NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO

terça-feira, 23 de setembro de 2014

SÍRIA: EUA E ÁRABES LANÇAM MAIS DE 50 ATAQUES CONTRA EI NA SÍRIA, RÚSSIA E IRÃ PROTESTAM

Guerra no oriente entra em nova fase, com participação ativa dos EUA e aliados árabes no conflito que já dura mais de 3 anos

FONTE: GLOBO - Aviões de coalizão internacional lançam 50 ataques contra o EI na Síria

Os aviões da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos lançaram nesta terça-feira (23) 50 ataques contra alvos do grupo Estado Islâmico (EI) nas províncias sírias de Al Raqqah e Deir ez Zor, onde causaram um número indeterminado de vítimas, informou o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

A operação é a primeira feita pelos EUA contra o Estado Islâmico na Síria.

A aviação internacional lançou 20 bombardeios contra bases e postos de controle da organização extremista em Al Raqqah, seu principal bastião no território sírio, e em sua periferia norte e oeste, assim como nas localidades de Tel Abiad, Tabaqa e Ain Aisa.

Eles atingiram campos de treinamento, bases e suprimentos de armas.

Um dos alvos dos ataques foi a antiga sede do governo provincial de Al Raqqah, que o EI tinha transformado em um de seus quartéis mais importantes.

Os ataques também tiveram como alvo o braço da Al-Qaeda conhecido como grupo Khorasan, que preparava um ataque "iminente" contra os Estados Unidos e alvos ocidentais, informou nesta terça o Pentágono.

O governo da Síria informou que respalda os esforços internacionais para o combate do Estado Islâmico. "A Síria respalda qualquer esforço internacional para combater o terrorismo, como o do Daesh (um dos acrônimos em árabe do EI) e da Al-Nosra, mas insistindo no respeito da soberania nacional e de acordo com a legislação internacional", afirma um comunicado ministerial.

Nestes bombardeios, houve mortos, entre eles extremistas, apesar de o EI ter esvaziado suas bases na semana passada diante da iminente ofensiva americana.

O balanço inclui 70 combatentes do grupo Estado Islâmico, que registrou, além disso, 300 feridos, 100 deles em estado grave, e 50 membros de grupos afiliados à Al-Qaeda, indicou a ONG. Os feridos do Estado Islâmico foram levados para o Iraque.

O presidente do Irã, Hasan Rowhani, disse nesta terça-feira (23) que os ataques aéreos da coalizão liderada pelos Estados Unidos contra o Estado Islâmico (EI) na Síria são ilegais, porque não foram aprovados ou coordenados pelo governo da Síria.

O presidente disse que o Irã está pronto para ajudar a combater o terrorismo, mas ressaltou que a política norte-americana é confusa, porque, ao mesmo tempo em que combate os militantes islâmicos, tenta minar o governo do presidente sírio, Bashar al-Assad.

Ele sugeriu que Washington enfrente em primeiro lugar o desafio de lutar contra os terroristas e deixe para resolver suas questões com o governo sírio para depois.

A Rússia criticou nesta terça-feira (23) os ataques aéreos liderados pelos Estados Unidos contra posições do Estado Islâmico na Síria, dizendo que eles têm de ser coordenados com o governo sírio e que criariam mais tensão na região.

Os EUA, que há tempos pedem pela saída do presidente sírio, Bashar al-Assad, e diversos aliados do Golfo Árabe realizaram os primeiros ataques aéreos com mísseis sobre bastiões do Estado Islâmico na Síria.

“Qualquer ação do tipo deve ser executava apenas de acordo com a lei internacional”, disse o Ministério de Relações Exteriores da Rússia em comunicado.


Diretor de parque diz que principal nascente do Rio São Francisco secou

Nunca vi essa situação em toda a história', afirmou Luiz Arthur Castanheira.
Bacia abrange 5 estados; biodiversidade está ameaçada, diz especialista.

Caroline Aleixo e Carolina Portilho * Do G1 Centro-Oeste de Minas
O diretor do Parque Nacional da Serra da Canastra, Luiz Arthur Castanheira, disse em entrevista ao G1 na tarde desta terça-feira (23) que a nascente do Rio São Francisco, situada em São Roque de Minas, secou. Segundo Castanheira, essa nascente é a principal de toda a extensão do rio, que tem 2.700 km. O São Francisco é o maior rio totalmente brasileiro, e sua bacia hidrográfica abrange 504 municípios de sete unidades da federação – Bahia, Minas Gerais, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Goiás e Distrito Federal. Ele nasce na Serra da Canastra, em Minas, e desemboca no Oceano Atlântico na divisa entre Alagoas e Sergipe.
Segundo Castanheira, o motivo é a estiagem. "Essa nascente é a original, a primeira do rio e é daqui que corre para toda a extensão. Ela é um símbolo do rio. Imagina isso secar? A situação chegou a esse ponto não foi da noite para o dia. Foi de forma gradativa, mas desse nível nunca vi em toda a história”, afirmou.


O presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), Anivaldo Miranda, disse ao G1 que, embora a notícia ainda não tenha chegado oficialmente ao conhecimento do comitê, não causa surpresas em virtude de essa ser uma das estiagens mais graves desde que foi iniciado o acompanhamento histórico do rio. Para ele, a situação é preocupante, já reflete no nível das barragens e ameaça a biodiversidade do São Francisco.
“Isso não é comum, é preocupante. Não há dúvida de que algo em grande escala está mudando em nosso ecossistema. As principais barragens do Alto São Francisco, que são a de Três Marias e Sobradinho, estão sendo ameaçadas e se aproximam do limite de volume útil de água. Ou seja, a água dos principais afluentes está chegando ao nível zero, e a biodiversidade do rio está comprometida, além de a qualidade do rio estar se deteriorando", explicou Miranda.
O volume útil da Represa de Três Marias, que é a primeira barragem construída ao longo do rio, chegou a registrar 6% nesta semana. A de Sobradinho, 31%. “São níveis baixíssimos e que causam impactos catastróficos, como já vem ocorrendo no Baixo São Francisco. Com o nível baixo, o oceano está invadindo o rio e salinizando a água doce”, concluiu Miranda.
Ele ressaltou que, apesar de a nascente em São Roque de Minas, no Centro-Oeste do estado, não ser determinante para o volume de água da bacia, ela serve como um "termômetro", uma vez que o nível dos reservatórios da região é fundamental para o São Francisco.
Soluções
O presidente do Comitê da Bacia do rio diz que não se pode contar com o período mais úmido que deve vir após outubro. Ele defende que, independente das mudanças climáticas, a questão é emergencial e, para ser amenizada, deve-se mexer no modelo da bacia enérgica do São Francisco, realizando um grande pacto das águas.
Anivaldo Miranda pontuou ainda que o poder público deve tratar a bacia hidrográfica com prioridade por ser uma das principais do Brasil e estar entre as mais vulneráveis. “O rio atravessa quase 1 milhão de quilômetros quadrados de região semiárida, atende a região nordeste e grande parte de Minas, onde há grande vulnerabilidade hídrica”, afirmou.
Diante dessa situação crítica, que na visão do especialista começou a se agravar em abril do ano passado, o Comitê da Bacia do São Francisco vai realizar audiências públicas com pessoas diretamente ligadas à bacia. O diálogo terá duração de 18 meses e será feito com o governo federal, municípios, usineiros, mineradores, pescadores, população nativa das comunidades ribeirinhas e comunidade civil. O objetivo das audiências será discutir sobre o futuro da bacia e apresentar a urgência de investir na recuperação hídrica do São Francisco.
Incêndios
Para piorar a situação, a seca tem causado vários focos de incêndio no Parque Nacional da Serra da Canastra nos últimos meses – levando à utilização da pouca água do São Francisco para apagá-los. Em julho, o fogo devastou cerca de 40 mil hectares de vegetação nativa. “Combatemos as chamas usando água do parque, mas isso não foi o fator mais agravante. O que pesa mais é a seca, a falta de chuva. Corre pouquíssima água, e essa realidade é triste”, disse o diretor do parque. O incêndio mais recente durou quatro dias e, pouco depois, outros focos foram registrados.
A estiagem deste ano ocorre em todo o país há vários meses, exceto na região Sul. Em Minas, diversas regiões enfrentam o problema da seca, entre elas cidades do Triângulo Mineiro, Zona da Mata e Centro-Oeste do estado, que já chegaram a decretar situação de emergência pelo desabastecimento e a multar moradores flagrados desperdiçando água.

E as previsões são pouco animadoras. A primavera começou às 23h29 desta segunda-feira (22) e, de acordo com o meteorologista Marcelo Pinheiro, da empresa Climatempo, a tendência é que na estação a temperatura fique de 2ºC a 3ºC acima da média nas regiões Sudeste, Centro-Oeste, Norte e Nordeste. No Sul, a temperatura pode ficar até 3ºC acima da média.
Além disso, a primavera deve ser caracterizada por temperaturas um pouco acima do normal e chuvas dentro da média na maior parte do país – porém ainda insuficientes para resolver o problema de falta d’água nos reservatórios. Especificamente para a região afetada pela seca no Centro-Oeste de Minas Gerais, a previsão é de que o período de chuvas só comece em outubro.

Fonte:G1

Via: http://julearauju.blogspot.com.br/2014/09/diretor-de-parque-diz-que-principal.html

De onde veio o Ébola?

Em algumas partes da África, os mitos que o Ébola foi trazido para as regiões por profissionais de saúde tem ferido a capacidade dos trabalhadores para responder ao surto.
Mas de onde veio realmente o Ébola? [10 fatos que você precisa saber sobre o Ébola]
O verdadeiro reservatório de Ébola - isto é, onde o vírus se esconde quando não está a causar surtos em pessoas - não se sabe ao certo onde é, mas especialistas dizem que os morcegos são a fonte provável do vírus mortal.
Os primeiros casos humanos conhecidos do Ébola ocorreram em 1976, durante dois surtos simultâneos no Sudão e na República Democrática do Congo, que afetaram mais de 600 pessoas, de acordo com a Organização Mundial de Saúde.
Quase 20 anos depois, em 2005, os pesquisadores procuraram o reservatório de Ébola através de mais de 1.000 pequenos animais nas nações da África Central do Gabão e da República do Congo, que também sofreram surtos de Ébola. [Cientistas descobriram uma potencial cura para o Ébola]
Eles testaram 679 morcegos, 222 aves e 129 pequenos vertebrados terrestres. Os únicos animais que parecem abrigar o vírus Ébola foram os morcegos, especificamente três espécies de morcegos frutívoro: O bastão com cabeça de martelo, o epauletted de Franquet, e o pequeno colarinho.
Pelo menos duas dessas espécies de morcegos de frutas também são encontrados na Guiné - que é onde o atual surto de Ébola começou, na África Ocidental - por isso é possível que esses morcegos sejam as fontes do surto. [Passos dados em direção da vacina do Ébola]
Pesquisadores na Guiné estão agora a recolher amostras de morcegos na região para ver se algum testa positivo para Ébola. O surto atual afetou mais de 5.000 pessoas e, destas, mais de 2.600 morreram, afirma a Organização Mundial de Saúde.
Se os morcegos são a fonte do vírus, uma das formas através das quais as pessoas podem ficar infectadas é através da manipulação do morcegos que são comidos. Por exemplo, sopa de morcego é uma iguaria na região.
Funcionários da Guiné tomaram a medida de proibir o consumo e venda de morcegos em março, após o surto ter começado. Mas não é necessariamente a própria alimentação que leva à infecção por Ébola. O cozinhar provavelmente mata o vírus.
O abate de morcegos e a manipulação de carne crua poderá ser muito mais arriscado. Ainda assim, não se sabe ao certo se os morcegos são os únicos reservatórios do vírus, ou se se trata de infecções em morcegos que passaram para as pessoas.
Provavelmente os morcegos serão a fonte de infecção, se os pesquisadores encontrarem a mesma sequência genética de Ébola em pessoas e em morcegos na região. Há alguma evidência de que, em vez de ser um vírus que é carregado por morcegos, o Ébola esteja a causar um surto nos morcegos.
Ao olhar para o material genético do vírus, os pesquisadores descobriram que o mesmo vírus Ébola foi passado de morcegos na África Central para morcegos na África Ocidental ao longo dos últimos 10 anos.


http://www.ciencia-online.net/2014/09/de-onde-veio-o-ebola.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+ciencia-online+%28Ci%C3%AAncia+Online%29

1º debate presidenciável sobre juros bancários no Brasil

Postado por: Wenderson Wanzeller 23 de setembro de 2014
No dia 10 de setembro, publicamos um vídeo convidando todos os presidenciáveis para apresentarem suas propostas de combate aos juros bancários no Brasil que, conforme havíamos alertado, hoje beiram as vergonhosas taxas de 20% ao mês em operações de cartões de crédito, cheque especial e empréstimo pessoal.
Para o desenvolvimento da campanha nós contamos com o empenho de nossa comunidade no YouTube, e foram enviados quase 500 e-mails – fora os twitters – pedindo a participação dos candidatos no debate. Mas de todos os presidenciáveis, o único que teve a hombridade de nos atender foi o candidato Rui Costa Pimenta, do PCO.
Em nome de todos os internautas que enviaram os twitters e e-mails do vídeo-convite para os presidenciáveis, nós agradecemos ao candidato pela participação nesse importante debate.
E para os demais presidenciáveis que receberam o convite, mas que ignoraram o apelo das centenas de internautas – talvez até pelo fato de não terem nenhuma proposta para apresentar – fica aqui o nosso registro de frustação e decepção.
Mais uma vez o nosso muito obrigado a todos os amigos internautas que apoiaram esse, que foi o primeiro debate presidenciável no YouTube, sobre os juros bancários no Brasil.
Escrito por Wenderson Wanzeller

Top 10 melhores viaturas policiais do mundo

Por: Site de Curiosidades
Alguns países investem muito dinheiro em suas frotas de viaturas policiais. São carros com alta tecnologia e eficiência, que deixam qualquer bandido de boca aberta.

Conheça as 10 melhores viaturas policiais utilizadas pelo mundo:
1 - Hummer H2 – Este carro é usado pela polícia do Texas, nos Estados Unidos, desde 2006. O veículo é destinado à patrulha. Personalizado pela empresa alemã Geiger Cars, o carro tem suspensão reforçada, rodas aro 28, pneus especiais e um motor V8 7.0 supercharged de 700 cv.
2 - Subaru Impreza WRX – Este veículo foi escolhido por vários países para perseguições policiais nas ruas e estradas estreitas. O carro tem tração 4x4 e motor boxer que atinge até 295 cv.
3 - Porsche 911 – Este carro é excelente para rodar em estradas sem limite de velocidade. Ele é usado pela polícia da Alemanha. O veículo tem 370 cv, e vai de 0 a 100 km/h em 4,6 segundos.
4 - Dodge Magnum – Este veículo é utilizado pela polícia de Michigan, nos Estados Unidos. O carro tem motor V6 3.5 de 250 cv e tração integral. Além disso, o veículo conta com quebra-mato, faróis auxiliares, giroflex e bateria de maior amperagem.
5 - Ford F-150 – O carro é usado pela Polícia Federal Preventiva do México. As picapes da Ford são rápidas e muito espaçosas.
6 – Smart – Este pequeno carro é usado para patrulhar as ruelas estreitas de Roma. O veículo tem 2,7 metros de comprimento e atinge uma velocidade máxima de 130 km/h.
7 - Lamborghini Gallardo – Esta viatura policial tem motor V10 de 560 cv, rádio, GPS, computador com arquivos policiais, câmera de vídeo no para-brisa e sirene aerodinâmica no teto.
8 - Ford Interceptor Utility – Este veículo é muito utilizado pela polícia dos Estados Unidos. O carro é grande e ideal para transportar cães farejadores de drogas.
9 - Mitsubishi i-MiEV – O carro é usado pela polícia do Japão. O veículo foca na sustentabilidade, tem um motor elétrico de 63 cv, autonomia de 160 km e atinge a velocidade máxima de 130 km/h.
10 - Bugatti Veyron – Este veículo é usado pela polícia de Dubai. O carro tem um motor W16 8.0 de 1 001 cv e velocidade final de 439 km/h.

“Eles sabem exatamente o que estão fazendo”, diz político iraquiano sobre Estado Islâmico

Ahmad Chalabi
O político iraquiano Ahmad Chalabi desempenhou um papel infame ao estimular a invasão norte-americana em seu país em 2003. Em entrevista à Spiegel, ele falou sobre a ascensão do Estado Islâmico, por que o Ocidente julgou mal os jihadistas e se é chegado o momento de cooperar com Assad.
Spiegel: Sr. Chalabi, quão próximos os combatentes do Estado Islâmico estão de Bagdá?
Chalabi: Eles estão a 26 quilômetros de distância. Isso é perigosamente perto, mas a situação está calma no momento e o Estado Islâmico não fez mais nenhum avanço em Bagdá. Graças a Deus.
Spiegel: Você acredita que eles vão atacar?
Chalabi: Faz tempo que os extremistas levaram seu terror a Bagdá. O Estado Islâmico enviou seus homens-bomba, detonou explosivos na frente das nossas casas. Eu poderia mostrar pedaços de um carro-bomba que foram lançados sobre o nosso telhado não faz muito tempo. Mas o Estado Islâmico não tentará atacar Bagdá militarmente. Entre os seis milhões de residentes na cidade, quatro milhões são xiitas. E quase todo adulto xiita na cidade tem uma arma. O Estado Islâmico sabe bem que será pulverizado em uma luta brutal de casa em casa.
Spiegel: Mesmo assim, muitos moradores de Bagdá fugiram enquanto outros começaram a fazer preparativos pelo menos.
Chalabi: Esses relatos são exagerados. Não estamos em pânico porque sabemos que o Estado Islâmico não é capaz de conquistar a capital.
Spiegel: Até recentemente também parecia impossível que o Estado Islâmico pudesse tomar a segunda maior cidade do Iraque. Mas agora, Mosul está sob controle dos jihadistas.
Chalabi: Sim, mas a situação era diferente em Mosul. Lá existem árabes, curdos, turcomanos e yazidis morando lá, todos eles sofreram com o governo central sectário. Eles se sentiam traídos e excluídos da participação no governo. O que aconteceu lá era previsível. Seis meses antes, nós já tínhamos indícios claros de que o Estado Islâmico estava se preparando para atacar. Os islamistas há muito vêm coletando seus próprios impostos em Mosul, totalizando cerca de US$ 5 milhões por mês. No início de janeiro, o presidente curso Masoud Barzani alertou o governo quanto a um desastre iminente.
Spiegel: E o governo não fez nada?
Chalabi: Não. Maliki enxergava o Estado Islâmico como uma forma de exercer pressão. Se eu não for reeleito, o terror recairá sobre vocês – esta era a mensagem dele.
Spiegel: O Estado Islâmico teria conseguido conquistar ainda mais territórios se o governo autônomo curdo não tivesse partido para o ataque?
Chalabi: O feito dos curdos foi surpreendente, tanto militar quanto diplomaticamente. Governos europeus reconheceram isso e abandonaram sua resistência ao envio de armas. A Alemanha, também, agiu corretamente. Agora, precisamos de uma liderança militar conjunta para que os curdos e o exército possam retomar Mosul.
Spiegel: Os curdos acreditam que estão mais próximos do que nunca de ter seu próprio estado. Você não está preocupado com a secessão?
Chalabi: Os curdos sabem que não conquistarão seu próprio estado pela força das armas, mas através do reconhecimento internacional. E eles certamente ouviram o que o ministro de exterior alemão disse em relação ao envio de armas: não há um estado curdo. Mas isso não dever impedir que os curdos continuem desenvolvendo suas próprias instituições. Ainda assim, a melhor coisa para eles seria continuar como parte do Iraque, mas em troca temos de tratá-los com respeito – sua nacionalidade, sua língua e sua cultura.
Spiegel: E se isso não for suficiente para os curdos?
Chalabi: Então isso não significaria o fim para o Iraque. A Alemanha perdeu o leste da Prússia. A Alemanha não é um país forte hoje de qualquer forma?
Spiegel: Na Síria, o Estado Islâmico está lutando contra grupos de oposição que se rebelam contra o presidente Bashar al-Assad, que os deixou sozinhos como resultado. Mas agora, os jihadistas também estão colocando o regime em risco. Você acredita que Assad se arrepende de não ter perseguido o Estado Islâmico antes?
Chalabi: Não, não acredito. Sim, os islamitas hoje são os únicos que podem oferecer uma resistência significativa. Depois de tomar Mosul, o Estado Islâmico enviou 75 caminhões cheios de armas capturadas de nosso exército para a Síria. Mas o Estado Islâmico também enfraqueceu todas aquelas forças que poderiam ser perigosas para Assad. Dessa forma, ele foi capaz de se concentrar em solidificar seu poder em áreas metropolitanas como Damasco e na costa. Agora estamos diante da questão: qual é o mal menor?
Spiegel: E qual é a sua resposta para esta pergunta?
Chalabi: Eu acho que está claro. Precisamos de uma frente unida contra o Estado Islâmico e Assad acaba sendo o poder decisivo que pode lutar contra eles. Mas a situação é incongruente porque também temos de respeitar os pedidos de mudança. Eu seria favorável a uma mudança digna.
Spiegel: Um diplomata sênior norte-americano em Bagdá nos contou que os combatentes do Estado Islâmico são “sociopatas liderados por psicopatas”.
Chalabi: Isso pode se aplicar aos combatentes do Ocidente que se sentem excluídos na Europa e vêm para cá por esse motivo. Mas os líderes são ex-oficiais do exército iraquiano ou professores. Eles não são psicopatas, eles sabem exatamente o que estão fazendo, são muito bem organizados e têm uma hierarquia rígida.
Spiegel: O que é tão fascinante em relação ao Estado Islâmico que centenas de sunitas estão correndo para se juntar a ele?
Chalabi: O Estado Islâmico não é corrupto. Isso o torna muito atraente em um país como o Iraque. E é claro muitos se sentem atraídos por seu sucesso militar. Pela primeira vez, os sunitas têm uma força de luta efetiva. Para os sunitas, o Estado Islâmico tem uma função similar à do Hezbollah para os xiitas. Antes de conquistar Mosul, o Estado Islâmico tinha talvez 10 mil combatentes, mas agora ele tem muito mais. A taxa de recrutamento deles é imensamente alta: a cada mês, cerca de 2.000 homens são treinados. E seu sucesso se irradia para a Jordânia, Líbia e Península Arábica – e até a lugares distantes como o Mali e o Paquistão.
Spiegel: Mas a espinha dorsal do Estado Islâmico são os clãs sunitas que Maliki basicamente obrigou a apoiarem a revolta.
Chalabi: Muitos sunitas se juntaram ao Estado Islâmico porque sentiram que estavam sendo maltratados. Reconquistar sua confiança é a primeira tarefa do novo governo. Isso será difícil, mas é possível.
Spiegel: Qual será o próximo campo de batalha?
Chalabi: O Estado Islâmico está seguindo uma estratégia clara. Primeiro, quer solidificar seu poder no Iraque e na Síria. Então, seus guerrilheiros tentarão avançar para a costa mediterrânea da Síria. Se tiverem sucesso, isso será visto como seu próximo grande triunfo. E então, seu alvo será a Jordânia, onde as coisas serão fáceis para eles. O Estado Islâmico já tem um amplo apoio em muitas cidades lá. E quando chegarem lá, será novamente uma grande surpresa para todos.
Spiegel: Por que nós estávamos tão errados sobre a situação no Iraque e na Síria?
Chalabi: Vocês pensavam que o Estado Islâmico era apenas um bando de homens armados e subestimavam a capacidade estratégica e militar dele. Quando os clãs sunitas perto de Fallujah se rebelaram no início do ano, o Estado Islâmico da Síria enviou apenas 150 combatentes. Agora, os extremistas controlam uma imensa área no Iraque. Até os ataques aéreos dos EUA começarem, eles podiam se movimentar com total liberdade.
Spiegel: O presidente norte-americano Barack Obama anunciou sua intenção de expandir os ataques aéreos contra os combatentes do Estado Islâmico para a Síria. Esta declaração de guerra contra os terroristas é bem-vinda para você?
Chalabi: Espero que possamos nos valer desta nova abordagem direta. É uma vergonha, mas sem o apoio norte-americano, o Estado Islâmico teria tomado muitos outros lugares no Iraque. Ontem mesmo, eles quiseram capturar a represa de Haditha, mas os ataques aéreos os impediram. Agora, nosso exército precisa fazer o melhor uso dessa assistência.
Spiegel: Você acredita que os EUA podem impedir o Estado Islâmico apenas com ataques aéreos?
Chalabi: Não, tropas efetivas de infantaria também são necessárias. A coalizão anti-Estado Islâmico precisa ser totalmente realista nesta questão.
Spiegel: Você não faria oposição ao apoio em solo?
Chalabi: Os EUA já estão nos apoiando com cerca de mil especialistas. Mas deveriam ficar por aí. Sou contra uma grande intervenção militar com tropas de infantaria. Isso não ajudaria.
Spiegel: Quando o último soldado norte-americano foi retirado do Iraque em 2011, Obama disse que o país era um estado soberano, independente e democrático. Isso foi uma mentira ou uma avaliação extremamente equivocada?
Chalabi: Na época, o presidente estava disposto a fazer qualquer coisa para sair de lá. Ele tinha prometido retirar os soldados durante a campanha e tinha que cumprir a promessa, não importava o preço.
Spiegel: Quando você observa o cenário hoje, o terror, o sofrimento humano, a miséria econômica, você ainda acredita que valeu a pena se livrar de Saddam Hussein? E você se arrepende de ter fornecido informações falsas para os EUA para justificar a invasão de 2003?
Chalabi: Eu não me arrependo de nada. E nós não fornecemos nenhuma informação falsa. Fornecemos aos norte-americanos três informantes e também demos a eles nossa avaliação. Mas a decisão de invadir foi tomada pelos norte-americanos sozinhos. E, por mais difícil que a situação esteja atualmente no Iraque, foi correto derrubar Saddam Hussein. Não tínhamos futuro com ele. Hoje, pelo menos temos esperança de que tempos melhores virão.
Spiegel: Sr. Chalabi, agradecemos por esta entrevista.
Fonte: Der Spiegel via Informante

http://noticia-final.blogspot.com.br/2014/09/eles-sabem-exatamente-o-que-estao.html

Barbie vestida de santa e Ken como Jesus Cristo irrita cristãos

As artistas Piscina Paolini e Marianela Perelli estão gerando revolta na Argentina por causa de suas novas obras. Elas criaram versões religiosas da Barbie e de seu companheiro Ken. A boneca aparece nas “versões” Virgem Maria, Maria Madelana e Nossa Senhora Aparecida. Por sua vez, o Ken ganha forma de São Caetano, São Roque, mas a imagem de Jesus Cristo crucificado foi a que mais irritou os religiosos.

“Utilizamos o humor para ressaltar a desconexão com o universo histórico, político e religioso, que é uma ficção”, afirmam as artistas. Contudo, católicos e evangélicos argentinos reclamaram que as “obras” dessas artistas fazem piada das imagens sagradas.

Os bonecos não serão vendidos, pois as criadoras não tem autorização da Mattel, dona da marca Barbie e Ken. Elas reconheceram que sabiam que gerariam polêmica. Contam ainda que não foram procuradas pela Mattel, mas sofreram ameaças de processo da igreja católica de San Juan, pois elas usaram sem permissão a imagem das santas que são patenteadas.

barbie aparecida1 Barbie vestida de santa e Ken como Jesus Cristo irrita cristãos

Contam ainda que no passado fizeram versões de bonecas retratando personagens famosos na Argentina, como o jogador de futebol Diego Maradona, o ex-presidente Juan Domingo Perón e a esposa Evita, até mesmo do Papa Francisco. Nunca tiveram problemas por causa disso. Piscina declarou ainda que elas “nada têm contra as religiões” e que não pretendem fazer outras representações, como do profeta Maomé, pois sabem que o Islã as considera ofensivas ao profeta.

barbie providencia Barbie vestida de santa e Ken como Jesus Cristo irrita cristãos

Por causa da repercussão, as duas artistas plásticas foram procuradas por diferentes galerias de arte, interessadas em fazer mostras com as bonecas e outras obras de sua autoria. 

Com informações BBC e Gospel Prime
http://lado-oculto-nova-ordem-mundial.blogspot.com.br/2014/09/barbie-vestida-de-santa-e-ken-como.html

Descobertos esqueletos com 700 anos de mãos dadas

Os restos em esqueleto de um casal foram descobertos, depois de estarem trancados num abraço romântico durante os últimos 700 anos.
Os arqueólogos encontraram o casal feliz de mãos dadas numa sepultura de terra, durante uma escavação de uma capela perdida em Leicestershire, na Inglaterra.
"Temos visto esqueletos similares em Leicester, onde um casal foi enterrado junto num único túmulo", disse Vicki Score, da Universidade de Leicester, em comunicado.
Sepulturas duplas não são incomuns, mas é surpreendente que os dois corpos tenham sido enterrados na chamada capela perdida de St Morrell, só recentemente descoberta por um historiador local e uma equipa de pesquisadores.
"A principal questão que nos deixa curiosos é por que eles foram lá enterrados? Há uma igreja perfeitamente boa em Hallaton", disse Score. "Isso nos leva a perguntar se a capela poderia ter servido como uma espécie de lugar especial de sepultamento no momento".
Por exemplo, o local pode ter servido como um lugar de peregrinação em Hallaton, uma aldeia no leste de Leicestershire, durante o século 14. Ou, o casal pode ter sido enterrado na Capela de St Morrell, e não na igreja principal, porque eram criminosos, estrangeiros ou doentes.
Arqueólogos e voluntários locais passaram os últimos quatro anos a descobrir a capela perdida de St. Morrell, perto da aldeia de Hallaton. A equipa encontrou evidências de que o uso da encosta remonta ao tempo dos romanos, há mais de 2.000 anos atrás.
Por exemplo, uma vala no local indica que a colina pode ter abrigado um templo romano. A equipa também descobriu um santuário da Idade do Ferro, com milhares de moedas e artefatos de prata, tais como um capacete de cavalaria romana.
Escavações mostram agora as paredes da capela e o pavimento em mosaico, juntamente com pedaços de alvenaria de pedra, gesso, telhas, chumbo nas janelas e um cemitério próximo. Os arqueólogos igualmente encontraram o dinheiro entre as ruínas, incluindo várias moedas de prata.
Estas moedas, que datam entre os séculos 12 e 16, ajudaram os pesquisadores a determinar os anos mais ativos da capela. Através do processo de datação por radiocarbono, os arqueólogos determinaram que os 11 esqueletos escavados até agora no local remontam ao século 14.
Todos os esqueletos encontrados no local da capela foram colocados em uma orientação leste-oeste, por tradição cristã daquela época. 

http://www.ciencia-online.net/2014/09/descoberto-esqueletos-com-700-anos-de-maos-dadas.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+ciencia-online+%28Ci%C3%AAncia+Online%29
NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO

Disso Você Sabia ? no Facebook