NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO

Siga este Blog

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Análise: Turquia ruma para se tornar a próxima Síria?

POR O GLOBO
13/01/2016
Protestos se espalharam pelo país e foram respondidos com truculência pelo governo — mas não silenciados, o descontentamento da população é latente. A oposição se organiza em linhas sectárias; em algumas regiões, arma-se. No Sudeste, rebeldes com antigas demandas por direitos e um histórico de levantes reprimidos pelo governo intensificam a luta pela independência, beneficiados por armas e dinheiro que fluem do Ocidente para uma guerra vizinha, enquanto fundamentalistas islâmicos sustentados com petrodólares atacam os alicerces do poder central e da economia com atentados terroristas letais contra civis. Era este o cenário da Síria em 2011. E é o da Turquia hoje — agravado pelo influxo de dois milhões de refugiados.
Alertas vindos de Ancara têm sido largamente ignorados pela comunidade internacional. Mas até os mais desatentos enxergam os sinais da fumaça no horizonte.
Principais aliados dos Estados Unidos no Iraque e na Síria e responsáveis pelos maiores avanços contra o Estado Islâmico (EI), os curdos estão em alta — assim como sua capacidade de recrutar e transferir dinheiro e armas para a Turquia — e mais próximos da nação independente que almejam. Com apoio militar do Ocidente, as Unidades de Proteção do Povo (YPG, na sigla em curdo) já controlam território sírio do tamanho do Kuwait e do Qatar, onde estabeleceram governo semiautônomo nos moldes do Curdistão iraquiano. Nas trincheiras contra o EI, sua ligação com o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que luta pela independência da Turquia, é evidente.
A insurgência, antes restrita a vilarejos rurais, alastrou-se para as cidades e vem se intensificando há meses, com uma violenta resposta militar de Ancara. Confrontos quase diários já levaram à morte dezenas de civis. Em novembro, o advogado e ativista por direitos humanos Tahir Elçi foi morto diante das câmeras após uma entrevista coletiva em que defendia o fim dos confrontos em áreas urbanas com alta densidade populacional. Em dezembro, o Ministério da Educação ordenou o fechamento de três mil escolas em áreas curdas e retirou os professores. E pelo menos sete cidades — onde vivem 1,3 milhão de habitantes — estão sob toque de recolher, segundo a Fundação de Direitos Humanos da Turquia.
Tais eventos praticamente não chegaram à imprensa internacional, porque revelar a situação não interessa a ninguém — seria uma exposição de fraqueza para o presidente Recep Tayyip Erdogan e obrigaria o Ocidente a posicionar-se, quando não pode se dar ao luxo de abrir mão da Turquia ou dos curdos para vencer o EI.
Os terroristas, que vêm perdendo território para os curdos na Síria e no Iraque, só têm a ganhar com a instabilidade da Turquia. A explosão no coração do histórico Sultanahmet, o distrito mais turístico de Istambul, ontem, foi o terceiro ataque em seis meses. Em julho, 32 pessoas morreram em uma explosão em Suruc, na fronteira síria; em outubro, um duplo atentado na capital, Ancara, deixou cem mortos.
Erdogan responsabilizou o EI pelo ataque de ontem, mas declarou, ao mesmo tempo, que isso “não importa” porque não vê diferença entre este e o PKK. Mas importa e muito. Importa porque os curdos são as principais forças terrestres contra o EI, e o território sob seu controle é precisamente a longa faixa de fronteira com a Turquia. Qualquer engajamento de Ancara na Síria será retórico sem que envolva um acordo com o PKK. A obsessão de Erdogan com os curdos alimenta o sectarismo e o nacionalismo religioso, o que, por sua vez, fortalece grupos islamistas radicais. Além disso, desde os protestos de 2013 e, principalmente, após assegurar maioria nas eleições de junho, o presidente tem sido implacável contra a oposição secular e a mídia independente. Nós sabemos exatamente no que essa fórmula pode dar.
 
Oriente Mídia
 Via: http://noticia-final.blogspot.com.br/2016/01/analise-turquia-ruma-para-se-tornar.html

Nestor Cerveró cita Dilma, Lula e Collor em delação premiada

O ex-diretor da Petrobras citou a presidente Dilma Rousseff duas vezes no depoimento. O delator contou detalhes de um encontro com o senador Fernando Collor, em 2013. Ainda segundo Cerveró, a influência política de Collor começou em 2009, e foi concedida pelo então presidente Lula.

