Siga este Blog

quarta-feira, 13 de maio de 2015

6 doenças bizarras que parecem impossíveis

O corpo é insuperável na capacidade de desencadear novos horrores quando menos esperamos. Conheça 6 doenaças bizarras que parecem impossíveis.

Para que você esteja preparado, e para que os hipocondríacos tenham algo novo com o qual ficarem obcecados, mostramos-lhe em seguida algumas doenças bizarras que parecem impossíveis.

6. Um dia, seu rosto pode ser chupado para dentro

A síndrome de Parry-Romberg faz com que a pele e os tecidos moles de metade de seu rosto lentamente sejam encolhidos, ou seja, chupados para dentro. Por que apenas metade? Boa pergunta. E como só te desfigurar não é suficiente (obviamente), a síndrome também descolore a pele, afunda seu globo ocular para trás em seu crânio, e faz com que a sua mandíbula pare de abrir corretamente. Alguns azarados ainda experimentam efeitos colaterais adicionais como enxaquecas, convulsões e espasmos musculares na metade da face que é supostamente normal.

Se por acaso a única coisa que te incomoda sobre Parry-Romberg é a sua forma assimétrica, permita-nos mostrar-lhe a lipodistrofia. Lipodistrofia se traduz em “perda de gordura”, o que normalmente pensamos que é uma coisa boa, mas não é. Aparentemente, uma boa camada de gordura é o que dá a sua cara tudo o que a torna reconhecível, como bochechas e lábios.

A lipodistrofia é um efeito colateral comum de medicamentos antirretrovirais potentes, o que significa que mesmo depois de ter contraído o HIV, o universo ainda não está completamente contente em te ferrar. Mas ninguém está livre da condição evitando o HIV. Existem dezenas de fatores, de causas ambientais a genéticas, que podem levar à doença.

5. Você pode se transformar de repente em um Smurf

Argiria é o que acontece quando uma pessoa tem excesso de prata coloidal em seu sistema. A prata é uma daquelas substâncias que seu corpo simplesmente não sabe o que fazer com ela. Então, ao invés de defecar joias, a solução que ele encontra é depositar essa prata em sua pele, olhos e mucosas. Resultado? Você vê acima.

É isso mesmo: quando prata suficiente se acumula no seu corpo, você parece um figurante daquele filme de James Cameron que o mundo inteiro assistiu, mas já esqueceu. Ainda não há tratamento para a condição. Uma vez que se estabelece, prepare-se para uma vida inteira se parecendo como um negativo fotográfico.

E não pense que você está livre da argiria porque não trabalha em uma mina de prata nem engoliu nenhum anel recentemente. Nas últimas décadas, a prata coloidal tem sido apontada como uma verdadeira maravilha da medicina alternativa, com seus defensores alegando que cura tudo, desde alergias a um caso crônico de coceira na bunda.

A Administração de Drogas e Alimentos americana desaprova oficialmente a prata coloidal em medicamentos, mas, devido às suas propriedades antimicrobianas, a substância é encontrada em vários itens de uso comum, como meias, curativos e colírios. Mas tenha calma: é preciso uma overdose maciça do material para ativar o Modo Smurf.

4. Seus olhos podem começar a ver o passado

Sabe aqueles negativos os quais você pode encarar por 30 segundos e depois desviar os olhos, para realmente ver a imagem que eles representam? Agora, imagine que a pós-imagem que flutua na frente de seu olho não desaparece, mas sim dura dias ou mesmo semanas? Isso, meninos e meninas, é palinopsia. Palinopsia é um termo genérico para uma gama de maus funcionamentos cerebrais que podem fazer com que imagens “grudem” no cérebro.

Em um caso, médicos descobriram um tumor cerebral em um homem de 73 depois que ele perguntou a sua esposa quem tinha saído da sala (o que tinha acontecido 15 minutos mais cedo). Sim, seus olhos tinham-lhe dado uma forma muito específica e inútil de viagem no tempo.

Como isso é possível? Bem, nós vemos com o cérebro, não com os olhos. E, às vezes, o cérebro faz caca. Por exemplo, cerca de 20 a 30% das pessoas que perdem a visão acabam tendo alucinações visuais mais tarde – de formas geométricas aleatórias a cenas de animais complexos.

Essa é a chamada síndrome de Charles Bonnet, em homenagem a um cara que, no final do século 18, catalogou as visões de seu avô cego, que incluíam desde edifícios a aves. A condição ocorre com muitas pessoas de outra forma saudáveis – é só seus cérebros tentando preencher as lacunas de informação que os olhos sempre foram encarregados de preencher (da mesma forma que um amputado às vezes relata sensações em um membro fantasma).

3. Palavras escritas de repente podem se transformar numa confusão

Imagine que, em uma bela manhã, você pegue o jornal na frente de sua casa só para descobrir que não consegue lê-lo. As letras estão lá, mas tão embaralhadas e sem sentido para você que você olha pela janela para ver se não foi teletransportado para o Japão. Não é o caso. Então, você pega seu celular para ler as notícias, e descobre que ainda não consegue ler nada.

Isso foi precisamente o que aconteceu com Howard Engel, um escritor que se deparou com essa condição bizarra em 2001. O que foi a causa dessa maluquice? Um derrame. Um acidente vascular cerebral afetou a área visual no lado esquerdo de seu cérebro.

E, mesmo que Engel não pudesse ler uma palavra, ainda podia escrever. O termo técnico para essa condição é alexia sem agrafia – para simplificar, é o que acontece quando uma parte específica do seu cérebro (a que permite a leitura) se desconecta.

Se você está interessado em saber quão provável isso é de acontecer com você, bom, pouquíssimo, tendo em vista que é o resultado de uma pequena explosão em uma parte muito específica do cérebro. Mas, se acontecer, pelo menos você já sabe o que é – não precisa sair correndo e gritando em pânico.

2. Você pode perder completamente sua capacidade de dormir

Rhett Lamb era um menino de 3 anos de idade normal, com uma leve exceção: não dormia. E quando dizemos que não dormia, não queremos dizer que tinha dificuldade e ficava se revirando à noite. Queremos dizer que ele, literalmente, nunca dormia.

Não era nada que os pais de Rhett tinham feito. Na verdade, a criança sofria de uma malformação de Chiari, uma condição muito rara em que parte do seu cérebro é esmagada pela coluna vertebral em vez de ficar em seu crânio, como um bom pequeno cérebro deveria. Especificamente, isso acontece com a parte do cérebro responsável por funções cruciais corporais, como a fala e o sono.

Tal como acontece com tantas condições em que o nosso cérebro renega sua obrigação, os cientistas não sabem exatamente por que isso acontece. Felizmente, a doença é muitas vezes tratável. No caso de Rhett, cirurgiões removeram certos ossos extras, fazendo com que seu cérebro voltasse ao seu lugar correto e permitindo que Rhett montasse dinossauros em seus sonhos pela primeira vez na vida. Se ele tivesse sido menos afortunado, poderia simplesmente ter esquecido de fazer outras funções corporais essenciais, como respirar.

1. Você pode inchar como um balão sem aviso

Se pudéssemos revisitar o assunto de “palavras que nunca queremos ouvir de um médico”, provavelmente adicionaríamos “vazar” à lista. Se é uma coisa que você não quer que seu carro ou sua geladeira façam, é uma coisa que você não quer fazer. Caso contrário, você pode acabar com algo como a doença de Clarkson, também chamada de síndrome de extravasamento capilar sistêmico.

A condição é o que acontece quando seus vasos sanguíneos começam a vazar plasma à toa. Isso não significa que você vai sangrar o tempo todo. Na verdade, todo esse fluido extra vai parar nos tecidos esponjosos de sua pele e órgãos vitais. Então você começa a expandir como um balão.

Episódios geralmente levam cerca de três dias para chegar a um pico, tempo durante o qual você vai passar a se parecer com uma beluga. O único tratamento é esperar. E, caso você não esteja aterrorizado o suficiente, fique sabendo que todo episódio tem o potencial de ser fatal – a qualquer momento, um de seus órgãos vitais pode explodir.

Dissemos “episódios” porque, depois do primeiro ataque, você vai passar o resto de sua vida inflando e desinflando aleatoriamente, como se tivesse sido amaldiçoado por algum feiticeiro poderoso que te ouviu fazendo piadas de gordo sobre ele. Os cientistas sabem aproximadamente nada sobre a doença. Os casos são tão raros que, provavelmente, não vamos descobrir mais nada em breve também.

O que sabemos (e que não é nada animador) é que não há um padrão quanto a quem e quando a condição ataca, embora os pesquisadores creiam que ela geralmente se desenvolve após uma infecção do trato respiratório superior. Ou seja, o próximo resfriado que você pegar pode ser o que vai o transformar em um saco inchado de plasma e pesadelos.

Measure
Measure
NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO