Siga este Blog

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Secretário de Defesa parece desinformado sobre origens de ISIS

por KURT NIMMO | INFOWARS.COM | 21 AGOSTO , 2014
 
De AFP :
O secretário de Defesa dos EUA , Chuck Hagel alertou quinta-feira que o Estado Islâmico é mais do que um "grupo terrorista" tradicional e mais bem armados, treinados e financiados do que qualquer ameaça recente.
Na verdade, ISIS foi treinado pelo melhor - o exército dos Estados Unidos .Hagel, como secretário de Defesa, deve certamente ser informado da situação.
  Seu equipamento militar, bem, é cortesia do Pentágono .
"Eles se casam na ideologia e uma sofisticação de proeza militar estratégica e tática. Eles são tremendamente bem financiados.  Isto está além de qualquer coisa que tenhamos visto ", Hagel disse a repórteres.
ISIS é financiado por supostos "aliados" dos Estados Unidos - Kuwait, Qatar e Arábia Saudita .
AFP

Via: http://undhorizontenews2.blogspot.com.br/2014/08/um-sec-de-defesa-desconcertado-e-isis.html

Moscas varejeiras estão repletas de bactérias patogênicas

Com informações da Agência Fapesp

As moscas representam o microbioma mais patogênico já estudado pelos cientistas.[Imagem: Ana Carolina Martins Junqueira]
Cerca de 30% dos microrganismos encontrados em moscas varejeiras são capazes de causar doenças em seres humanos.
Entre as bactérias encontradas nos corpos dos insetos estavam a Yersinia pestis, causadora da peste bubônica, a Helicobacter pylori, associada ao surgimento de gastrite, úlcera e câncer de estômago, e diversas espécies que podem provocar gastroenterite, pneumonia e infecções urinárias.
A conclusão é de um estudo feito por pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), da Pensilvânia, dos Estados Unidos, e da Universidade Tecnológica de Nanyang, em Cingapura.
"Todo o mundo sabe que moscas são insetos sujos, mas o índice de bactérias patogênicas foi tão alto que ficamos assustados. É o microbioma mais patogênico já descrito. Vamos iniciar agora alguns experimentos para descobrir se elas apenas transportam os microrganismos ou se podem, de fato, transmitir essas doenças para as pessoas ao pousar na comida, por exemplo", contou Ana Carolina Martins Junqueira, membro da equipe.
Os cientistas analisaram a microbiota encontrada no corpo de 127 moscas, de 19 espécies que costumam ser atraídas por matéria orgânica em decomposição. Os insetos foram coletados em 12 locais diferentes do Brasil e dos Estados Unidos, incluindo um mercado de comidas, hospitais, parques municipais, lixão, e também áreas rurais.
De acordo com a pesquisadora, o número de patógenos encontrados nas moscas de ambientes urbanos foi muito maior que nas demais, provavelmente porque nesse ambiente há maior quantidade disponível de lixo e de matéria orgânica em decomposição.
"O grande problema é que esses insetos comutam facilmente entre um ambiente sujo, como um lixão, e o churrasco das nossas casas. Nas moscas coletadas dentro do hospital, por exemplo, encontramos bactérias responsáveis por dois terços das infecções hospitalares do mundo,", disse Ana Carolina.
Além das bactérias patogênicas para humanos, acrescentou a pesquisadora, também foram encontradas espécies que podem causar doenças em animais e em plantas.
"Defendemos a hipótese de que esse tipo de inseto pode ser usado como sensor ambiental e ajudar a predizer surtos, principalmente em regiões de fronteira, portos, aeroportos. Poderíamos monitorar a contaminação dos ambientes por meio da análise do microbioma das moscas", afirmou a pesquisadora.

Rachadura Gigante se abre no México

Rachadura de um quilômetro de comprimento e oito metros de profundidade na Costa de Hermosillo no México, é desconcertante para os moradores e funcionários de La Candelaria.



A trinca foi formada em 17 de agosto de 2014, enquanto as redes sociais acreditam que ele foi criado por um terremoto na falha de San Andres, um geólogo da Universidade de Sonora indica que o solo provavelmente desmoronou por causa de um fluxo de água subterrânea.

Como mostrado em uma das fotos, este grande rachadura tem três trincheiras perpendiculares a partir de correntes laterais. Além disso em alguns lugares ainda está coberto. 
O solo da região é muito instável, o que torna as investigações mais difícil.

Vídeo:


Grata ao Alan Lopes pelo envio do link via facebook
Fonte:

Leia mais em:
Os sinais físicos da Transição - Rachaduras - Liquefação - Sinkhole

http://evoluindo-sempre.blogspot.com.br/2011/06/os-sinais-fisicos-da-transicao.html

China rejeita 1,3 mil toneladas de milho transgênico dos EUA

Assim como Europa, China também tem embargado grãos modificados, dando preferência aos convencionais



Globo Rural, 15/08/2014
China rejeita 1,3 mil toneladas de milho transgênico dos EUA
Substância transgênica desenvolvida pela Syngenta não é aprovada no país
Aproximadamente 1,3 mil toneladas de milho geneticamente modificado dos Estados Unidos foram rejeitadas no Porto de Xiamen, na China. De acordo com a imprensa local, o grão continha traços de uma substância transgênica não permitida pelas autoridades chinesas.
Em dezembro do ano passado, 1,4 mil toneladas de milho geneticamente modificado dos EUA já haviam sido recusadas também em Xiamen. Na ocasião, parte do carregamento foi destruída, enquanto que outra foi mandada de volta para o país de origem. Desde o ano passado, a China já bloqueou mais de 1 milhão de toneladas de milho dos EUA por conter uma substância transgênica desenvolvida pela gigante Syngenta não permitida no país.
Fonte: http://revistagloborural.globo.com/Noticias/Agricultura/Milho/noticia/2014/08/china-rejeita-13-mil-toneladas-de-milho-transgenico-dos-eua.html

Via: EM PRATOS LIMPOS

Queremos nossa guerra e a queremos agora!

Se você está jogando uma partida de xadrez e todas as próximas mexidas projetadas por você inexorávelmente conduzem a um xeque-mate, então lhe resta duas – e somente duas – opções:  ou derruba seu Rei e aceita como um cavalheiro a derrota, ou…
Você chuta o tabuleiro, se recusa a aceitar a derrota e faz um escândalo de novela!
É isto o que estão pensando fazer os “Quatro Cavaleiros do Apocalipse”, como chamamos os dirigentes que hoje controlam os Estados Unidos, Reino Unido, União Européia e Israel, contra os interesses de seus respectivos povos?
Todos sabemos muito bem que se for permitido a uma criança mal-criada fazer tudo o que quiser, cedendo perante seus gritos, chutes e choro, cada vez que não conseguir o que quer, sabendo que seus ataques de mal-humor conseguirão o que quer, então será cada vez mais difícil conseguir que esse pequeno monstro amadureça e se comporte algum dia como adulto responsável.
Esta bem poderia ser uma metáfora sobre a maneira em que as Potências Ocidentais se comportam e atuando nas últimas décadas, especialmente após os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 que durante algum tempo lhes outorgou um cheque em branco, permitindo arrasar e invadir boa parte do Oriente Médio.
Desde então, sua principal meta parece ser brigar as guerras que beneficiam à Israel, conforme definido com certa claridade pelos centros de planejamento como o notório “Projeto para um Novo Século Norteamericano“ (Project for a New American Century), e a iniciativa estratégica redigida por uma equipe de acadêmicos neoconservadores (logo funcionários do Pentágono de George W. Bush) liderados por Richard Perle, que incluiu a figuras como Douglas Feith, Robert Loewenberg, David Wurmser e Mayrav Wurmser. Esse documento se titulou “Um corte limpo: uma nova estratégia para assegurar ao reino” (“A Clean Break: A New Strategy for Securing the Realm”), entendendo por “reino” ao Estado de Israel.


Aquele documento sequer foi preparado para o Governo norteamericano, mas para o então ex-primeiro ministro de Israel (hoje novamente no cargo) Benjamin Netanyahu, e tinha como eixo central a destruição do Iraque de Saddam Hussein, naquele então o inimigo de Israel.
Em anos posteriores, utilizaram mentiras flagrantes e obscenas como as inexistentes “armas de destruição em massa” do Iraque; suas conexões inexplicáveis com os Talibãs e Osama Bin Laden (cuja família saudita são sócios da família Bush na petroleira The Carlyle Group); as descaradas intervenções nos assuntos internos do Egito; a destruição da Líbia (que incluiu o assassinato ao vivo pela TV de seu líder Muamar Kadafi e seus filhos ao som das gargalhadas da então secretária de Estado Hillary Clinton); ameaças permanentes de lançar um ataque militar unilateral contra o Irã por seu suposto plano nuclear militarizado; e, mais recentemente, a engenharização de guerra civíl contra o governo sírio de Bashar al-Assad. Claramente, estes “Quatro Cavaleiros” realmente desparramaram morte, sangue e destruição em todo o Oriente Médio e outras regiões.


Entretando, desde então, centenas de milhões de pessoas em todo o mundo vão despertando e começam a compreender a profunda verdade por trás das declarações do ex-primeiro ministro da Malásia, Mahmoud Mahathir, quando em 2003 com motivo de uma reunião da Organização da Conferência Islâmica, observou que, “hoje os judeus governam o mundo através de substitutos; conseguem que outros briguem e morram por eles”.
Porém, as coisas começaram a mudar de maneira dramática há uns dois anos quando a Rússia (e China) se posicionaram firmes, refletindo assim o aborrecimento do mundo inteiro diante da belicosidade dos “Quatro Cavaleiros”.
Na verdade, Rússia particularmente, traçou uma “linha vermelha” que poucos se atreverão a atravessar, pois contrariamente as anteriores “linhas vermelhas” que ameaçaram o Iraque, Afeganistão e Líbia, desta vez o desafio é para Estados Unidos e seus aliados.
Isso é o que ocorreu há um ano quando o presidente russo Vladimir Putin finalmente traçou sua própria linha vermelha diante dos EUA, Reino Unido, a União Européia e Israel, no momento mais crítico da crise da Síria. Putin não vacilou nem pestanejou, Obama sim. E desde então os poderosos vêm pressionando a Casa Branca com crescente força.

O que é o que os donos do poder global realmente querem?


Claramente, o Sr. Putin e sua equipe de governo estão ganhando várias jogadas no grande tabuleiro geopolítico mundial aos ocidentais, conseguindo neutralizar repetidamente os esforços da Elite de fabricar alguma desculpa – qualquer desculpa – para lançar uma guerra total contra Irã e Síria e – inclusive – alguma guerra (parcial?) contra Rússia (e China).
Desde já que sempre lhes resta a opção de elaborar alguma complexa operação de “Falsa Bandeira” – e pode ser que alguma muito grande esteja sendo armada neste preciso momento – mas também esta opção lhes resulta cada vez mais difícil de vender, e quando o conseguem, sua “vida útil” para usá-la (geo)politicamente é cada vez mais e mais breve.
Desde que a mediados de 2006 as forças armadas israelenses foram derrotadas no sul do Líbano pelo Hezbollah (financiada, treinada e armada pelo Irã), Israel, EUA e o Reino Unido não perdem oportunidade para ameaçar o Irã com um ataque militar unilateral, mas jamais puderam levá-lo à prática graças à Russia.
Se no ano passado a Rússia traçou uma linha vermelha diante das potências ocidentais no caso da Síria, neste ano o fazem em torno à Ucrânia, que está muito mais próxima de seu próprio território.
Mas estes não são casos ne crises isoladas. Formam parte de um jogo (final?) muito mais vasto que vêm sendo colocado a nível global, e que inclui algo básicamente inaceitável para Rússia: a suposta base de defesa anti-misilística que a OTAN instalou na Polônia e que claramente aponta para a Rússia e seus aliados.
Também em julho passado, os países BRICS – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – se reuniram numa conferência no Brasil durante a qual tomaram a decisão muito concreta de começar a construir uma arquitetura financeira global alternativa, com a criação de instituições financeiras fortes não alinhadas com os mega-banqueiros usureiros.
Isto representou um grande desafío e ameaça direta ao Fundo Monetário Internacional e ao Banco Mundial, e conforma uma espécie de punhal apontado ao muito debilitado e fácil de desequilibrar, sistema financeiro ocidental.
Enquanto isso, no rarefeito clima econômico mundial, as sanções impostas pelos EUA, Reino Unido e a UE contra a Rússia têm pouco efeito e parecem piada; quase ridículas.
Que “sanções econômicas” podem ser impostas a um país como a Rússia que têm o maior território do planeta (17 milhões de quilômetros quadrados: a novena parte da superfície terrestre do planeta), a maior reserva de petróleo do mundo, vastas planícies para alimentar a seu povo, e mais gás do que poderiam queimar em um século (junto com a possibilidade imediata de fechar a válvula do gasoduto que mantêm os europeus aquecidos durante o inverno, com o que fácilmente poderia deixar que 80% dos países da OTAN se congelassem, se assim quisessem).
Acrescentemos a isto os 144 milhões de talentosos e criativos cidadãos russos que se encontram bem distribuídos ao longo de seu território, e compreenderemos que na prática, Rússia é uma Potência Fortaleza Euroasiática, Nuclear e Soberana.
Acrescentemos também o fato de que enquanto os estadunidenses se tornaram um povo “fofo”, super-protegido e autocomplacente logo de setenta anos de “materialismo capitalista parasitário”, os russos em comparação sofreram muito nestas décadas: a segunda guerra mundial, o comunismo, o colapso dos anos noventa.
O sofrimento fortalece o caráter dos povos, e isto parece verificar-se no fato de que uma grande maioria de russos lúcidos e despertos repetidamente votam por Vladimir Putin; hoje seu nível de popularidade é altíssimo! Claramente, niguém irá se meter em problemas com alguém de seu calibre.
Mas, quando falamos de ossos aos cachorros e de guerra aos belicosos, teremos a ambos uivando e mostrando os dentes!
De forma que a mensagem entrelinhas ouvidas desde Washington, Londres e Tel-Aviv é perigosamente clara: “Maldito seja: Vladimir não nos deixa ter nossa guerra!!”

Pensem duas vezes antes de saltar!


Estes “Quatro Cavaleiros do Apocalipse” fariam bem se tivessem cuidado com o que pensam fazer.
Uma coisa foi fazer a guerra ao Japão e Alemanha com seus pequenos territórios e apertadas populações; ou atacar a países muito mais frágeis militarmente como Iraque, Líbia e Afeganistão; ou bombardear os explosivos dos Balcãs.
Por sua vez, a “pátria dos livres e valentes” norteamericanos também não deveria se vangloriar de ter feito a guerra ao Panamá e Granada, ou nos campos de morte do Vietnã.
Assim que rapazes: se decidem ameaçar com suas espadas a Rússia, é melhor que pensem duas vezes antes de tentar um salto do qual poderiam se arrepender. Um pequeno conselho: leiam seus livros de história.
Revisem o que ocorreu ao grande Napoleão Bonaparte e seu Grande Armée quando entraram de forma prepotente no Grande Império Russo a princípios do século XIX.
Mais recentemente, olhem o que aconteceu ao Terceiro Reich alemão: em 1941 a operação Barbarosa conduziu a Wehrmacht a penetrar profundamente dentro da União Soviética chegando em 1944 às portas de Stalingrado, Leningrado e Moscou; e olhem o que aconteceu depois!
Os estadunidenses fariam bem em aprender um pouco da história: meter-se com Rússia não é brincadeira de crianças; é uma partida séria de geopolítica!
De forma que deveriam abandonar as boêmias estratégias de ideólogos da Comissão Trilateral como Zbigniew Brzezinski e Samuel Huntington que sempre odiaram a Rússia. Melhor releiam as verdades estratégicas do geopolítico britânico Sir Halford Mackinder quem em sua obra “Os ideais democráticos e a realidade: um estudo na política de reconstrução” publicada ao finalizar a primeira guerra mundial disse sobre a Rússia:

Quem controlar a Europa Oriental, controlará o Coração do mundo; quem controlar o Coração do Mundo controlará a Ilha do Mundo; quem controlar a Ilha do Mundo, contralará todo o mundo.

Se extrapolamos estas verdades de MacKinder, veremos que sua “Ilha do Mundo” é a Eurásia desde onde poderá regir-se todo o planeta; o “Coração do Mundo” a sua vez é o centro geopolítico da Ilha do Mundo e se localiza na “Europa Oriental”, que é controlada desde Moscou. Onde ficam então Washington, Nova York, Londres, Frankfurt e Tel Aviv nesta ordem de coisas?
Durante muitas décadas os melhores jogadores de xadrez foram os russos. Os norteamericanos, ao contrário, jogam ao pôquer que é um jogo de trapaças, enganos e mentiras.
O xadrez, entretanto, é um jogo de estratégia e previsão: nada de enganos e mentiras, nada de voltar atrás, nada de “posso desfazer minha última jogadinha?”
Claramente, vivemos em tempos perigosos.
Adrian Salbuchi para RT
Adrian Salbuchi
Adrian Salbuchi é analista político, autor, condutor do programa de televisão “Segunda República” pelo Canal TLV1 da Argentina. Fundador do Projeto Segunda República (PSR).http://www.proyectosegundarepublica.com/

Conheça o valor de alguns impostos sobre consumo, serviços e produtos no Brasil


Imagem: Divulgação
No dia 12 de agosto, o Impostômetro alcançou a marca de R$ 1 trilhão em impostos arrecadados. A marca foi atingida 15 dias mais cedo do que em 2013. Isto indica que houve aumento da carga tributária.

O Brasil é um dos países com maior carga tributária no mundo e com menor retorno dos impostos à população. 


Confira alguns valores de impostos:

Produtos:
Sabonete - 37,09% 
Pasta de dentes - 34,67%
Detergente - 30,37%
Esponja de aço - 40,62%
Feijão (1kg) - 17,24%
Biscoito - 37,30%
Óleo de Cozinha - 26,05%
Maionese - 33,77%
Refrigerante (lata) - 46,47%
Cachaça - 81,87%
Calça jeans - 38,53%
Brinquedos - 39,70%
Pilhas AA (par) - 51,80%
Televisor - 44,94%
DVD (aparelho) - 50,39%
Telefone celular - 33,08%
Caderno Universitário - 34,99%
Cola - 42,71% 
Água de colônia (nacional) - 50,38%
Almoço em restaurante - 32,31%
Aparelho MP3 ou iPOD - 49,45%
Barbeador elétrico - 48,11%
Bolsa de Couro - 41,52%
Flores - 17,71%
Cachecol - 34,13%
Câmera fotográfica - 44,75%
Computador acima de R$ 3.000,00 - 33,62%
Computador até R$ 3.000,00 - 24,30%
Gravata - 35,48%
Ingressos (tickets) - 40,85%
Óculos de sol - 44,18%
Perfume Importado - 78,43%
Perfume nacional - 69,13%
Amendoim - 36,54%
Botas - 36,17%
Cachorro quente - 15,28%
Canjica - 35,38%
Cerveja (lata) - 55,60%
Cerveja garrafa - 55,60%
Chapéu de Couro - 39,80%
Fogos de artifício - 61,56%
Imagem de santo - 41,52%
Paçoca - 36,54%
Pipoca - 34,99%
Refrigerante (garrafa) - 44,55%
Vinho - 54,73%
Contas de consumo:
Conta de água - 24,02%
Conta de luz - 48,28%
Serviço de TV por Assinatura - 46,12%

Fonte: IBPT e Impostômetro

Editado por Folha Política
Via: Semeando  

Especialista que provou a fragilidade das urnas é entrevistado por Gentili no The Noite. Assista

Publicado por  em 21 agosto
Especialista que provou a fragilidade das urnas é entrevistado por Gentili no The Noite. Assista
Danilo Gentili entrevistou o professor universitário e especialista em segurança da informação Diego Aranha, que tem alertado acerca da fragilidade das urnas e relativa facilidade em se fraudar o processo eleitoral, inclusive tendo provado em testes acerca de tal fragilidade. Infelizmente as autoridades parecem ignorar as denuncias de Aranha, que mais do que tratar de um sistema falho, trata de algo que pode decidir o futuro do país  e retirar do povo o seu poder de decidir acerca de seus governantes, jogando por terra a democracia.

Assista:


Só para lembrar, esse ano o TSE, presidido por Dias Toffoli, não fez testes públicos das urnas e o próprio Toffoli disse que as urnas são seguras e sem margem de erro, mesmo tendo sido PROVADO que são sim frágeis e vulneráveis. Será que temos de fato poder de escolher de fato quem nos representa?

Vândalos picham igreja católica com símbolos satânicos

As câmeras de segurança da igreja conseguiram flagrar um homem e duas mulheres que atacaram o templo durante a madrugada


Vândalos picham igreja católica com símbolos satânicosVândalos picham igreja católica com símbolos satânicos
Vândalos atacaram a Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição, em Rio Bonito, interior do Rio de Janeiro, na madrugada do último domingo (17). Uma cabeça de bode foi deixada na porta da igreja que também foi pichada.
Em uma das paredes o número 666 foi pichado fazendo ligações com o chamado “número da besta”, em um monumento dedicado à missão os vândalos picharam um pentagrama e a palavra “satã”.
Em outra lateral do prédio foi escrito “Jesus escravista” e na porta de entrada do templo foi pichado a suástica nazista.



A ação dos vândalos deixou o padre Eduardo Braga, responsável pela igreja, consternado. “O fato foi um repúdio dos hereges em relação a semana que houve na igreja. Muitas pessoas viram uma procissão e carreata que fizemos e isso deixou muitos insatisfeitos. Essas pichações aconteceram justamente na semana de aniversário da Matriz que tem 246 anos”, disse o pároco ao site G1.
O padre Rafael Santana, de Cabo Frio (RJ) compartilhou as imagens no seu Facebook pedindo aos fiéis que rezassem pelos vândalos. “No mínimo foi uma falta de educação, de respeito, de ódio e intolerância! Será que nós, católicos, também não temos o direito de professarmos a nossa fé? Oremos pedindo ao Senhor que perdoe este tipo nefasto de atitude e quanto aos seus autores, rezemos: “Pai, perdoa-lhes! Eles não sabem o que fazem!”, escreveu.
jesus escravista Vândalos picham igreja católica com símbolos satânicos
O padre Eduardo Braga fez um boletim de ocorrência sobre o caso que ficou registrado como agressão ao patrimônio histórico. As imagens das câmeras da igreja conseguiram flagrar o ato de vandalismo e a Polícia Civil já está com estes registros para identificar o homem e as duas mulheres que aparecem nos registros.
“Esse afronte será superado. Todas as pessoas da paróquia de Nossa Senhora Conceição irão rezar com mais fé e buscar o perdão de Deus em favor dos autores desse sacrilégio”, disse o padre que contou com o apoio da comunidade para apagar as pichações e descartar a cabeça de bode.
FONTE:http://noticias.gospelprime.com.br/

EUA, uma rede militar Global. Servindo a quem e com qual propósito?

Posted by  on 21/08/2014
Uma Rede Militar GLOBAL, dos EUA, à serviço de quem, e com quais objetivos em mente?
Desde o fatídico (e produzido internamente) “atentado terrorista” de 11 de Setembro de 2001, às duas torres do World Trade Center, os Estados Unidos aumentaram sua presença militar no mundo em cerca de 20%, pelo que já tem quase 300 mil soldados estacionados em mais de 150 países  e essa ocupação militar vem crescendo e se expandindo (inclusive com países da América do Sul como alvo)…
O inferno esta vazio. Todos os demônios estão aqui na Terra“.   Shakespeare(Saint Germain)
Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com
O sábio suíço Jean-Jacques Babel verificou que nestes últimos 56 séculos , a humanidade organizou cerca de 14.500 guerras, que provocaram cerca de três bilhões e meio de mortes. Isso representa cerca da metade da população mundial atual.
… Apesar do argumento explícito usado ser “a luta contra o terrorismo”, uma análise da distribuição das tropas não deixa lugar a dúvidas. A Casa Branca aproveitou a fachada da operação“Liberdade Duradoura” a fim de assegurar para si uma influência decisiva em zonas estratégicas e controlar as reservas de RECURSOS NATURAIS mais ricas do mundoE essa estratégia é deliberada independente de quem é o fantoche que se senta na cadeira presidencial dos EUA e segue um propósito específico.  E ainda quer mais.
Poderiam existir, e de fato argumentam-se, outras razões. Entretanto, uma análise da distribuição das bases militares norte-americanas não deixa lugar a dúvidas. Os EUA aproveitaram a cobertura da operação militar conhecida como Liberdade Duradoura para instalar bases militares no Uzbequistão (cerca de mil soldados), Tadjiquistão  e no Quirquistão (mais de 3 mil). Presença essa que se vê fortalecida pelos 5 mil soldados estacionados nas bases doAfeganistão e mais o Paquistão.
Deste modo os EUA asseguram-se uma influência decisiva e certa capacidade de controle na zona (de influência da RÚSSIA) do Mar Cáspio: a região com reservas de recursos naturais inexplorados mais rica do mundoAcaso? Altruísmo dos Estados Unidos? Defesa mundial da democracia?
No Golfo Pérsico e Oriente Médio, os Estados Unidos, em conivência com as despóticas (que agora estão sendo removidas uma a uma por “revoluções populares “expontâneas)  monarquias que governam a zona, mantêm mais de 20 mil soldados. Mais de mil entre o Oman, Emiratos Árabes Unidos (UAE) e Qatar; outros mil no Bahrain, que além disso abriga o Estado Maior da Quinta Frota da Marinha dos EUA, e 4800 no Kuwait. Mas é sem dúvida a Arábia Saudita o caso mais significativo.
Barcos e porta-aviões de cinco países Estados Unidos, Reino Unido, França,Itália e Países Baixos) durante a “Operação Enduring Freedom”, no Mar de Omã.
Operação Enduring Freedom (OEF) (“Liberdade Duradoura”) é o nome oficial dado pelo Governo dos Estados Unidos da América, para a resposta militaraos Ataques de 11 de Setembro de 2001. O principal alvo na oportunidade foi o Afeganistão. A operação foi desdobrada em novas missões: 1.  Operation Enduring Freedom – Afghanistan-ASIA CENTRAL (OEF-A);  2. Operation Enduring Freedom – Philippines (OEF-P) (oficialmente “Operation Freedom Eagle”); 3. Operation Enduring Freedom – Horn of ÁFRICA (OEF-HOA); 4. Operation Enduring Freedom – Trans SAHARA-ÁFRICA (OEF-TS); 5. Operation Enduring Freedom – Kyrgyzstan (concluída em 2004);  6.  Operation Enduring Freedom – Pankisi Gorge (concluída em 2004)
Neste reino os EUA têm três bases militares e mais de 5 mil soldados, caças F-15 e F-16, aviões “invisíveis” bombardeiros F-117 e aviões de espionagem U-2 e aviões radares AWACS. Se excetuarmos a base ”Príncipe Sultan”, que está próxima de Ryad, a capital, as duas restantes situam-se no início ou no fim dos dois gasodutos que cruzam o país. E mais: uma delas, a base militar de Al Khobar, está junto ao porto petrolífero de Ras Tanura. Parece evidente, portanto, o interesse principal que conduz a estratégia militar dos EUA no Golfo Pérsico: o petróleo.
Acima: Assinalada a localização estratégica excepcional da enorme Base Militar de Diego Garcia, dos EUA, que cobre uma vasta área do globo terrestre, entre a costa leste da África, o sul do Oriente Médio, a Península Arábica, Índia, Sudeste Asiático, Indonésia e Austrália !!!
O controle militar da REGIÃO se completa com a base militar de  Diego Garcia,  em meio ao Oceano Índico. Estas instalações militares, situadas na pequena ilha do Oceano Índico que lhe dá o nome, abrigam 4 mil soldados norte-americanos, super caças, super-bombardeiros B-52 e os letais Bombardeiros B-2 Spirit Stealth. Os habitantes originários da ilha, de propriedade britânica e explorada em conjunto pelos EUA e pela Grã-Bretanha a partir dos acordos confidenciais assinados em 1964 pelas duas potências, foram “transferidos” em 1971 para as ilhas Maurício, a 1500 quilômetros da ilha Diego Garcia.
 Entretanto, por vezes as instalações militares dos EUA no estrangeiro não são estabelecidas para controlar os recursos de uma zona ou região, ou assegurar o seu acesso a eles.
Acima a enorme pista do aeroporto da Base Militar na Ilha de Diego Garcia, localizada bem no centro do Oceano Índico, e que abriga os letais Bombardeiros B-2 Spirit Stealth.
Existem muitos outros interesses em jogo.  Assim, por exemplo, as bases militares de Morón e Rota (Espanha) e Aviano (Itália) realizam um trabalho logístico indispensável às operações dos EUA no Oriente Médio e na Europa. O mesmo acontece com os 2 mil soldados que as forças armadas norte-americanas mantêm na Turquia, lugar de encontro entre dois continentes a Ásia e a Europa, de onde decolam os caças que bombardeiam o norte do Iraque.
Na América Latina e no Caribe encontram-se as bases militares de Aruba-Curaçao (Antilhas Holandesas), Comalapsa (El Salvador), uma nova Base Militar na Colômbia e Manta (Equador). Esta última, situada no noroeste do Equador, permite às forças armadas norte-americanas controlarem toda a região andina e realizar trabalhos de vigilância em colaboração com o exército colombiano, ao mesmo tempo que serve de apoio para o desenvolvimento militar norte-americano na Colômbia.
Pior ainda é o caso da ilha de Vieques, a sudoeste de Porto Rico, utilizada há 60 anos como polígono de tiro da Força Aérea norte-americana e como zona de ensaio para as operações anfíbias das forças especiais da Marinha. Por causa destas ações, a saúde e a qualidade de vida dos seus habitantes viu-se brutalmente deteriorada.
O controle indireto do Canal do Panamá é o objetivo das instalações militares dos EUA neste país. Além disso, as forças armadas norte-americanas contam com bases no território cubano (Guantanamo), Honduras, Barbados e base e tropas na Costa Rica.
As forças militares norte americanas (as legiões do novo império romano) já foram um símbolo de luta contra a tirania, hoje luta para implantar uma tirania global que vem sendo lentamente construída e implantada.
Por outro lado, às já mencionadas bases da Itália Espanha, há que acrescentar outras presenças de forças militares norte-americanas na Europa: Na Alemanha, por razões estratégicas — que ficaram obsoletas com o fim da bipolaridade capitalismo/comunismo—, abriga uma importante presença militar norte-americana, à qual soma-se a presença de tropas na Grécia, Hungria, Islândia, Dinamarca, Noruega, Holanda, Portugal, Luxemburgo, etc. Além disso, é significativa a presença militar norte-americana na Albânia a partir da guerra de Kosovo.
Um exemplo (de ocupação) no KOSOVO:  No Kosovo, os EUA construíram o Campo (uma gigantesca BASE MILITAR) Bondsteel, uma das maiores e mais caras bases militares americanas jamais construídas no exterior, que alberga cerca de 7.000 soldados efetivos de tropas de ocupação americanas.
Base Militar de Camp Bondsteel: Em junho de 1999, imediatamente após o bombardeio da OTAN na Iugoslávia, forças militares dos EUA apreenderam 1.000 hectares de terra perto de Uroševac, próximo da fronteira com a República da Macedônia, iniciando a construção da Base militar gigantesca, incorporada em uma rede de bases americanas em ambos os lados da fronteira entre o Kosovo e a Macedônia. Em menos de três anos foi transformada de um acampamento de tendas em uma base auto-suficiente de alta tecnologia habitada por cerca de 7.000 soldados, três quartos de todas as tropas estadunidenses estacionadas no Kosovo. O Camp Bondsteel foi construída pelo 94º Batalhão de Engenharia de Construção, 568º Companhia de Engenharia de Apoio de Combate, juntamente com a empresa privada Kellogg, Brown and Root Corporation (KBR-entao controlada pelo vece presidente dos EUA, Dick Cheney), sob a direção do Corpo de Engenheiros do Exército. A empresa KBR também é o contratante principal para o funcionamento e administração do acampamento. A base foi construída pela empresa privada Kellogg, Brown and Root (KBR) e pelo exército americano por US$ 350 milhões e a sua manutenção anual custa US$ 50 milhões. A base é abrangida por 25 quilômetros de estradas e abriga mais de 300 edifícios. É cercada por 14 km de barreiras de terra e de concreto, 84 quilômetros de arame farpado e 11 torres de vigia. Cerca de 55 helicópteros, incluindo Black Hawk e Apache, têm base em Camp Bondsteel, e, embora não haja pista de pouso para as aeronaves, a sua localização permite a possibilidade de sua construção. Há planos para no futuro substituí-la em suas funções para com a Base Aérea de Aviano, na Itália.
O campo tem a sua própria central de energia elétrica, instalações de tratamento de águas e de lixos, habitações em estilo asiático, um aeroporto para aterragem de helicópteros, e até mesmo restaurantes fast food Burger King e um Taco Bell.
Em Novembro de 2005, um delegado dos direitos humanos do Conselho da Europa, Alvaro Gil-Robles, visitou o campo onde viu uma instalação de detenção que caracterizou como uma “versão mais pequena de Guantanamo”.
Em suma, mais de 100 mil soldados repartidos por todo o continente europeu. Na África, os EUA mantêm tropas no Egito, sócio tradicional da superpotência, que além disso é, depois de Israel, o segundo beneficiário das ajudas financeiras norte-americanas.
O mapa da presença de tropas dos EUA no mundo se completa com aquelas tropas deslocadas no sudestes asiático. O domínio das águas do Pacífico é um objectivo estratégico tradicional dos EUA, acentuado na atualidade pelo aumento da importância da CHINA no cenário global.
O exército norte-americano mantém 37 mil homens e 100 aviões de combate da última geração na Coreia do Sul, 50 mil soldados no Japão (sobretudo na base de Okinawa) e 600 soldados, dentre eles 130 dos corpos de elite, deslocados recentemente para as Filipinas.
Operações realizadas no sul das Filipinas repetiram-se no Yemen e na Geórgia, na região quente do CÁUCASO, onde mais de 200 soldados norte-americanos instruem o exército na luta contra os “extremistas islâmicos”.   
Acima: um bombardeiro B-2 Spirit Stealth, que fica  estacionado na Base de Diego Garcia e abaixo com sua mortífera e formidável carga de bombas.
Esse desenvolvimento militar espetacular e global é fortalecido e potencializado por dois aspectos essenciais: a capacidade de ubiquidade das tropas norte-americanas e o apoio logístico. Este último realiza-se através dos grandes porta-aviões (são 11 no total, como o USS Theodor Roosevelt ou o USS Enterprise), sem esquecer a capacidade de vigilância (da CIA, do Pentágono, da Marinha e do Exército e Força Aérea) global da rede de satélites dos EUA.
Ou seja, a presença física e aparato tecnológico, com tropas, bases militares e enormes porta-aviões, grandes destróiers e satélites; mas, sobretudo, com capacidade de ação direta em qualquer parte do globo. George W. Bush, (o filho) um republicano isolacionista, que chegou à presidência da única potência planetária com sérias dificuldades e fraudando as eleições em 2000.
Pelo tamanho de sua ignorância, é incapaz de localizar no mapa mundi qualquer país que não fosse o seu, preparou o terreno para a ampliação da presença militar dos EUA no planeta que o seu sucessor democrata BARACK H. OBAMA (ganhador do Prêmio Nobel da Paz !!!), apesar das promessas em contrário da primeira campanha, vai manter porque essa estratégia pertence e é implantada por quem realmente governa os EUA e não o (são membros dos grupos ILLUMINATI/SIONISTAS/BILDERBERG, etc…) presidente – marionete – de plantão na Casa Branca, que há muito tempo é apenas um fantoche. 
São 156 países com tropas dos EUA em todo o planeta, 63 países com Bases militares e tropas, 7 países com 13 novas Bases desde 2001. Um total de quase 300 mil soldados americanos espalhados pelo mundo. A presença militar dos EUA no planeta aumentou cerca de 20% desde os atentados de 11 de Setembro. Estes quase 300 mil soldados presentes em mais de 150 países velam pelos “interesses” (DA ELITE das trevas) da única potência mundial.
Os EUA cogitam instalar base militar no RECIFE – BRASIL
A Força Aérea e o Pentágono ambicionam instalar uma base na costa do Nordeste brasileiro, perto do Recife, embora julgue difícil consegui-la devido ao “relacionamento político com o Brasil”. A notícia veio à luz na esteira do anúncio da criação de três bases militares na Colômbia. O plano da base na capital pernambucana consta de um documento do Air Mobility Command (Comando Aéreo de Mobilidade) sobre estratégias de transporte militar.
 O Air Mobility Command (AMC), sediado em Illinois, é um dos Maiores Comandos da Força Aérea Americana (Usaf). A aeronáutica é arma prioritária dos esforços de guerra do Pentágono desde a Guerra do Vietnã. O documento está no site da Universidade do Ar da Usaf.
A especulação sobre a instalação de uma base militar dos EUA no Brasil, em RECIFE, Pernambuco, reacende um antigo interesse americano pelo papel estratégico do Nordeste brasileiro, que avança como uma cunha, dominando todo o Atlântico Sul !!!
O sábio suíço Jean-Jacques Babel verificou que nestes últimos 56 séculos (últimos 5.600 anos), a humanidade organizou cerca de 14.500 guerras, que provocaram cerca de três bilhões e meio de mortes. Isso representa cerca da metade da população mundial de hoje. Parece que matar o nosso semelhante passou a ser um hábito do qual nós não conseguimos mais abrir mão de praticar em nosso planeta.
Os americanos estão no seu momento mais vulnerável; 
Eles são vulneráveis  porque são preguiçosos mentalmente;
Eles são preguiçosos mentalmente porque são ingênuos;
Eles são ingênuos, porque eles são ignorantes; 
Eles são ignorantes porque são desinformados deliberadamente; 
Eles são desinformados deliberadamente porque acreditam em seu governo e mídia nacional !!!  
Assim como todos os demais povos do planeta Terra…
 
Permitida a reprodução desde que mantidas a citação das fontes e a formatação original.
NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO