NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO

sexta-feira, 20 de março de 2015

GRANDES EXERCÍCIOS MILITARES DA RÚSSIA SÃO AVISOS PARA OTAN!


Série de Exercícios militares russos, o mais recente em todo o país, assumiram uma postura ameaçadora.
Enquanto a parcela mais recente não é o maior exercício que Rússia realizou, as áreas envolvidas e as forças incluídas parecem ter sido escolhidas deliberadamente para enviar um aviso a OTAN; o exercício em si parece simular um confronto em larga escala com a OTAN através do destacamento avançado de submarinos nucleares armados, mísseis balísticos de operação e aeronaves bombardeiros estratégicos.
Sistemas de armas estratégicas, inclusive os ativos que fazem parte da capacidade nuclear da Rússia, também foram mobilizados para locais perto das fronteiras da OTAN.
De acordo com declarações russas, o exercício de pressão, o que não foi anunciado antes quando começou em 16 de março, vai durar cinco dias e vai envolver cerca de 45.000 militares, cerca de 3.000 veículos, mais de 40 navios de superfície, submarinos e 15 110 aeronaves. Os sistemas mais notáveis ​​envolvidos são os Iskander operação móvel de mísseis balísticos e aviões de caça que estão sendo implantados em Kaliningrado, bombardeiros estratégicos Tu-22M3 de longo alcance que são implantados para a Crimeia, e submarinos de mísseis balísticos que foram enviados para o mar com escoltas de proteção.
A declaração inicial sobre o exercício enfocou o papel da Frota do Norte, dizendo que o principal objetivo do treinamento era para testar o tempo de implementação de posições russas em Nova Zembla e Franz Josef Land. Rússia aumentou sua presença militar no Ártico e o exercício destaca os planos da Rússia para a região do Ártico. Esta parte dos exercícios parece demonstrar de uma forma bastante simples: as forças russas são levados de helicóptero para bases árticas da Rússia e vários exercícios navais estão ocorrendo, incluindo as operações anti-submarina e os seus procedimentos arrebatadoras que normalmente precedem as incursões de submarinos nucleares armados em tempos de crises.
No entanto, embora o foco declarado dos exercícios é no Ártico, as operações têm se expandido para incluir as atividades militares ao longo da fronteira com a Finlândia, a implantação de sistemas de armas estratégicas para Kaliningrado e para Criméia, e as posições em toda a frota do Báltico, Frota do Mar Negro, e nos distritos militares ocidentais e do sul. Esta combinação eleva o exercício além de um simples envio de forças terrestres e exercícios navais no Ártico e forma umanarrativa nuclear.
A implantação direta de mísseis balísticos e bombardeiros são provocantes indicadores de possível ação preventiva contra a OTAN e Europa Oriental. Dada a ações militares da Rússia na Ucrânia, a possibilidade, embora improvável, que o país poderia expandir operações não pode ser descartado. Por essa razão, e porque a Rússia projetou intencionalmente os exercícios para imitar um conflito potencial com a Europa, os exercícios são motivo de alarme na Europa.
Com a implantação do bombardeiro Tu-22M3, a Rússia também está invocando abertamente a ameaça de um confronto nuclear. Considerando-se as declarações de Moscou sobre a implantação potencial de armas nucleares para a Crimeia, a Rússia está claramente ligando a crise da Ucrânia e as suas intenções no Ártico para a dissuasão nuclear que possui .
A grande área geográfica que abrange este exercício o coloca fora do padrão habitual de outros exercícios, conduzidos pela Rússia. Ele também o coloca nas mesmas áreas onde a OTAN tem conduzido seus exercícios, incluindo os países bálticos, a Romênia e a Hungria. Exercícios mais notáveis da OTAN foram conduzidas pelos EUA na operação Atlântico Resolve, que tem visto a rotação da força do Exército dos EUA com dimensões de brigadas e com a chegada de maquinários e helicópteros para apoiar essa implantação. Rússia observou aumento de vôos de vigilância dos EUA sobre o Báltico e do funcionamento de policiamento aéreo expandido que a NATO realiza lá.
Um exercício incluindo partes dos militares russos que se estende desde as frotas do Norte, do Báltico e do Mar Negro através dos distritos militares ocidentais e do sul é notável. Rússia realizou exercícios ainda maiores no passado. No entanto, aqueles tendem a se concentrar em um determinado distrito militar ou da frota, ou uma combinação de setores estreitamente relacionadas. Realizando este único exercício na área que se estende da Noruega para os países bálticos através da Polônia e na Crimeia está claramente inclinado em direção a OTAN e os seus membros da Europa de Leste.
Considerando-se as tensões militares em torno da crise Ucrânia e seu frágil cessar-fogo, estes exercícios são um sinal agressivo, particularmente desde que siga imediatamente o misterioso desaparecimento de Putin na semana passada. A Rússia tem um interesse em flexionar seu músculo militar para lembrar a todos os estragos que poderia causar e para dissuadir qualquer pessoa de agir radicalmente na Ucrânia. Os Estados Unidos tem sido cuidadoso quando se trata de Ucrânia, mesmo atrasando a implantação de 300 soldados para o oeste da Ucrânia como parte de um exercício de treinamento. Os Estados Unidos mantêm, no entanto, que essa implantação ainda é uma opção e pode encomendá-lo no começo de abril.
Além da Ucrânia, Rússia também está respondendo a dinâmica do exercício militar na Europa Oriental, onde a crise de Ucrânia repercutiu. Um ritmo de aumento geral da Rússia em atividade militar (tanto no sentido de voos estratégicos de longa distância e exercícios militares em larga escala), um aumento na presença da OTAN e mais exercícios na Europa Oriental resultaram em um "vai e vem" da postura militar de demonstração de força e reminiscência da guerra fria.
Nesse contexto, exercícios da Rússia servem como ameaças às forças opostas, demonstrando capacidades e sugerindo a intenção. Mas eles são importantes ferramentas militares para os militares russos também. Para manter a prontidão, na verdade, executar operações ou implantações através de exercícios é uma obrigação. Além disso, os planejadores militares russos precisam ter uma compreensão realista dos recursos das forças russas. Não há outra melhor maneira de ganhar este entendimento do que deixar essas forças funcionando através de operações, ou partes deles, para determinar os parâmetros básicos que são viáveis. Como a Rússia testa seus próprios recursos, eles mostram ao resto do mundo o tipo de operações e os distritos militares considerados chaves em seu planejamento estratégico.

NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO

Disso Você Sabia ? no Facebook