NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO
Seja Bem Vindo

Siga este Blog

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

O que é o Sistema Tributário e por que no Brasil ele é tão injusto?

Entenda o que é o Sistema Tributário de um país e conheça 5 obstáculos para construir um instrumento mais justo no Brasil

Sistema Tributário do Brasil é injusto (Imagem: Pragmatismo Político)
Por: Najla Passos, Carta Maior

O sistema tributário de um país é o conjunto de impostos, taxas e contribuições através dos quais o Estado obtém recursos para cumprir suas funções, como a oferta de bens e serviços públicos de qualidade. Portanto, tanto pode ser instrumento para promover a distribuição de renda quanto para ampliar a acumulação capitalista de poucos.

No Brasil, é consenso que o sistema tributário é injusto, qualquer que seja o parâmetro adotado para avaliá-lo. Estudo realizado por Maria Helena Zockum, em 2004, mostra que os mais pobres, com renda de até 2 salários mínimos, eram onerados em 48,8% com impostos, enquanto os mais ricos, com renda superior a 30 salários mínimos, em apenas 26,3%.

Para corrigir essas distorções, não há outro caminho possível que não seja executar uma ampla reforma tributária, pauta que segue emperrada no Congresso devido às diferentes visões de qual deve ser o seu propósito: a reforma tributária pela qual os empresários clamam com o apoio dos setores mais conservadores não é a mesma que irá ajudar a superar o cenário de desigualdade social e regional que ainda impera no país.

Esta semana, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) sabatinou os três candidatos que lideram a corrida presidencial e os presenteou com o documento “Proposta da Indústria para as Eleições 2014”, no qual propõe suas 48 reivindicações para o desenvolvimento do Brasil. Confira aqui quais são os 5 principais pontos que dialogam com a reforma tributária e entenda porque eles não favorecem o conjunto da sociedade:

1 – Nova governança para a competitividade.


Quando os setores mais conservadores da sociedade criticam a Política Nacional de Participação Social criada pelo governo Dilma, isso se deve não ao fato de que ela rompa com os trâmites legais da democracia representativa, como eles alegam, mas ao simples fato que considera ouvir a opinião do povo para a tomada de decisões do Executivo.

Quanto o tema é aumentar a competitividade tão almejada pelo setor da indústria, são eles mesmo que propõem a criação de um novo tipo de governança, formada por representantes públicos e privados, que seja priorizada pela presidência da república e tenha liderança executiva reconhecida, foco e prioridade para a ação, flexibilidade para superar obstáculos e, principalmente, poder decisório.

O problema é que a proposta reivindica que o grupo seja restrito e limita a representação social a dos empresários. Outros segmentos, como o dos trabalhadores, ficariam completamente alijados de quaisquer decisões que afetariam a vida de todos!

2 – Não pagamento de impostos sobre investimentos


Para aumentar a competitividade nacional, os empresários não querem pagar impostos. Em outras palavras, querem deixar que os outros setores da sociedade, como os dos trabalhadores e aposentados, financiem todos os serviços prestados pelo Estado. As desonerações já reduzem – e muito – os recursos para o financiamento das políticas públicas sociais. E seus patamares vêm crescendo nos últimos anos.

Como a discussão sobre a reforma tributária não ocorre de forma ampla, aberta à participação de toda a sociedade, as mudanças acabam ocorrendo nos gabinetes dos ministros, onde os empresários têm mais acesso e influência do que outros setores. Dados da Receita Federal mostram que as desonerações e isenções somaram 1,69% do PIB em 2005, 2,77% em 2008, 3,20% em 2009 e 3,42% em 2010.

Para se ter uma ideia do prejuízo que isso representa para o país, os 3,42% relativos às isenções que não entraram no PIB em 2010 (cerca de R$ 114 bilhões) representavam mais que o dobro do orçamento inicial previsto para o Ministério da Educação (R$ 50,9 bilhões) e ficaram bem próximos do dobro do orçamento do Ministério da Saúde (R$ 66,7 bilhões).

Ainda há outras variantes graves na política de isenções específica para os investimentos. A população de um estado que aceita sediar uma siderúrgica altamente poluente, por exemplo, não será beneficiada com os serviços públicos melhores que, pelo menos em tese, seriam possíveis de serem financiados pelo pagamento dos impostos gerados pela atividade econômica.

3 – Não pagamento de impostos sobre as exportações


Os empresários também não querem pagar impostos sobre as das exportações. É verdade que, isentos, os produtos brasileiros se tornam mais competitivas no mercado internacional. Mas o culto para o desenvolvimento regional é grande, principalmente nos estados em que a pauta se reduz aos produtos primários ou commodities. Tanto que os estados beneficiados pelas desonerações já previstas pelas legislações vigentes, em especial a Lei Kandir, são os mais pobres do país.

Os estados do norte, por exemplo, não obtém o retorno necessário com a exportação do minério que possuem. A comparação com o retorno proveniente da exploração de petróleo é gritante. Dados do Ministério de Minas e Energia revelam que os royalties minerais não chegam a representar 2% do valor da produção do setor, enquanto as rendas do petróleo representam cerca de 20%.
Além disso, as medidas que desoneram exportações de produtos primários e semielaborados terminam incentivando a exportação de commodities em detrimento da agregação de valor no país. Em outras palavras, não estimulam em nada a industrialização. Dados do Ministério de Minas e Energia, revelam que, em 2008, foram exportados 282 milhões de toneladas de minério de ferro, o seria suficiente para produzir 170 milhões de toneladas de aço. Essas transações equivaleram também à exportação de 680 mil empregos.

4 – Redução do custo do trabalho


De todas as propostas dos empresários para a reforma tributária, a redução do custo do trabalho é a que afeta de forma mais gritante a vida dos brasileiros mais pobres, porque elimina parte da proteção social que resultou de anos de luta sindical e trabalhista. Dentre as medidas apontadas, eles ressaltam a desoneração da folha de pagamento, o que deixaria apenas a cargo dos próprios trabalhadores e da sociedade por meio do estado, o financiamento das políticas sociais como INSS e Fundo de Garantia, por exemplo.

A proposta completa propõe dogmas neoliberais como associar a política de reajuste salarial a ganhos de produtividade. Em outras palavras, só dar aumento ao trabalhador que conseguir superar as metas impostas pela empresa, o que criará também a remuneração diferenciada para a mesma função. Os empresários querem, entre outras medidas, adotar jornadas de trabalho diferenciadas, com o fim do mínimo de 1 hora de descanso no almoço, por exemplo, e contratar trabalhadores que possam desempenhar múltiplas funções ao mesmo. Também apresentam marco legal para as terceirizações que, praticamente, acaba com o trabalho com carteira assinada em todas as atividades.

5 – Manter os mais pobres pagando mais


Como já foi dito, a principal razão para o sistema tributário brasileiro ser tão injusto é que os mais pobres pagam um percentual maior de impostos do que os mais ricos. Isso ocorre porque o país privilegia a taxação da circulação de bens e serviços, em que todos os brasileiros pagam a mesma alíquota, ao invés da tributação da renda e da propriedade, na qual quem tem mais paga mais, de forma progressiva.

Em 2008, por exemplo, a carga tributária do país foi da ordem de 34,9% do PIB. As incidências sobre bens e serviços somaram 16,3% do PIB e responderam por 46,8% do que foi coletado, enquanto os impostos sobre a renda e a propriedade resultaram em 8,9% do PIB ou 25,6% da carga global.
O imposto de renda, mais especificamente, foi de 2,35% do PIB ou 6,7% do total de impostos. Nos países da União europeia, a título de comparação, os diferentes impostos sobre a renda recolheram, em média, quase 9% do PIB e somaram 25% da receita de impostos. Da mesma forma, os impostos sobre propriedade, no Brasil, coletaram cerca de 1,2% do PIB e sua participação na carga total foi de apenas 3,5%. Já nos países da União Europeia, os impostos sobre propriedade alcançaram, em média, 1,9% do PIB ou 5,4% da arrecadação global. Isso faz a diferença: lá, os que ganham mais e tem mais propriedades contribuem mais e, por isso, a desigualdade social é muito menor.

Para agravar, no Brasil, o próprio Imposto de Renda sobre Pessoa Física (IRPF) cobra mais dos pobres do que dos ricos. Ainda que os últimos sejam penalizados com alíquotas mais altas, também são beneficiados com uma série de isenções que não atingem aqueles que se servem, por exemplo, dos sistemas públicos de educação e saúde. Os empresários sabem que isso é injusto, mas não propõem nenhuma medida para corrigir a distorção. Até falam em simplificar e modernizar o Imposto de Renda sobre Pessoa Física (IRPF). Mas é só isso. Por eles, grandes fortunas e grandes propriedades seguem subtaxadas.

Fontes: Pragmatismo Político , Carta Maior 

Via: Nos dias  de Noé

Metano no Ártico é bomba relógio, alertam cientistas

Liberação de metano que ocorre na Sibéria será causa, no futuro, de danos superiores aos ganhos para a economia global, como inundações e secas ou talvez uma grande erupção
Metano liberado pelo degelo que ocorre no Ártico é uma verdadeira bomba relógio, alertam os estudiosos (NINA LARSON/AFP/Getty Images)
O gás metano que está se desprendendo no Ártico graças ao derretimento maciço das geleiras – e que está se acelerando a cada verão – é “uma bomba-relógio” que será bastante visível nos litorais, acelerará a mudança climática e, para a economia global no curto prazo, irá causar perdas superiores aos ganhos globais, afirmou um grupo de cientistas de três universidades britânicas.
O estudo concluído após 40 anos de análise dos efeitos do metano liberado pelo “desaparecimento do gelo marinho no verão do Ártico”, mostra que os líderes mundiais não têm considerado as perdas econômicas trazidas pelas próximas enchentes, secas e problemas de saúde causados pelas mudanças climáticas aceleradas, nem é considerado que este metano pode ser liberado em uma grande erupção.

As reservas de metano podem ser “centenas de milhares de toneladas de um gás muitas vezes pior do que o dióxido de carbono para o aquecimento global”, adverte o relatório publicado pela Universidade de Cambridge. Mas isso não é tudo, acrescentam os cientistas, porque foram calculados os efeitos de “apenas uma fração” de todo o metano que será liberado na atmosfera em um futuro próximo. Isso então, acrescentou, poderá “possivelmente causar uma mudança climática possivelmente catastrófica.”

Os cientistas alertam que, para alguns economistas, o que acontece no Ártico é benéfico para a extração de petróleo e gás. Alegam inclusive que a abertura de novas rotas de navegação pode significar investimentos de bilhões de dólares, porém apenas considerando uma área de degelo, na Sibéria, constatou-se que o resultado foi uma perda de 60 bilhões de dólares. “O tamanho da economia global em 2012,” declaram os autores.

“Esta elevação maciça de metano terá importantes implicações para as economias globais e as sociedades”, especialmente as emergentes, assegura Peter Wadhams, professor de física na Universidade de Cambridge, de acordo com relatório da Universidade de Rotterdam.

Wadhams, junto com os outros estudiosos, publicou seu estudo com uma “advertência ao mundo” e sublinhou que “os líderes mundiais, do Fórum Econômico Mundial e do FMI devem prestar mais atenção a esta bomba relógio invisível”, diz a Universidade de Rotterdam.

O metano pode ser liberado em uma grande erupção

Na realização do estudo, a equipe analisou a perda de metano que ocorre hoje em dia, emergindo do fundo do mar da Sibéria Oriental. Em análises adicionais, ressaltou que se desconhece se essa perda continuará “progressivamente ao longo dos próximos 30 anos, ou se haverá uma erupção gigantesca”, disse a Universidade de Cambridge.

Os autores calcularam que nesta região serão lançadas cerca de 50 gigatoneladas de metano, e reiteraram que esta é apenas uma fração do total emitido pelo derretimento do Ártico. O preço total das mudanças no Ártico significa multiplicar a emissão da Sibéria, ou seja, 60 bilhões de dólares em prejuízos.

Por esta razão, “o impacto global de um aquecimento do Ártico é uma bomba relógio econômica”, também confirma Gail Whiteman, Professor de Sustentabilidade, Gestão e Mudanças Climáticas da Universidade de Rotterdam, em um comunicado.

“A liberação de metano poderia avançar até a data em que o aumento da temperatura média mundial ultrapasse 2 graus Celsius entre 15 e 35 anos”, disse Chris Hope, Professor do Curso de Política da Escola de Administração da Universidade de Cambridge, de acordo com relatório.

Ausência de medidas de controle

Hope destaca em seu estudo que o custo estimado de 60 bilhões de dólares é causado pela ausência de medidas de controle da mudança climática, no entanto, como no modelo estudado não foram incluídos os efeitos da acidificação dos oceanos, os autores do estudo advertem que o custo real poderá inclusive ser muito maior.

Países em desenvolvimento, os mais atingidos

“Oitenta por cento desses custos serão suportados pelos países em desenvolvimento; à medida que eles experimentam um clima mais extremo, sofrerão com as inundações, as secas e os problemas de saúde graças ao aquecimento do Ártico, acrescentaram os pesquisadores, de acordo com a Universidade de Rotterdam.

Para Wadhams, Whiteman e Hope, o impacto do degelo será muito maior do que  os “benefícios de curto prazo para o transporte marítimo e a extração” de petróleo e gás.

Os estudiosos dizem que os líderes mundiais “perdem o foco” e não levam em conta as projeções de metano do Ártico. “Nem mesmo o Fórum Econômico Mundial e o Fundo Monetário Internacional reconhecem o perigo econômico da mudança no Ártico.”

O estudo

Os três pesquisadores estudaram o desaparecimento do gelo do Ártico por 40 anos, e antes de publicar os resultados afirmaram que fizeram testes do modelo utilizado mais de 10 mil vezes para revelar dados confiáveis​​.

Os cientistas enfatizam que as projeções são baseadas em trabalho anterior feito na região pela Dr. Natalia Shakhova e seus colegas do Centro de Pesquisa Internacional do Ártico da Universidade do Alasca. Para Wadhams, eles são “as únicas pessoas com o conhecimento geológico suficiente para fazer estimativas das emissões de metano nesta área.”

 
fonte:http://www.epochtimes.com.br/metano-no-artico-e-bomba-relogio-alertam-cientistas/#.U_Hwlf6qqXU 

Metano no Ártico é bomba relógio, alertam cientistas

Liberação de metano que ocorre na Sibéria será causa, no futuro, de danos superiores aos ganhos para a economia global, como inundações e secas ou talvez uma grande erupção
Metano liberado pelo degelo que ocorre no Ártico é uma verdadeira bomba relógio, alertam os estudiosos (NINA LARSON/AFP/Getty Images)
O gás metano que está se desprendendo no Ártico graças ao derretimento maciço das geleiras – e que está se acelerando a cada verão – é “uma bomba-relógio” que será bastante visível nos litorais, acelerará a mudança climática e, para a economia global no curto prazo, irá causar perdas superiores aos ganhos globais, afirmou um grupo de cientistas de três universidades britânicas.
O estudo concluído após 40 anos de análise dos efeitos do metano liberado pelo “desaparecimento do gelo marinho no verão do Ártico”, mostra que os líderes mundiais não têm considerado as perdas econômicas trazidas pelas próximas enchentes, secas e problemas de saúde causados pelas mudanças climáticas aceleradas, nem é considerado que este metano pode ser liberado em uma grande erupção.

As reservas de metano podem ser “centenas de milhares de toneladas de um gás muitas vezes pior do que o dióxido de carbono para o aquecimento global”, adverte o relatório publicado pela Universidade de Cambridge. Mas isso não é tudo, acrescentam os cientistas, porque foram calculados os efeitos de “apenas uma fração” de todo o metano que será liberado na atmosfera em um futuro próximo. Isso então, acrescentou, poderá “possivelmente causar uma mudança climática possivelmente catastrófica.”

Os cientistas alertam que, para alguns economistas, o que acontece no Ártico é benéfico para a extração de petróleo e gás. Alegam inclusive que a abertura de novas rotas de navegação pode significar investimentos de bilhões de dólares, porém apenas considerando uma área de degelo, na Sibéria, constatou-se que o resultado foi uma perda de 60 bilhões de dólares. “O tamanho da economia global em 2012,” declaram os autores.

“Esta elevação maciça de metano terá importantes implicações para as economias globais e as sociedades”, especialmente as emergentes, assegura Peter Wadhams, professor de física na Universidade de Cambridge, de acordo com relatório da Universidade de Rotterdam.

Wadhams, junto com os outros estudiosos, publicou seu estudo com uma “advertência ao mundo” e sublinhou que “os líderes mundiais, do Fórum Econômico Mundial e do FMI devem prestar mais atenção a esta bomba relógio invisível”, diz a Universidade de Rotterdam.

O metano pode ser liberado em uma grande erupção

Na realização do estudo, a equipe analisou a perda de metano que ocorre hoje em dia, emergindo do fundo do mar da Sibéria Oriental. Em análises adicionais, ressaltou que se desconhece se essa perda continuará “progressivamente ao longo dos próximos 30 anos, ou se haverá uma erupção gigantesca”, disse a Universidade de Cambridge.

Os autores calcularam que nesta região serão lançadas cerca de 50 gigatoneladas de metano, e reiteraram que esta é apenas uma fração do total emitido pelo derretimento do Ártico. O preço total das mudanças no Ártico significa multiplicar a emissão da Sibéria, ou seja, 60 bilhões de dólares em prejuízos.

Por esta razão, “o impacto global de um aquecimento do Ártico é uma bomba relógio econômica”, também confirma Gail Whiteman, Professor de Sustentabilidade, Gestão e Mudanças Climáticas da Universidade de Rotterdam, em um comunicado.

“A liberação de metano poderia avançar até a data em que o aumento da temperatura média mundial ultrapasse 2 graus Celsius entre 15 e 35 anos”, disse Chris Hope, Professor do Curso de Política da Escola de Administração da Universidade de Cambridge, de acordo com relatório.

Ausência de medidas de controle

Hope destaca em seu estudo que o custo estimado de 60 bilhões de dólares é causado pela ausência de medidas de controle da mudança climática, no entanto, como no modelo estudado não foram incluídos os efeitos da acidificação dos oceanos, os autores do estudo advertem que o custo real poderá inclusive ser muito maior.

Países em desenvolvimento, os mais atingidos

“Oitenta por cento desses custos serão suportados pelos países em desenvolvimento; à medida que eles experimentam um clima mais extremo, sofrerão com as inundações, as secas e os problemas de saúde graças ao aquecimento do Ártico, acrescentaram os pesquisadores, de acordo com a Universidade de Rotterdam.

Para Wadhams, Whiteman e Hope, o impacto do degelo será muito maior do que  os “benefícios de curto prazo para o transporte marítimo e a extração” de petróleo e gás.

Os estudiosos dizem que os líderes mundiais “perdem o foco” e não levam em conta as projeções de metano do Ártico. “Nem mesmo o Fórum Econômico Mundial e o Fundo Monetário Internacional reconhecem o perigo econômico da mudança no Ártico.”

O estudo

Os três pesquisadores estudaram o desaparecimento do gelo do Ártico por 40 anos, e antes de publicar os resultados afirmaram que fizeram testes do modelo utilizado mais de 10 mil vezes para revelar dados confiáveis​​.

Os cientistas enfatizam que as projeções são baseadas em trabalho anterior feito na região pela Dr. Natalia Shakhova e seus colegas do Centro de Pesquisa Internacional do Ártico da Universidade do Alasca. Para Wadhams, eles são “as únicas pessoas com o conhecimento geológico suficiente para fazer estimativas das emissões de metano nesta área.”

 
fonte:http://www.epochtimes.com.br/metano-no-artico-e-bomba-relogio-alertam-cientistas/#.U_Hwlf6qqXU 
 
http://issoeofim.blogspot.com.br/

Via: Semeando

John Titor: a história de um Viajante no Tempo?

