Siga este Blog

sexta-feira, 13 de março de 2015

Washington está conduzindo o mundo à guerra final

(08-03-2015) Com seu contundente modo de escrever e seu firme compromisso com a integridade, John Pilger é o tipo de jornalista bem informado que já não se vê nos meios de comunicação ocidentais. Nesta corrida, sem dúvida é um dos melhores.
Num artigo publicado no mês passado, ele proporcionou uma importante quantidade de informações impressionantes sobre um dos temas que a mim mais interessam – a criação de uma realidade artificial por Washington e seus vassalos da OTAN, uma realidade na que Washington incluiu a todo o mundo ocidental enquanto ele de fora inspira ser parte da mesma. Porém, nesta realidade em sua totalidade consiste em propagandas. Os ocidentais vivem numa realidade parecida ao filme The Matrix, e os presstituistas os mantêm ali. The New York Times, Wall Street Journal, NPR, e os canais de televisão desempenham o papel de agentes (como no filme Matrix) que tentam suprimir ativamente qualquer sinal da realidade factível.
Os ocidentais não têm noção alguma das verdadeiras razões de intervenção assassina de Washington na Yugoslavia, Oriente Médio, Afeganistão, Líbia, Ucrânia, Indonésia, ou América Latina. As pessoas, muito ignorantes para reconhecer as mentiras, são alimentadas com as mentiras mais óbvias. As mentiras custaram um grande número de mortos e feridos, e conduzem o Ocidente diretamente a uma guerra com Rússia e China.
Provávelmente seja muito tarde para deter esta guerra. A guerra é inevitável, porque a doutrina da hegemonia mundial de Washington não permite a existência de outros países fortes com as políticas exteriores independentes. A menos que a “casa de papelão” de economia estadunidense desmorone, a única opção que resta à Rússia e China para evitar a guerra é aceitar o senhorio de Washington.
O mesmo John Pilger fala de crescer na Matrix ao igual que todos nós:
“Cresci numa cena cinematográfica da glória estadunidense, quase toda ela uma manipulação. Não tinha ideia de que era o Exército Vermelho que tinha destruído a maior parte das máquinas de guerra dos nazis”.
Duvido que inclusive os mais decididos de nós sejam alguma vez completamente livres da desinformação na que estamos doutrinados. O mesmo Pilger ainda mostra rastros dela quando assume que Hitler começou a Segunda Guerra Mundial com sua invasão, quando na realidade foram  Reino Unido e França os que iniciaram a Segunda Guerra Mundial declarando a guerra à Alemanha. A invasão de Hitler foi uma resposta a esta declaração de guerra. Desde o primeiro dia, a propaganda dizia que a Alemanha tinha começado a Segunda Guerra Mundial e tinha comprometido os Exércitos do Reino Unido e França nela. Esta mentira foi consagrada em 1946 na sentença do Tribunal de Nuremberg, que reconheceu a Alemanha como a culpada pelo “crime internacional supremo por iniciar uma guerra”.
Os regimes de Clinton, George W. Bush, e Obama são mais culpados de “crime internacional supremo” que Alemanha nacional-socialista de então. Hoje os enlouquecidos belicistas de Washington estão conduzindo o país a uma guerra com a Rússia.
Esses patéticos estadunidenses que acreditam que seu governo é tão bom e puro, que só comete agressões por erro e que nunca “mata a sua própria gente”, devem lembrar a resposta que deu o alto mando estadunidense ao relatório que indicava que os prisioneiros estadunidenses de guerra estavam em Nagasaki: “Metas préviamente assignadas para Centerboard (a bomba atômica) permanecem sem mudanças”. A Washington não lhe importava nem seus próprios soldados nem os civís inocentes de um país cujo governo estava tratando desesperadamente de render-se. Se você têm alguma dúvida de que toda a história dos Estados Unidos é uma de assassinato e caos, é necessário que leia a história das pessoas dos Estados Unidos escrito por de Howard Zinn.
Os nazis regressaram. Eles estão instalados nos Governos dos EUA, no Reino Unido e Alemanha. Os novos nazis se asseguraram de que todos os anos deste século aconteça uma nova guerra.
Escrito por: Dr. Paul Craig Roberts
Dr. Paul Craig Roberts foi secretário adjunto do Tesouro dos EUA e editor associado do Wall Street Journal. Foi colunista da revista Business Week, Scripps Howard News Service, e Creators Syndicate. Suas colunas publicadas em diferentes sites, assim como as palestras que dá em diferentes universidades, atraem um grande número de leitores e ouvintes. Os últimos livros de Roberts são Failure of Laissez Faire Capitalism, Economic Dissolution of the West e How America Was Lost.
Fonte: hispantv.com
Caminho Alternativo
Via: http://noticia-final.blogspot.com.br/2015/03/washington-esta-conduzindo-o-mundo.html
NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO