NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO

Siga este Blog

sexta-feira, 27 de março de 2015

Máfia que desviava bilhões com fraudes em julgamentos tributários espõe "gestapo fiscal" contra contribuintes

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão  serrao@alertatotal.net
Mensalão, Petrolão, Impostão - cada escândalo consegue superar o anterior em sofisticação e quantidade de bilhões em roubalheiras. Neste cenário de corrupção estrutural, onde a máquina estatal funciona como uma "gestapo" que extorque o cidadão-eleitor-contribuinte, alguém consegue ainda ficar surpreso quando a Polícia Federal lança a Operação Zelotes, a fim de desarticular uma organização suspeita de roubar R$ 19 bilhões dos cofres públicos, fraudando julgamentos de processos no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), do Ministério da Fazenda?
Tal aberração é "normal" em um Brasil que^tem em vigor 92 impostos, taxas ou contribuições. O Estado Capimunista tupiniquim promove um confisco mensal através do “Imposto de Renda”. A tungada na fonte, sem defesa, sobre os salários ajuda a piorar a situação do bolso de quem sofre com o “aumento real do custo de vida” ou “perda do poder de compra”. O modelo inferniza a vida de quem precisa consumir, pagar as contas obrigatórias do mês ou quitar empréstimos a juros absurdos cobrados por bancos e cartões de crédito. Ferra até o governo - sem recurso previsto no orçamento até para o IBGE fazer a contagem da população brasileira...  
A tributação média sobre o consumo chega a 49%. Vale para pobres ou para ricos. Produzir, sem a tentação de sonegar, é quase impossível. Somos penalizados por seis terríveis impostos sobre bens e serviços: IPI, Cofins, PIS, Cide, ISS e ICMs. Lucrar no Brasil é considerado um pecado mortal para o empresário. O Imposto de Renda Pessoa Jurídica e Contribuição Social sobre Lucro Líquido confiscam a lucratividade. Quem trabalha e produz é penalizado e perseguido pelo Estado. No jogo de extorsão, as máfias se reproduzem - como a que foi pega agora, que atuava desde 2005, só foi investigada a partir de 2013 e começa a ser enquadrada pelo Ministério Público neste 2015 pródigo em escândalos.
Por isso é urgente rever o sistema tributário. A ideia do “Imposto Justo”, cobrado de uma única vez, de forma transparente, visível na nota fiscal, é a mais viável. A maioria dos demais impostos pode ser abolida se a máquina pública gastar, desperdiçar e roubar menos. Nos últimos 25 anos, desde a Constituição de 88, segundo o IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário) foram criadas 155.954 normas federais na área tributária.
Não é à toa que a massa, aos milhões sai às ruas para protestar. A maioria não aguenta mais impostos elevados, juros altíssimos, custo de vida subindo, violência saindo do controle, governo ineficiente, perdulário e comandado por uma classe política corrupta, mentirosa, desqualificada e humanamente nojenta. A Lava Jato, acaba virando peixe-pequeno. Nela, os corruptos teriam desviado uns R$ 2,1 bilhões da Petrobras. Agora se fala em desvios de R$ 19 bilhões. A PF conseguiu identificar que em algumas negociações os corruptos recebiam entre 1% e 10% das multas que teriam que ser pagas pelos contribuintes. Os investigados responderão pelos crimes de advocacia administrativa fazendária, tráfico de influência, corrupção passiva e ativa, associação criminosa, organização criminosa e lavagem de dinheiro.
O problema é que, se não houver uma profunda mudança no modelo estatal e no sistema tributário no Brasil, a Operação Zelotes será mais uma a enxugar gelo - como tantas outras em que os ladrões se locupletam e terminam impunes. A nova política de tributos precisa vir acompanhada de um sistema que torne pública e transparente, via internet, a execução do orçamento e da contabilidade pública. A pressão direta e constante do cidadão-eleitor-contribuinte é a única saída para que ocorra uma efetiva fiscalização sobre o gasto e investimento público, evitando desperdícios.
Atualmente, o setor público brasileiro é uma caixa preta. Escancará-la é fundamental. Sem isso, fica impossível destinar mais recursos para Educação, Saúde, Segurança, Infraestrutura e etc. O dinheiro aplicado vai para o lixo! Ou melhor, ruma direta ou indiretamente para as contas dos ladrões tupiniquins, que o lavam, aqui e no exterior. A grana vai e volta, na forma de "negócios" e pretensos “investimentos estrangeiros diretos”. Aplica-se na bolsa, na fusão e aquisição de empresas, na compra de imóveis ou em outros "empreendimento" e formas de lavar dinheiro, de forma aparentemente legalizada ou flagrantemente criminosa.
Junto com a reforma tributária, o Brasil precisa resolver alguns problemas prioritários: acabar com a reeleição; tornar o voto facultativo (e não obrigatório); permitir a auditoria e recontagem do voto, impresso, no sistema eletrônico; aceitar candidaturas avulsas para cargos majoritários, independentemente dos partidos; abolir o imposto sindical, tornando livre a contribuição associativa; acabar com a “profissão” de político, reduzindo ao mínimo a remuneração do representante legislativo.
Se a multidão não cobrar nas ruas por tais mudanças, de forma estruturada, focada e objetiva, tudo continuará como dantes no País corrupto do Abrantes... Se não houver pressão, Dilma permanecerá no poder, refém de tudo e de todos, feito uma "marioneta", alegando: "A corrupção é uma senhora idosa e não poupa ninguém. Pode estar em todo lugar, inclusive no setor privado"... E a gente vai ter que concordar com ela...
CPI dos Fundos de Pensão
Do ativista Sérgio Salgado, fazendo uma campanha junto a deputados e senadores para a abertura de uma CPI que investigue as falcatruas bilionárias nos fundos de pensão brasileiros, que já geram prejuízos incalculáveis a aposentados e pensionistas, com alto risco também para negócios em que os fundos investem:
"Lembro a todos que o nosso caso já é dramático. Ficar esperando acontecer o 3º déficit é suicídio, considerando que alguns jornalistas começam a criticar a ideia de que as patrocinadoras, culpadas por tudo isso, junto com o Governo Federal, sejam obrigados a aportar o que lhes cabe. Na cabeça deles, idoso é teimoso nessa história de querer sobreviver e deveria passar fome e morrer depressa. Receberam nossas denúncias há vários anos e ficaram sentados sem nada apurar e agora que o previsto acontece, a resposta deles é: paguem vocês que nós não temos nada com isso".

Sérgio Salgado foi suplente do Conselho Fiscal da Petros, o fundo de pensão dos empregados da Petrobras, entre 2007-2011, e soltou para os senadores o artigo que publicamos, abaixo: Da importância de se fazer uma CPI da Petros e demais fundos de pensão

Absolutamente sem graça...
Foi dose para Leão da Receita as sete horas que Maria das Graças Foster passou depondo ontem na CPI da Petrobras - mais uma armada para terminar em pizza...
Novamente, prevaleceu a velha tese Lulo-dilmiana de que ninguém em postos chaves no governo sabe de nada quando acontece algo muito errado...
O depoimento dela de nada acrescentou no lenga-lenga político montado apenas para deixar o desgoverno acuado, enquanto a classe política finge que dá alguma satisfação à opinião pública sobre a roubalheira sistêmica na Petrobras - que tudo indica ser mais grave ainda em toda a máquina estatal brasileira.
Um dos ápices foi quando afirmou que sentia "muita vergonha" do esquema de corrupção na Petrobras...
Frases sem Graça 

Algumas pérolas do depoimento de Graça Foster, ex-presidente da Petrobras:
"Se a corrupção era sistêmica ou institucionalizada... a partir do momento que eu não sabia, só soube depois da Operação Lava-Jato, eu não posso concordar que a corrupção era sistêmica".
"Eu tenho certeza de que serei criticada pelo que falo, mas reconheço que a LavaJato faz um bem para a Petrobras, apesar de todo o transtorno, que não é da polícia mas de nós mesmos".
"Eu não sei quem indicou Renato Duque, Cerveró ou Paulo Roberto Costa".
"Eu não tinha relação nenhuma com empreiteiros".
Sincericídio?
Na CPI da Petrobras, Graça cometeu alguns momentos de puro "sincericídio":
"Temos um sistema que não detectou os desvios. A Petrobras merecia uma presidente mais eficiente do que eu na gestão. Não acredito na gestão perfeita. Acredito na melhoria da gestão sempre. Assim, criamos a Diretoria de Governança e Compliance, com o primeiro diretor independente, contratado por um headhunter, sem ser indicado por gestores da estatal".
"Tenho dificuldade de aceitar como um gerente no meio da linha hierárquica pudesse ganhar propina isoladamente, sem outras pessoas"
"O Barusco era um engenheiro naval admirável. Quando a gente ouve ele falar aquelas coisas, nós pensamos que estamos em outro planeta".
Problema amoroso
Quando perguntada se tinha mais amor pelo Petrobras ou pelo PT, ela respondeu:

"A Petrobras. Mil vezes a Petrobras".
Graça tem tatuadas algumas estrelinhas - que uns dizem ser do PT, e outros do Botafogo (seu time de coração)
Assim você me mata...
A deputada Maria do Rosário matou todo mundo de rir, ao afirmar que a bancada do PT "tem um pacto de combate à corrupção".
Rosário lembrou que há membros da CPI que são "ideólogos" e outros que são "aproveitadores".
No discurso demagógico contra a privatização da Petrobras, Rosário só não deixou claro de que lado estava...
Tese petista
O deputado federal Valmir Prascidelli (PT/SP) defendeu uma linha de tese que vem sendo repetida, feito mantra, pelo esquema defensivo petista para tentar explicar o inexplicável na Petrobras:
“A corrupção era fruto de um cartel de empresas em conluio com alguns funcionários que ocupavam cargos na Petrobras, um esquema que já vem desde a década de 1990, como revelou o senhor Pedro Barusco aqui nesta CPI”.
O deputado petista reclama que a estratégia da oposição na CPI é criar, sob o pretexto de se investigar a corrupção, um clima de tensão e com isso desgastar o governo junto à opinião pública para tentar um terceiro turno.
Gancho pseudonacionalista
O deputado federal Valmir Prascidelli perguntou a Graça sobre a existência de interesses internacionais sobre a Petrobras, e a ex-presidente da estatal, casada com Colin Vaughn Foster, maçom que representa o Duque de Kent, chefe da Maçonaria Inglesa, respondeu:
“O Brasil é um país que interessa, sim, às grandes potências mundiais”.
Prascidelli denunciou que há vários projetos de lei apresentados por parlamentares do PSDB e do DEM, que visam acabar com o regime de partilha na exploração do óleo do pré-sal e com a obrigatoriedade do conteúdo nacional nas contratações da Petrobras:

“Querem transferir nosso patrimônio para o capital internacional, como já fizeram com outras empresas nacionais nos oito anos em que o PSDB governou o país”.
Amigo da onça
Ocupação
Maldita soma

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!
O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 27 de Março de 2015.


NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO