Translate

Trabalhamos para divulgar notícias SOBRE: POLITICA, CURIOSIDADES, SAÚDE, ASTRONOMIA, UFOLOGIA, GUERRA, MISTÉRIOS E MUITO MAIS.Precisamos de sua ajuda, clique nas propagandas expostas no Blog, para manter nosso site no ar.

terça-feira, 22 de março de 2016

Lula, Dilma e PT acabaram com nosso maior patrimônio, divida da Petrobrás chega a R$ 34,8 bi e atinge recorde

O Plano de destruir nosso país, acabaram de vez com nosso maior patrimônio, a Petrobras hoje não tem mais valor. Após registrar prejuízo recorde de 21,58 bilhões de reais em 2014, a Petrobras voltou ao vermelho no ano passado. A estatal anunciou na noite desta segunda-feira um prejuízo líquido de 34,83 bilhões em 2015, rombo 61% superior ao ano anterior. Esta é apenas a segunda vez desde o início do século que a estatal reporta prejuízo em seu balanço anual. A empresa não soube informar se, em algum momento em seus mais de 60 anos de existência, a companhia registrou dois anos consecutivos de resultados negativos.
O resultado negativo de 2015 deveu-se especialmente ao prejuízo líquido de 36,93 bilhões de reais acumulado entre outubro e dezembro, montante 38,9% acima do prejuízo de 26,60 bilhões de reais reportado no mesmo período de 2014. O prejuízo anual prova o difícil momento por que passa a estatal desde 2014, quando tiveram início as investigações da Polícia Federal no âmbito da Operação Lava Jato.
O balanço de 2015 foi pressionado por uma combinação de fatos adversos, como perdas bilionárias na linha financeira, alta do dólar e queda abrupta na cotação internacional do petróleo. Além disso, a Petrobras informou nesta segunda-feira que o balanço anual também foi impactado por ajustes nos ativos imobilizados, processo conhecido como impairment, no total de 49,74 bilhões de reais. O ajuste de impairment tem origem no declínio dos preços do petróleo e foi um dos reflexos do aumento do risco Brasil ocorrido depois que a empresa deixar de ser considerada “grau de investimento” pelas agências de classificação de risco. A redução da demanda por combustíveis no mercado doméstico, acréscimo em despesas tributárias e maiores despesas com contingências judiciais também pesaram no ano.
voltar ao topo, inicio