O pau não vai cantar (já está cantando) no Brasil

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão  serrao@alertatotal.net
Toda vez que a situação fica crítica e ameaçadora para o desgoverno do crime organizado, uma manobra tática se repete: o chamado quinto elemento, com intuito pré-revolucionário, aciona o mecanismo da radicalização violenta com o intuito de ganhar repercussão midiática. Seja na forma de arrastões em shoppings de luxo, explosões de caixas eletrônicos, invasões patrimoniais urbanas e rurais, assaltos ao comércio e indústria, sequestros relâmpagos em áreas nobres e aparentemente seguras, assassinatos brutais que causem comoção imediata ou estouros de vandalismo em manifestações públicas
(com causas aparentemente justas). São Paulo voltou a ver ontem como esta banca toca...
O fenômeno do emprego tático da violência revolucionária, descambando para o terrorismo, é mais que manjado ao longo da História. No Brasil, existem agentes conscientemente treinados para cumprir o objetivo principal de gerar tensão social e, sobretudo, medo - que contamina a maioria das pessoas, abrindo caminho para a "coragem" criminosa/revolucionária. O ambiente fica favorável à explosão social violenta no Brasil onde já são assassinadas quase 60 mil pessoas por ano em uma "guerra civil" não-declarada. Tudo tende a se agravar quando a única saída para uma profunda crise estrutural é a mudança do esgotado modelo estatal. A insegurança também cresce com a crise econômica: falência de empresas, desemprego e alta do custo de vida ajudam a encher o barril de pólvora.
A profunda crise política também ajuda a tornar o ambiente ainda mais explosivo. As pessoas comuns não só perdem a paciência com a classe dirigente como também não confiam mais nela para resolver os problemas mais elementares. Os políticos corruptos não ligam o "desconfiômetro". No entanto, a ação criminosa ou inação deles por incompetência contribui para a completa descrença em soluções politicamente negociadas. Neste clima, quando as instituições (praticamente rompidas) não conseguem indicar e adotar soluções práticas ou alternativas, fica escancarado o caminho para "aventureiros revolucionários profissionais", alguns travestidos de "salvadores da pátria".
Enquanto profissionais da guerrilha revolucionária (com fins ideológicos, com verniz esquerdista) agem abertamente, os cidadãos comuns, interligados nas redes sociais, aumentam sua mobilização para combater e tentar neutralizar a ação criminosa do Estado Capimunista Rentista Corrupto - que serve mal à sociedade, porém se serve "muito bem" dela. O objetivo tático imediato da organização criminosa é impedir que o movimento de bem consiga prosperar. A tendência, infelizmente, é que este conflito, cada vez mais aberto e claro, descambe em confronto violento direto.
Vale repetir por 13 x 13. Crises econômicas, quando se agravam e saem de controle, costumam derrubar governos ou abrir um atalho, mais rápido ou imediato, para uma profunda (ou radical) mudança na ordem institucional. Será neste momento que ficará evidente e vai eclodir, violentamente, a guerra entre a estrutura estatal criminosa e aqueles cidadãos que não a suportam. O conturbado e inconfiável ambiente político alimentam o caos. No horizonte, o risco de um magnicídio nunca esteve tão provável como agora. Na hora em que o pau cantar mais alto (pois já está cantando, nem tão silenciosamente assim), será a hora do salve-se quem puder. O resultado é imprevisível.
As Forças Armadas brasileiras trabalham, claramente, com esse cenário de radical desestruturação social com muita probabilidade de descambar em guerra civil. Só neste momento os militares admitem que podem promover uma intervenção. Chegar a tal ponto sem retorno pode não ser o ideal para o Brasil, porque a explosão de violência pode ceifar muitos brasileiros, como nunca antes ocorreu em nossa História. Exatamente porque o País jamais enfrentou situação semelhante (já que golpes de estado sempre conseguiram promover uma forçada "conciliação" para evitar a guerra civil de resultado imprevisível), é fundamental ficar atento agora.
Se o pirão econômico desandar de vez, a politicagem perder a capacidade de conciliação via conchavos, e a irresponsabilidade revolucionária de esquerda falar mais alto, com a colaboração direta das organizações criminosas, o Brasil pode mergulhar no completo caos social e institucional, com risco até de ocorrer fragmentação do território nacional - que interessa ao grande capital transnacional que controla e explora o Brasil, com a ajuda dos corruptos estrategicamente colocados no poder estatal - federal, estadual ou municipal.
O pau não vai cantar! Já está cantando no Brasil. A Revolução Brasileira, provavelmente nada pacífica, está em andamento. Só não enxerga quem prefere a cegueira política. Quem não entender o processo, e se omitir por covardia ou conveniência, tem tudo para se dar muito mal, quando o pau cantar mais alto.
Cinicamente hilário é ver a politicagem tupiniquim posando, conchavando e roubando como se nada de grave estivesse acontecendo...       
Ponto de encontro
Ventobras
Sempre 13

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

 O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 13 de Janeiro de 2016.

 http://www.alertatotal.net/2016/01/o-pau-nao-vai-cantar-ja-esta-cantando.html

Vídeo Mostra a Loucura da Paranoia Anti-terrorista nos EUA


Leia mais:O nível de loucura sob o pretexto de segurança que atingiu os EUA, está alcançando as alturas que todos nós deveríamos tomar nota.

O que acontece lá, em breve acontecerá com o mundo.


O seguinte vídeo, mostra o registro corporal que se viu submetida Vendela, uma menina de 10 anos no aeroporto norte-americano de Raleigh-Durham, Carolina do Norte, quando se dirigia com seu pai a San Diego.

A menina foi revistada e cima a baixo... porque carregava um suco em sua bagagem de mão semelhante ao da foto...

A revista completa, realizada pelos agentes da Administração de Segurança de Transporte de Estados, durou 2 minutos, mais uma hora na qual foram realizadas análises adicionais.

Se alguém tivesse dito há 20 anos que no futuro seriam revistadas crianças nos aeroportos como se fossem psicopatas terroristas, teriam-no chamado de louco.

Pouco a pouco, nos temos acostumado com abusos cada vez maiores. Esta é a loucura que estamos permitindo que nos submetam com o pretexto de luta contra o terrorismo... o mesmo terrorismo que promovem aqueles que nos vigiam, é claro...
"Síndrome do Cidadão Maltratado": O Impacto Psicológico da Propaganda de Guerra e o Terrorismo Patrocinado Pelo Estado
Autoridades Estão Usando Os Ataques de Paris para Avançar Novas Leis de Vigilância em Massa
Fontes:
- El Microlector: UN VIDEO MUESTRA LA LOCURA DE LA PARANOIA ANTI-TERRORISTA EN EEUU
Infowars: FATHER UPSET OVER TSA PAT-DOWN OF GIRL, 10


 http://www.anovaordemmundial.com/2016/01/video-mostra-a-loucura-da-paranoia-anti-terrorista-nos-eua.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+anovaordemmundial%2FPNpa+%28A+Nova+Ordem+Mundial%29

Tremores em Londrina: cientistas apresentam primeiros resultados

Depois que uma série de estrondos foi observada na cidade de Londrina, uma equipe de pesquisadores instalou diversos instrumentos com o objetivo de compreender o que está acontecendo na região. E os resultados começam a ser divulgados.

Registro sismografico de um tremor de 1,6 magnitude ocorrido em 11 de janeiro, as 00h39, no Jardim California, Londrina, PR.
Registro sismográfico de um tremor de 1,6 magnitude ocorrido em 11 de janeiro, as 00h39, no Jardim Califórnia, Londrina, PR.
Desde o final de 2015, os moradores do bairro Jardim Califórnia, em Londrina, PR, estão convivendo quase que diariamente com uma série de estrondos que parecem vir do subsolo. Não há uma causa aparente para o fenômeno, mas a intensidade e tremor são fortes o suficiente para provocar rachaduras nas paredes.
Diversas hipóteses foram levantadas, desde explosões em bolsões de gás da rede pública ou em obras da Sanepar (Companhia de Saneamento do Paraná), até possíveis infiltrações, desmoronamentos ou movimentações naturais de camadas abaixo do solo.
Aquela região do Estado do Paraná não é sismicamente ativa e uma resposta para a causa dos eventos só pode ser dada após uma análise criteriosa de dados sismográficos, que agora começam a ser coletados.

http://www.apolo11.com/terremoto_brasil.php?titulo=Tremores_em_Londrina_Pesquisadores_apresentam_primeiros_resultado&posic=dat_20160113-095712.inc
NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO