NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO

Siga este Blog

domingo, 10 de abril de 2016

Muito além do impeachment da Dilma-refém

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

$talinácio não tem jeito mesmo! Sexta-feira passada, em reunião com estudantes e profissionais de educação em São Paulo, o Presidentro Luiz Inácio Lula da Silva cometeu mais um "sincericídio", ao admitir que como será complicada a convivência dele com a refém Dilma Rousseff, caso assuma a Casa Covil e a Presidenta não sofra impeachment: "Se Fidel Castro e Che Guevara não couberam dentro de Cuba, como eu e a Dilma vamos caber dentro do Palácio?".

As palavras sinceras de Lula, sobre sua convivência impossível com Dilma sem noção, apenas confirmam que o modelo atual esgotou-se. É hora de partirmos, efetivamente, para a mudança, porque até o ex-petista José Antônio Dias Toffoli, mais jovem ministro do Supremo Tribunal Federal, já admite, publicamente, que os problemas vividos pelo País são "sistêmicos, profundos e não apenas conjunturais". Quando se começa a constatar que o problema brasileiro é estrutural, o pressuposto para a mudança já está claro. Basta definir o que, quando e como mudar.

É preciso ir muito além do carnavalesco processo de impeachment da Dilma refém. O culpado maior pelo desastre brasileiro atual é quem contribuiu, de qualquer jeito, para eleger e reeleger uma figura tão "incompetenta". Não importa se o afastamento dela, por impedimento que pode nem acontecer, seja ou não um "golpe" (como a petelândia e seus parceiros comunistas insistem). O fato concreto é que a maioria da sociedade brasileira não suporta mais sobreviver na estrutura vigente - fabricante e reprodutora de políticos tão ruins ou canalhas.

O protagonismo da Política precisa ser retomado pelo indivíduo, aquele que precisa ser um cidadão-eleitor-contribuinte mais correto, ético e consciente do que faz na hora em que delega poderes aos políticos. As grandes transformações humanas acontecem em momentos de grande dificuldades, quando os paradoxos desafiam os paradigmas, exigindo que as pessoas tentem se unir e inventem saídas para os problemas. O momento brasileiro exige que sejamos capazes de superar os enganadores discursos ideológicos radicais - que só alimentam os extremismos e as violências que só facilitam a governança do crime institucionalmente organizado.  

A coisa é mais feia que parece! Manchete dominical de O Globo chama atenção para um fenômeno recorrente no Brasil: "Projetos de Combate à Corrupção já enfrentam ataques no Congresso". A reportagem resume a tragédia: "Nos últimos dois anos, enquanto a Operação Lava-Jato revelava minúcias da corrupção no Brasil, inúmeros projetos foram apresentados ao Congresso para regular o tema. Em 2015, foram cerca de 200 proposições, cinco vezes a média dos últimos dez anos. O que se vê, no entanto, é que a preocupação com o assunto pode não resultar em maior resguardo da população brasileira. As propostas que tramitam com mais rapidez são justamente as que podem criar dificuldades para investigações ou embutem mecanismos que abrandam punições. No total, 528 proposições que versam sobre corrupção tramitam pelas comissões da Câmara dos Deputados e do Senado sem que se transformem em leis capazes de moralizar a administração pública. Algumas estão no Congresso há uma década".

Elementar, caro leitor Watson da Silva. O cidadão João Azevedo viralizou muito bem nas redes sociais a explicação para o fenômeno do complicado processo de combate à corrupção em Bruzundanga: "Não existem leis contra a corrupção, porque quem faz as leis são os corruptos". O resumo ainda poderia ir além no gravíssimo aspecto cultural. Quem elege os corruptos é, também, um povo moldado em uma estrutura estatal capimunista, rentista, corrupta e, essencialmente, antidemocrática. Logo, uma sociedade altamente corrompida e corrupta em seus valores essenciais, operando em regime de impunidade e insegurança do Direito, só pode alimentar a corrupção e produzir corruptos na política.

A solução para o Brasil é a Intervenção Cívica Constitucional. É necessário e urgente um amplo, livre e exaustivo debate para definir qual o Brasil desejável pela maioria que tenha fé na Política verdadeira. Temos de definir o que mudar e fazer isto no prazo combinado. Sem Democracia, segurança do Direito, através do exercício pleno da razão pública, não teremos Ordem Pública, a garantidora da vida civilizada. Uma Constituição que seja cumprida de forma consciente, sem necessidade de interpretações pelo Supremo Tribunal Federal ou pelos poderosos de plantão, é a base para reinventar o Brasil e permitir que ele se torna uma Nação próspera e realmente democrática - como nunca foi até hoje.

O gravíssimo momento de crise estrutural que passamos agora, com as instituições rompidas e corrompidas, é o momento exato para a ampla mobilização e debate dos cidadãos para mudar o Brasil para melhor. Conceitos corretos, muita tolerância e, sobretudo, vontade política de mudar são os ingredientes básicos para a inevitável Intervenção Cívica Constitucional.

Resumindo: Não basta torcer para os corruptos da política impedirem a Dilma. Não basta trocá-la por um outro fantoche qualquer. A nova marionete apenas seguirá a lógica canalha e corrupta da estrutura capimunista em vigor. A única solução é a Intervenção Cívica Constitucional. Os homens de gelo da Islândia fizeram isto. Os brasileiros deviam fazer o mesmo. Chega de golpes ideológicos! Tomemos vergonha na cara, uma boa dose de Democracia, e vamos combater a corrupção, o fisiologismo e o patrimonialismo - arraigados na cultura brasileira -, definindo o que, como e quando mudar.

Se não formos muito além do impeachment, quem acabará impedido somos nós, os cidadãos de bem e do bem.

Palácio do Desgoverno?


É do Royal Tulip Brasília, vizinho ao Palácio do Alvorada, que o Presidentro Lula opera como Ministro informal contra o Impeachment da Dilma.

Políticos e as meninas dos famossos books cor de rosa nunca conviveram tanto em um mesmo espaço...

Releia a edição de sábado: As consequências da quebradeira dos estados e municípios para o desgoverno do crime organizado


Meu garoto...




Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!


O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. 

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 10 de Abril de 2016.
NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO