burro, incoerente, inepto e sem discernimento. (Etm. do latim: nescius.)}
Saiba mais sobre o assunto em: 
  1. http://thoth3126.com.br/vulcao-cumbre-vieja-mega-tsunami-pode-atingir-o-brasil/
  2. http://thoth3126.com.br/uma-visao-pessoal/
  3. http://thoth3126.com.br/profecia-maia-o-chamado-de-pacal-votan/
  4. http://thoth3126.com.br/eventos-incriveis-acontecendo-na-antartica/
  5. http://thoth3126.com.br/antartica-estranhas-aberturas-e-base-nazista-neuschwabenland/
  6. http://thoth3126.com.br/agharta-o-mundo-intra-terreno-em-nosso-planeta/
  7. http://thoth3126.com.br/novo-telescopio-no-polo-sul-spt-south-pole-telescope/
  8. http://thoth3126.com.br/apolo-xx-missao-secreta-nave-mae-gigantesca-e-cidade-alienigena-na-lua/
  9. http://thoth3126.com.br/um-misterioso-e-novo-corpo-celeste-foi-descoberto-ha-30-anos/
  10. http://thoth3126.com.br/nemesis-uma-estrela-ana-marrom-companheira-de-nosso-sol/
  11. http://thoth3126.com.br/maldek-e-nibiru-mais-dois-planetas-de-nosso-sistema-solar/
  12. http://thoth3126.com.br/o-governo-oculto-secreto-nos-eua/
  13. http://thoth3126.com.br/eua-se-preparam-para-iminentes-eventos-catastroficos-provocados-pelo-sol/
Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.
NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO

Disso Você Sabia ? no Facebook