Translate

Trabalhamos para divulgar notícias SOBRE: POLITICA, CURIOSIDADES, SAÚDE, ASTRONOMIA, UFOLOGIA, GUERRA, MISTÉRIOS E MUITO MAIS.Precisamos de sua ajuda, clique nas propagandas expostas no Blog, para manter nosso site no ar.

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Mais de US$ 100 bilhões saíram do Brasil de forma ilícita entre 2010-12, e fluxo só aumenta, aponta estudo

Mais de US$ 400 bilhões deixaram o Brasil ilegalmente entre 1960 e 2012, é o que constata estudo realizado por economistas da Global Financial Integrity, instituição de pesquisa norte-americana. O relatório, baseado em dados do FMI e do Banco Mundial, revela que o fluxo de saída de dinheiro com transações comerciais ilícitas disparou nas últimas décadas no Brasil. O número saiu de uma média anual de US$ 310 milhões nos anos 1960 para US$ 14,7 bilhões na primeira década dos anos 2000. De 2010 a 2012, o fluxo ilícito que vai para o exterior cresceu mais ainda e atingiu US$ 33,7 bilhões por ano. A Global Financial Integrity calcula que as transações equivalem a 1,5% do PIB brasileiro.
Trata-se, na maioria dos casos, de transações comerciais subfaturadas, nas quais as empresas tentam fugir de impostos que incidem no lucro e nas exportações. O coordenador do estudo, Dev Kar, explica que a prática mais comum no Brasil é a formação de “caixa dois”, com o registro de produtos para exportação a um valor inferior ao de mercado. O comprador, no entanto, paga o valor real, e o dinheiro excedente é enviado para um paraíso fiscal. Com isso, a empresa deixa de pagar parte dos impostos devidos no Brasil.
O presidente da Global Financial Integrity, Raymond Baker, afirma que as saídas ilícitas drenam capital da economia brasileira, facilitam a evasão fiscal, acentuam a desigualdade e corroem a poupança interna do país. A dificuldade de combate às fraudes no comércio exterior, segundo ele, está na falta de conhecimento e fiscalização dos preços praticados pelo mercado por parte das autoridades. O relatório da Global Financial Integrity ressalta ainda que as perdas calculadas devem ser ainda maiores, já que a metodologia utilizada é considerada conservadora. Não estão incluídas atividades criminosas geralmente pagas com dinheiro em espécie, como tráfico de drogas, armas, animais e pessoas. Segundo o estudo, o Brasil é o sétimo no ranking dos 150 países que mais perdem dinheiro em remessas ilegais para o exterior, ficando atrás apenas de China, México, Rússia, Índia, Malásia e Arábia Saudita.
 
Blog do Senador Álvaro Dias
Editado por Folha Política
 
 http://julearauju.blogspot.com.br/2014/09/mais-de-us-100-bilhoes-sairam-do-brasil.html

Ex-braço direito do doleiro Alberto Youssef fala sobre esquema que envolvia contratos da Petrobras

Publicado em 09/09/2014
Em depoimento à Justiça Federal, o advogado Carlos Alberto Pereira da Costa, ex-braço do doleiro Alberto Youssef, dá detalhes sobre o esquema de lavagem de dinheiro que envolvia o pagamento de propina em troca de contratos da Petrobras. Assista a trechos de seu depoimento ao juiz Sergio Moro em 29 de agosto


https://www.youtube.com/watch?v=7iXfizpzioI&feature=em-uploademail

Relatório de Especialistas Holandeses: “Avião MH17 Partiu-se no Ar, Por Ação de Causa Externa”

O desastre o avião MH17 foi resultado de dano estrutural provocado pela ação de objetos de alta energia que atingiram a fuselagem da aeronave de fora para dentro [pedrinhas superenergizadas, lançadas de vários estilingues contra o avião, coordenadamente, por moleques geoestacionados, por exemplo (NTs)] – diz o relatório preliminar de especialistas holandeses sobre o destino do avião da Malaysia Airlines em território da Ucrânia.
“A aeronave Boeing 777-200 operada pela empresa Malaysia Airlines que fazia o voo MH17 partiu-se no ar, provavelmente como resultado do dano causado por grande número de objetos de alta energia que penetraram na aeronave de fora para dentro” – disse a Dutch Safety Board, no relatório preliminar.

Os investigadores holandeses acrescentaram que “não há qualquer sinal” de que a tragédia foi disparada “por defeito técnico ou por ações da tripulação”.

“Precisamos de mais análises para saber o que realmente aconteceu no desastre do MH17” – disse o ministro de Transportes Aéreos da Malásia Liow Tiong Lai, ontem. – “Queremos analisar mais acuradamente os dados e os restos da fuselagem” – disse Lai, acrescentando que as autoridades carecem de mais detalhes, “para levar os culpados aos tribunais.”

O avião da Malaysia Airlines, em rota de Amsterdam para Kuala Lumpur com 298 pessoas a bordo, caiu sobre a região de Donetsk, na Ucrânia, dia 17 de julho. A maioria dos que viajavam naquele voo eram cidadãos holandeses.

O avião “foi partido em pedaços durante o voo”

O gravador de vozes da cabine de comando do avião, o gravador de dados de voo e todos os dados recolhidos do controle de tráfego aéreo sugerem que o voo MH17 seguia normalmente, até 13h20:03 GMT, momento a partir do qual toda a comunicação sumiu abruptamente.

A tripulação de comando na cabine do avião não fez qualquer comunicação de emergência – como mostram os controles de radiocomunicação com a torre de controle do tráfego aéreo da Ucrânia. “As chamadas finais feitas pelo controle de tráfego aéreo entre 13h20:00 e 13h22:02 [GMT] ficaram sem resposta” – diz o relatório.


O relatório (ing.) pode ser baixado de
  http://www.onderzoeksraad.nl/en/onderzoek/2049/investigation-crash-mh17-17-july-2014


O avião “partiu-se em pedaços durante o voo” – disseram os investigadores, baseados no padrão dos pedaços de fuselagem encontrados no local. Os investigadores holandeses, disseram que “imagens já acessíveis mostram que fragmentos da fuselagem foram perfurados em inúmeros pontos, de fora para dentro.”

O relatório enfatiza que os investigadores ainda não puderam recuperar componentes para análise da perícia criminal. Mas fotos feitas de pedaços da fuselagem “indicam que o material em torno dos buracos foi deformado de modo consistente com perfuração, de fora para dentro, por objetos dotados de alta energia” – diz o relatório. – “Características da deformação do material em torno da perfurações na fuselagem parecem indicar que os objetos tiveram origem na área externa do avião.”

O fato de o avião ter sido atingido de fora para dentro “também explica o fim abrupto de dados gravados nos gravadores, a perda simultânea de contato com o controle de tráfego aéreo e o desaparecimento da aeronave, do radar” – diz o relatório.

– Imagem do revestimento interno da cabine do avião, mostrando pontos em que a cabine foi penetrada por objetos de alta energia vindos de fora

O relatório diz que o gravador de voo foi “encontrado danificado, mas que o módulo da memória interna estava intacto. “O dano externo [constatado no gravador de voo] é consistente com o dano provocado pelo impacto.” Os dados de radar da aeronave mostram que “três aeronaves comerciais estavam na mesma Área de Controle” – que o avião da Malaysia Airlines.

“Às 13h20 UTC [GMT], a distância entre o avião mais próximo e o MH17 era de aproximadamente 30km” – diz o documento

Gravador de vozes da cabine do piloto do avião

Investigadores holandeses concluíram que o avião malaio voava “em espaço aéreo sem restrições sobre área restrita mencionada na última NOTAM [Informes a tripulações aéreas].” Estavam proibidos voos comerciais na área abaixo do Nível de Voo FL320; o MH17 voava em Nível de Voo FL330.

“O relatório completo será distribuído no período de um ano depois do desastre” (Dutch Safety Board)

Tjibbe Joustra, presidente do Dutch Safety Board, disse que a tragédia do avião no leste da Ucrânia “chocou o mundo e levantou muitas perguntas. Os resultados iniciais da investigação apontam para causa externa na tragédia do MH17” – disse ele. “Serão necessárias mais pesquisas para determinar a causa com maior precisão. O Safety Board crê que “haverá mais provas acessíveis à investigação, no futuro.”

Joustra disse que o relatório completo final do Dutch Safety Board será publicado no verão de 2015, “no período de um ano depois da data do desastre.”

Simultaneamente, a Agência Federal Russa de Aviação disse que o relatório dos holandeses marca o início de profunda investigação sobre a tragédia do voo da Malaysian Airlines.

“A investigação do local e dos restos da fuselagem são parte importante desse trabalho”, disse Oleg Storchevoy, vice-diretor da agência. “Precisamos investigar dados de radiolocalização, fazer todos os testes que a investigação técnica especializada exija... Sem esse nível de informação, não se pode falar nem de conclusões preliminares sobre aquela tragédia.”
*****
Fontes:
Tradução Vila Vudu
Relatório preliminar holandês
Russia Today: MH17 broke up in mid-air due to external damage - Dutch preliminary report

http://www.anovaordemmundial.com/2014/09/relatorio-de-especialistas-holandeses-aviao-mh17-partiu-se-no-ar-por-acao-de-causa-externa.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+anovaordemmundial%2FPNpa+%28A+Nova+Ordem+Mundial%29

General Russo Fala sobre um "Ataque Nuclear Preventivo contra a OTAN"

Em meio a uma escalada verbal e diplomática entre o ocidente e a Rússia, repleta de gestos e declarações cada vez mais altissonante, o general russo Yury Yakubov, pediu que a Rússia modernize sua doutrina militar, cuja última atualização foi em 2010, para identificar claramente os EUA e seus aliados da OTAN como principais inimigos de Moscou.

 
E não somente isso. O general pediu que a Rússia especifique as condições das quais deveria lançar um ataque nuclear preventivo contra os 28 membros da OTAN.
 
O general Yury Yakubov

Lembre-se que em 2010 a doutrina militar russa, define a expansão da OTAN como um ameaça à segurança nacional da Rússia e reafirma seu direito de utilizar armas nucleares em uma postura meramente defensiva, mas está muito longe de declarar a OTAN como principal adversário de Moscou e sobretudo está muito longe de apresentar cenários de ataque nuclear preventivo, algo que inequivocamente lembra a Guerra Fria.
 
Yakubov afirma que a guerra de informação que está sendo travada sobre a crise na Ucrânia, onde o bloco ocidental acusa a Rússia de armar os separatistas pró-russos que lutam contra o governo em Kiev e o recente anúncio da OTAN em estabelecer uma presença militar permanente na Europa Oriental, tem reavivado os temores iniciais de que as alegações de não agressão da NATO contra a Rússia não são sinceras.
 
Lembre-se o que o ex presidente russo, Dmitry Medvedev, disse em novembro de 2008, em seu primeiro discurso presidencial ao povo russo:
 
"A Rússia vai implantar sistemas de mísseis Iskander em seu enclave de Melingrado para neutralizar, se necessário, o sistema de mísseis anti-balísticos na Europa"
 
Ele se referia, evidentemente, ao sistema de mísseis anti-balísticos da OTAN instalado na Europa sob o pretexto de proteger o continente dos possíveis ataques de países como Irã ou Coreia do Norte, mas cuja orientação, como muitos especialistas afirmam, era realmente contra a Rússia.
 
A instalação do escudo foi acordada na Conferência da NATO em Lisboa, em 2010.
 
Pois bem, o governo russo cumpriu sua advertência e tais medidas se aplicaram no final do ano passado:
 
"A Rússia instalou mísseis com um alcance de 500 km em seu enclave de Melingrado e ao longo de sua fronteira com os Estados Bálticos da Estônia, Letônia e Lituânia, de acordo com o jornal alemão Bild-Zeitung citando autoridades de defesa não foram identificados."
 
As imagens de satélite mostram um número de unidades móveis "de dois dígitos" identificados como "SS-26 Stone," de acordo com o código usado pelo código NATO. Os mísseis ficaram estacionados nos últimos 12 meses. Os SS-26 podem carregar armas convencionais e ogivas".
 
Assim, a tensão aumenta e a Rússia não parece disposta a ceder às pressões ocidentais.
 
Mas parece disposta a mostrar toda sua força militar, como medida de advertência diante de possíveis agressões.
 
Está cada vez mais longe de ser um simples jogo político baseado em intercâmbio de declarações...
 
Fontes: Periodismo Alternativo - El Robot Pescador - Zero Hedge - A Nova Ordem Mundial

COMEÇAM OS EXERCÍCIOS MILITARES DA OTAN NO MAR NEGRO! RÚSSIA PROVOCA!

Exercícios Sea Breeze começa no Mar Negro, Rússia provoca com voos de caças após protestos na semana passada!

Apesar de protestos por parte da Rússia, os Estados Unidos e a Ucrânia dão início nesta segunda-feira (08/09) a uma manobra marítima conjunta no Mar Negro. O objetivo do exercício Sea Breeze 2014, que deve durar três dias, é garantir a segurança marítima numa região de crise, segundo o Ministério da Defesa ucraniano.

A Rússia havia criticado o exercício nas imediações do leste da Ucrânia, atingido por conflitos há meses, como "completamente descabido". Além dos EUA, também o Canadá, a Romênia, a Espanha e a Turquia participarão do exercício, realizado com o navio de guerra do tipo contratorpedeiro USS Ross, com 280 soldados a bordo.

As manobras de navios de guerra da Ucrânia e EUA Sea Breeze 2014 começaram na parte noroeste do mar Negro. O objetivo das manobras é realizar exercícios no quadro de uma operação internacional para criar e garantir uma zona de segurança à navegação numa região de crise.

A fragata canadense HMCS Toronto e outros navios em um exercício de treinamento na Ucrânia no Mar Negro sofreram sobrevoos de jatos militares russos nesta segunda-feira em sinal aparente para os navios de que estão sendo vigiados.

"Enquanto as aeronaves militares russos circularam o HMCS Toronto, de forma alguma constituiu uma ameaça para o navio canadense, suas ações eram desnecessariamente provocativos e risco escalada das tensões ainda mais", disse o ministro da Defesa, Rob Nicholson ao Globe and Mail.

Sempre Guerra

http://noticia-final.blogspot.com.br/2014/09/comecam-os-exercicios-militares-da-otan.html

Doença cardíaca pode ser detectada pelo rosto

As mudanças de cor detectadas pelo programa correspondem à frequência cardíaca da pessoa exatamente como ela é detectada por um exame de eletrocardiograma.[Imagem: Universidade de Rochester]
Automação da sensibilidade
Para o observador atento, o rosto de uma pessoa fornece uma visão muito rica sobre o que está acontecendo no íntimo dessa pessoa.
Agora, pesquisadores da Universidade de Rochester (EUA) mostraram que é possível "automatizar essa sensibilidade", usando a face de uma pessoa como detector do que está acontecendo em seu coração - no coração biológico.
Com a ajuda de uma câmera e um programa de computador, eles decifraram imagens do rosto para detectar se uma pessoa está passando ou não por fibrilação atrial, uma condição cardíaca tratável, mas potencialmente perigosa.
O projeto-piloto demonstrou que alterações sutis da cor da pele podem ser detectadas pelas câmeras e utilizadas para avaliar o fluxo sanguíneo desigual provocado pela fibrilação atrial.
"Esta tecnologia tem o potencial para identificar e diagnosticar a doença cardíaca usando monitoramento de vídeo sem contato," disse o Dr. Jean-Philippe Couderc. "Este é um conceito muito simples, mas que poderia permitir que mais pessoas com fibrilação atrial obtivessem os cuidados que precisam."
Fibrilação atrial
A fibrilação atrial é um ritmo do coração irregular, ou às vezes rápido demais, que geralmente provoca má circulação sanguínea no corpo. Isso ocorre quando uma atividade elétrica cardíaca irregular faz com que as câmaras superiores e inferiores do coração batam fora de sincronia.
A tecnologia utiliza um algoritmo desenvolvido pela Xerox para digitalizar faces, sendo capaz de detectar alterações da cor da pele que são imperceptíveis a olho nu. Tudo o que é necessário é que a pessoa fique quieta por 15 segundos.
Os sensores das câmeras digitais são projetados para gravar três cores: vermelho, verde e azul. A hemoglobina - um componente do sangue - absorve mais luz verde e esta alteração subtil pode ser detectada pelo sensor da câmera.
O rosto é o lugar ideal para detectar esse fenômeno porque a pele da face é mais fina do que em outras partes do corpo e os vasos sanguíneos estão mais próximos da superfície.
Os pesquisadores descobriram que as mudanças de cor detectadas pelo programa correspondem à frequência cardíaca da pessoa exatamente como ela é detectada por um exame de eletrocardiograma.
A equipe agora está se preparando para fazer uma avaliação da tecnologia em uma amostra maior de pessoas, incluindo pessoas sadias, sem a fibrilação atrial.

voltar ao topo, inicio