NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

O Lobby contra a fosfoetanolamina sintética ganhou mais um aliado, a Academia Brasileira de Ciências

Apos de ser revelado o Lobby contra a fosfoetanolamina sintética promovido pela Rede Globo, Anvisa e banqueiros internacionais, o mais novo membro para combater esta substância é a Academia Brasileira de Ciências(ABC).
Em comunicado publicado no dia 03/11/2015 esta organização, que não parece representar a Ciência, declarou este absurdo:
Para a entidade, como a substância não tem sequer sua segurança inteiramente mapeada, nem indicação para uma doença para a qual não existe tratamento disponível, não há justificativa para acelerar o seu desenvolvimento.
Isto é totalmente falso, a fostoetanolamina é uma substância segura, existente no próprio corpo e utilizada há mais de 50 anos no exterior e em suplementos alimentares.
A vida de milhões de pessoas ameaçadas com o câncer não é uma justificativa para acelerar o desenvolvimento dos estudos com a fosfoetanolamina?
A ABC está literalmente dizendo que parem de fazer as pesquisas e testes com este composto e que deixem que milhões de pessoas morram de câncer. Uma declaração como esta pode perfeitamente ser interpretada como uma declaração eugenista, típica de genocidas como os da Fundação Rockefeller, que promovem a redução populacional global.
A Academia de Ciências não só mente sobre o composto como “contraindica o seu uso em humanos”, mesmo com as provas demonstrando que a fosfo é segura e que já foi estudada há muito tempo. Deixa em evidência que está totalmente contra o desenvolvimento das pesquisas e se coloca ao lado dos milionários produtos do cartel farmacêutico sionista.
Então aqui temos um artigo publicado pela British Journal Cancer, reproduzido pela Nature, onde a fosfoetanolamina é testada em mestástase pulmonar in vivo ein vitro e outro publicado pela US National Library of Medicine National Institutes of Health.
Apresentação: Mostramos recentemente que a fosfoetanolamina sintética reduz o crescimento do tumor e inibe a metástase pulmonar in vivo. Aqui, nós investigamos os seus efeitos anti-leucemia utilizando leucemia promielocítica aguda (APL) como um modelo.
Resultados: A fosfoetanolamina sintética citotóxica induz a apoptose através da via mitocondrial in vitro linhas celulares de leucemia. efeitos antiproliferativos in vivo a s exposições no modelo de reduzindo o número de CD117 -1 células mielóides imaturas na , baço e fígado. A fosfoetanolamina sintética impede a expansão dos clones malignos CD117 , 1 . Além disso, a s induz a apoptose células imaturas no baço fígado, um efeito notável.
Apresentação: Os fosfolípidos antineoplásicos (ALPS) representam uma classe promissora de drogas com um novo modo de ação submetido a rotação rápida na membrana celular de tumores, interfere com a transdução do sinal de lípidos, induz a morte celular. O objetivo deste estudo foi investigar a fosfoetanolamina sintética (Pho-s) como um novo agente anticancerígeno.
Resultados: Estes resultados sugerem que s potencial candidato a droga anticâncer.
Para acessar a outras publicações científicas clique neste link.
Continuando a leitura da notícia, encontramos outra afirmação da ABC que já foi desmentida pelo Dr. Chierice no Senado.
Não existe um tipo único de câncer, mas uma enorme gama de doenças médicas caracterizadas pelo crescimento exagerado e descoordenado de células cancerosas (câncer). Para cada caso particular de câncer, há a necessidade da demonstração da eficácia clínica
Esta é mais uma mentira. O Dr. Chierice explicou na Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado realizada no dia 29/10/2015 que dos mais de “100 tipos” de câncer, só existe um tipo de célula cancerígena, que é a anaeróbica. Portanto, o que a fosfoetanolamina faz é marcar estas células para que o próprio organismo as identifique e promova a apoptose(morte celular) destas células, conforme os estudos publicados mais acima. Sendo assim, a fosfoetanolamina permite que qualquer tipo de câncer seja combatido.
O que as drogas da BigPharma faz é atacar a TODAS as células, ataca as cancerígenas e as sadias, promovendo o debilitamento do sistema imunológico do paciente. Ou seja, não só não garante a cura da doença como ajuda a matar o paciente. Sem falar nos terríveis efeitos colaterais como queda de cabelo e náuseas.
Qualquer estudante do 2º Grau de Química ou Biologia é capaz de entender o simples conceito do funcionamento da fosfoetanolamina. Se acham que o Dr. Chierice está mentindo, então provem com documentos que ele está errado, ele mesmo fez este desafio no Senado. Alguém acha que ele iria arriscar 47 anos de pesquisa, 500 trabalhos publicados e 80 teses defendidas em algo que não tivesse certeza? O Dr. Chierice mostrou as suas cartas, agora os cretinos que protegem o cartel sionista farmacêutico que mostrem as suas. Vamos ver quem está mentido.
O que não se sabe ainda é como o organismo começa a multiplicação dessas células e nesta notícia publicada por RT em 01/11/2015, os cientistas dizem que a resposta pode estar no DNA não mapeado pela ciência.
Os idiotas chamam a maior parte do DNA não mapeado de “DNA lixo”. Esse é o nível dos “cientistas” do establisment. Quando não entendem algo ou é incoveniente a sua revelação, rotulam como algo negativo, para que outra pessoa não se anima a investigar.
O mito dos “100 tipos de câncer diferentes” deve ter sido criado pelo cartel farmacêutico, para fabricar uma variedade de produtos e lucrar com diversos “medicamentos” para “diferentes tipos de câncer”, a preços variados e cada vez mais custosos. O que poderia existir são 100 formas diferentes que os genes disparam o mecanismo de produção celular cancerígena. Mas o tratamento é um só, identificando as células cancerígenas e permitindo que o próprio sistema imunológico as elimine.
Mais à frente, a ABC alega o seguinte em seu comunicado:
No caso da fosfoetanolamina, a maioria das etapas descritas e indispensáveis necessárias para que a molécula se torne um medicamento com provas cientificas de eficácia e segurança não foram conduzidas
Mais uma mentira. O Dr. Meneguelo, assim como o Dr. Durvanei Augusto Maria, bioquímico do Instituto Butantan, mostraram que possuem as evidências. Os testes clínicos em humanos foram realizados no Hospital Amaral Carvalho de Jaú, sob as regras do Ministério da Saúde, com autorizações e documentos.
Em seguida, a matéria coloca uma série de 6 tópicos declarados pelos “acadêmicos” da ABC:
1) Não há garantia da segurança da produção e estabilidade química entre os vários lotes;
E o que estão esperando para começar os testes necessários e comprovar esta afirmação? Ficar tagarelando que “não existe” não vai ajudar as pessoas que estão com os dias contados para morrer de câncer. Façam algo!
2) Não há evidências disponíveis que demonstrem a segurança (toxicologia) e a eficácia da molécula em estudos pré-clínicos;
Falso! O Dr. Chierice revelou que testes foram realizados no Hospital Amaral Carvalho e as evidências estão com o Hospital. Por que nenhuma equipe de reportagem de TV ou jornal até agora não foi lá investigar o que aconteceu com os testes clínicos? As evidências estão com o Hospital, exijam que as apresente.
3) Não existem estudos clínicos demonstrando detalhes da farmacocinética da substância (que define a frequência que a mesma deverá ser utilizada em seres humanos). Tais estudos clínicos só podem ser realizados após a conclusão dos estudos não clínicos;
Novamente a ABC tenta enterrar tudo que foi divulgado da fosfoetanolamina com mentiras, pois existem estudos publicados e o Dr. Chierice declarou que os resultados dos testes estão com o Hospital Amaral Carvalho. Que isto seja investigado.
4) Não existem estudos clínicos demonstrando a segurança toxicológica do uso da molécula em seres humanos;
Falso! Como citado antes, o Hospital Amaral Carvalho chegou à etapa dos testes clínicos em humanos seguindo as regras do Ministério da Saúde, mas nunca divulgou os resultados. Além disso, há mais de 20 anos que centenas de pessoas usam a fosfoetanolamina sintética para tratar o câncer e nenhum dos pacientes relatou algum problema. Pelo contrário, os relatos são todos positivos. Além disso, está comprovado que é uma substância segura e é utilizada nos EUA como suplemento alimentar.
5) Não existem estudos clínicos demonstrando a eficácia da molécula e, em especial, a eficácia comparativa da molécula em relação a outros tratamentos já existentes;
Já que querem ignorar o que o Dr. Chierice e o resto de sua equipe disseram no Senado, por que não promovem a campanha pedindo os testes clínicos? Do que estão com medo? A que se deve tanta propaganda negativa contra uma substância que existe no próprio corpo humano?
6) Finalmente, não há o desenvolvimento da molécula para uma doença específica para a qual não existe tratamento; não há justificativa para o desenvolvimento acelerado da mesma, em especial tendo em vista a ausência de estudos de segurança pré-clínica e clínica.
Burocracia misturada com mentiras não cola no mundo da internet. Pode ser que tenha efeito quando divulgada na sionista Rede Globo, mas para aqueles que possuem internet a propaganda não funciona. A resposta está na internet e é fácil obter as informações necessárias para saber a verdade.
Neste link é possível consultar os estudos realizados com a fosfoetanolamina sintética. E quando se pesquisa sobre esta substância na internet aparece esta informação:
E finalmente o comunicado finaliza com o seguinte:
O texto conclui que a molécula está “em fase ainda muito preliminar de desenvolvimento e que está muito distante de poder ser recomendada para uso como medicamento em seres humanos.”
Como pode estar “distante para ser recomendada” se é uma substância que existe no próprio corpo e que já usada em suplementos em todo o mundo? Se duvidam das pesquisas realizadas pelo Dr. Chierice durante mais de 25 anos, é só fazer os testes clínicos. Do que estão com medo?
Vemos que todo este discurso da ABC beneficia somente ao cartel dos grandes laboratórios. Lendo o comunicado se percebe que não estão interessados em defender os doentes. Começam o texto baseando seus argumentos na sionista e criminosa FDA(Food and Drug Administration), que nada mais é do que umafachada dos grandes laboratórios sob controle da banca sionista Rothschild/Rockefeller.
Enquanto isso, os transgênicos da Monsanto, Cargill, Syngenta e Basf continuam envenenando(provocando o câncer) e matando populações em todo o mundo. Sem falar na industria do tabaco, refrigerantes e toda a porcaria cancerígena produzida pelas multinacionais dos “alimentos”.
Propaganda
Esse químico, vulgarmente conhecido como  glifosato, tornou-se dominante na Argentina e nos EUA, desde  que a Monsanto lançou sua linha de culturas geneticamente modificadas concebidos para suportar a aplicação pesada do herbicida, em meados da década de 1990.
Na época, as culturas “Roundup Ready” da Monsanto foram apregoadas como revolucionárias: por que as culturas poderiam tolerar o glifosato, disse a empresa, os agricultores acabariam usando menos herbicida. De qualquer forma,  o glifosato foi considerado uma alternativa muito mais segura do que outros herbicidas químicos no mercado.
Após algumas décadas, quanta diferença! Como um grande número de ervas daninhas, para as quais o glifosato deveria combater, desenvolveram sua própria resistência química ao produto, muitos agricultores foram forçados a despejar quantidades cada vez maiores do herbicida em seus campos para combater uma epidemia crescente de “super- ervas daninhas”.
Quanto ao  impacto supostamente benigno do glifosato sobre a saúde humana, a declaração recente da OMS de que o produto químico é provavelmente cancerígeno só tem acrescentado ao que os críticos dizem que é a crescente evidência de que o uso excessivo do glifosato está causando estragos nas vidas daqueles que vivem e trabalham em comunidades agrícolas.
Em 2013, uma investigação feita pela Associação de Imprensa descobriu  taxas de câncer na província de Santa Fé da Argentina, o centro da indústria de soja do país, de duas a quatro vezes superior à média nacional, enquanto as taxas de defeitos congênitos em outras regiões de cultivo foram  quatro vezes mais elevados. Como um pediatra e ativista de saúde pública mencionou “As mudanças na forma como a agricultura é produzida, francamente, contribuiu para uma mudança no perfil das doenças. Passamos de uma população muito saudável para uma com  alto índice de câncer, defeitos de nascença e doenças raramente vistas antes. ”
Fesprosa emitiu uma declaração dizendo que o glifosato “não só provoca câncer, ele também está associado com o aumento de abortos espontâneos, defeitos congênitos, doenças de pele e doenças respiratórias e neurológicas
Enquanto a Monsanto é banida em diversos países da Europa e inclusive na Rússia, a Argentina e Brasil possuem vastas plantações cancerígenas desta demoníaca corporação.
Tanto a Mosanto como outras multinacionais que provocam o câncer possuem Lobby nos governos sulamericanos, financiam campanha de políticos e assim conseguem criar leis que favorecem os seus interesses financeiros e eugenésicos. Devido à este Lobby, 90% da população argentina está contaminada pelo cancerígeno glifosato da sionista Monsanto.
Acaso ninguém percebeu que a industria farmacêutica e as multinacionais dos agrotóxicos possuem os mesmos acionistas(banqueiros) e que lucram nas duas pontas? Primeiro lucram e dominam a produção dos “alimentos” com substâncias cancerígenas, depois lucram novamente com os quimioterápicos e radioterapia.
Estas valiosas informações, a Anvisa e Academia de Ciências ignoram e não passam para a população. Por que será?

NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO

Disso Você Sabia ? no Facebook