Posted by  on 18/08/2014
johntitor
JOHN TITOR E A HISTÓRIA DE UM VIAJANTE NO TEMPO?
O material aqui apresentado estava fazendo parte de uma espécie de “biblioteca” virtual que possuímos sobre assuntos dos mais variados possíveis, e que por diferentes razões (a maior parte envolvendo credibilidade) estão ainda sendo analisados.
Ocorre que especificamente sobre esta história, aparente e completamente maluca de “John Titor”, um dia desses fizemos a conexão com seu nome, sua história e com os fatos que estão se desenrolando na Ucrânia envolvendo a Rússia, os EUA e a Europa … e então algo pareceu fazer muito sentido … 
Edição e imagens:  Thoth3126@gmail.com
Após meditarmos sobre o assunto e analisarmos novamente este material decidimos publicá-lo, apesar de ele ser muito polêmico (afinal quase tudo que já publicamos também o é) e cabe a cada um tirar as suas próprias conclusões … 
Várias Fontes via Internet:
  1. http://www.johntitor.com/
  2. http://www.johntitor.com/Pages/2036.html
  3. http://www.johntitorworld.com/
  4. http://www.timetravelinstitute.com/
  5. http://pt.wikipedia.org/wiki/John_Titor
  6. http://www.anomalies.net/
  7. http://www.bibliotecapleyades.net/ciencia/time_travel/johntitor04.htm 
“John Titor” foi um nome usado em vários fóruns de debates durante quatro meses entre os anos de 2000 e 2001 (de novembro de 2000 até 21 de março de 2001) por um postador que alegava ser um viajante no tempo vindo do futuro, do ano de 2036.
time-traveler
Nessas postagens, ele fez diversas previsões (algumas vagas, outras bem específicas) sobre eventos no futuro próximo, começando com eventos em 2004. Ele descreveu um futuro drasticamente modificado no qual os Estados Unidos foram divididos em cinco regiões menores, o meio ambiente e a infraestrutura no hemisfério norte foram devastados por uma guerra nuclear e muitas outras potências mundiais foram destruídas neste breve conflito.
O ano em que esta devastação nuclear ocorre seria em 2015 (n.T.e o local de origem podendo ser a UCRÂNIA) envolvendo a Rússia e a China“.
Até hoje, essa história tem sido recontada em inúmeros sites, em um livro e em uma peça de teatro. Ele também foi discutido ocasionalmente no programa de rádio Coast to Coast AM. Neste aspecto, a história de John Titor pode ser única em termos do amplo apelo a partir de uma mídia originalmente limitada, um fórum de discussões da internet.
AS POSTAGENS DE JOHN TITOR
A primeira postagem apareceu no fórum “Instituto Viagem no Tempo” em 2 de novembro de 2000, sob o nome de TimeTravel_0. Na época, as postagens nada tinham a ver com eventos futuros, e o nome John Titor ainda não estava sendo usado. Em vez disso, as postagens discutiam sobre viagem no tempo em geral, sendo a primeira a descrição em “seis partes” do que uma máquina do tempo precisaria ter para funcionar (não vamos focar nossa atenção neste item) e respostas a perguntas sobre como tal máquina funcionaria. As mensagens iniciais tendiam a ser curtas.
bomba-atomica
Pouco tempo depois, TimeTravel_0 alegou ser um viajante no tempo do futuro e começou a postar descrições variadas de seu mundo em seu tempo. Gradualmente ele começou a responder perguntas postadas no fórum e começou a revelar uma imagem mais complexa do futuro da humanidade e da Terra. Embora muitas de suas postagens dissessem respeito a condição do mundo no futuro, Titor também respondeu a perguntas tanto no fórum quanto no IRC, (Internet Relay Chat).
Algumas vezes ele também falou sobre eventos mais atuais; por exemplo, em uma postagem inicial ele disse que “Uma importante descoberta que permitirá desenvolver a tecnologia de viagem no tempo em cerca de um ano [previsão para 2001] quando o CERN ativar a sua maior instalação”
O nome John Titor não foi apresentado até janeiro de 2001, quandoTimeTravel_0 começou a postar no fórum  Art Bell na BBS (que requeria um nome ou pseudônimo para cada conta). As postagens de Titor cessaram no fim de março de 2001. Finalmente, alguns dos tópicos acabaram corrompidos; mas as postagens de Titor tinham sido salvas nos discos rígidos dos outros participantes e foram copiadas para Anomalies.net, junto com novas discussões sobre a ciência por trás da viagem no tempo de John Titor assim como sobre suas predições. Por volta de 2003, vários sites reproduziram as postagens de Titor, rearrumando-as em narrativas. Nem todos se referem às datas originais das postagens.
Em suas postagens online, Titor alegou ser um soldado americano vindo do ano de 2036 originário de Tampa na Flórida, que foi designado para um projeto governamental de viagem no tempo. Supostamente, Titor foi enviado de volta a 1975 para recobrar um computador IBM 5100 que ele disse ser necessário para depurar diversos programas antigos de computador em 2036; uma referência ao problema que aconteceria no ano 2038 nos sistemas Unix. O IBM-5100 executa as linguagens de programação APL e BASIC. Titor foi selecionado para essa missão especificamente porque seu avô paterno esteve diretamente envolvido na montagem e programação do IBM 5100.
johntitor-ibm5100
Um IBM Series 5100, tipo 5110, o modelo de computador que John Titor levou de volta para o futuro
Titor afirmou que ele foi enviado para o passado para adquirir esse computador IBM 5100, pois ele poderia traduzir diversos tipos de códigos de computador. De acordo com o engenheiro da IBM Bob Dubke, as declarações de Titor a respeito da habilidade pouco conhecida do IBM 5100 de emular e depurar sistemas de estrutura principais estavam corretas. 
Defensores da veracidade da história de John Titor dizem que essa informação não estava disponível ao público em 2000 ou 2001 quando Titor fez sua declaração, o próprio Titor afirmou que esse recurso foi “descoberto” não antes de 2036, quando o Unix, como a fonte subjacente por trás de todos os sistemas operacionais de computador que continuam executando infraestruturas locais e outras tarefas computacionais, estava a apenas dois anos de não ser capaz de funcionar mais devido às limitações de números inteiros de 32 bits.
Titor alegou estar em uma escala no ano 2000 por “razões pessoais”; i.e., para coletar oito grafias perdidas na (futura) guerra civil (nos EUA) e para visitar sua família, de quem ele falou com frequência. Titor também disse que esteve, por alguns meses, tentando alertar qualquer um que escutasse sobre a ameaça da propagação da doença da “Vaca Louca” (doença de Creutzfeldt-Jakob) através de produtos com carne de gado e sobre a possibilidade da eclosão de uma nova guerra civil dentro dos Estados Unidos.
Quando questionado sobre esses assuntos por um participante online, Titor também expressou um interesse em mistérios sem explicação como extraterrestres (que em seu tempo – ou para ele – ainda estão sem explicação). Titor sugeriu que OVNIs e visitantes alienígenas podem também ser viajantes no tempo de um futuro muito mais longe que o seu, que possuem máquinas do tempo superiores às suas (esta correto, isto é o que ocorre com certos visitantes alienígenas).
PREVISÕES DE JOHN TITOR
A mais imediata das previsões de Titor foi a de que aconteceria uma futura guerra civil nos Estados Unidos relacionada com “ordem e direitos civis”. Ele afirmou que essa guerra começaria em 2004, com desordens civis envolvendo as eleições presidenciais daquele ano. Esse conflito civil, que segundo ele “teria um evento semelhante ao cerco de Waco todo mês e pioraria cada vez mais”, chegaria “praticamente às portas de todos” os norte americanos e explodiria em 2008.
Titor afirmou que quando ele tinha 13 anos de idade, isso seria em 2011, ele lutou com a “Fighting Diamondbacks”, uma unidade de infantaria de espingarda da Flórida, por pelo menos quatro anos, isto de acordo com a sua linha temporal. Entretanto, em outras postagens ele postulou que se escondeu durante essa futura guerra civil. Como um resultado da guerra, os Estados Unidos se dividiram em cinco regiões, com base em vários fatores e diferentes objetivos militares. Essa guerra civil, de acordo com Titor, acabaria então em 2015 com uma breve, porém intensa, Terceira Guerra Mundial:
Em 2015, a Rússia lança um ataque nuclear contra as maiores cidades dos Estados Unidosda China e da Europa. Os Estados Unidos contra-atacam. As cidades americanas são destruídas junto com o A. F. E. (American Federal Empire, Império Federal Americano). Então nós (no país) vencemos. A União Europeia e a China foram também destruídas nesse conflito.”
ucrania-russia-eua-europa
Titor se refere à troca de ataques nucleares como o “Dia N”. Washington, D.C. e Jacksonville, Flórida são especificamente mencionadas como cidades atingidas e destruídas. Após a guerra, Omaha, estado de Nebraska é a nova capital da nação.
Titor é vago quando às motivações e causas exatas da Terceira Guerra Mundial. Numa de suas observações, ele caracterizou as hostilidades como decorrentes dos “choques de fronteira e a superpopulação” (n.T. exatamente o que esta havendo entre a Ucrânia e a Rússia, na região de Donetsk e Dombass, onde caiu o avião que foi derrubado da Malaysia Airlines matando todas as 298 pessoas à bordo) mas também falou do presente conflito entre árabes e judeus como um prenúncio da Terceira Guerra Mundial.
PREVISÕES FRACASSADAS DE JOHN TITOR
As postagens enfrentaram o ceticismo quando foram publicadas, mas era impossível provar de antemão que os eventos previstos não iriam acontecer. Já que Titor afirmou que a interpretação de muitos mundos da física quântica estava correta, efetivamente significando que sua viagem foi de um universo paralelo e que as coisas poderiam acontecer diferentemente de como ele previu (afinal nada esta escrito em pedra, individual e coletivamente podemos influenciar todos os fatos e criar diferentes realidades), os detalhes que ele apresentou eram infalsificáveis.
Uma das primeiras declarações de Titor foi a de que o CERN descobriria a base para a viagem no tempo perto de 2001, com a criação dos “buracos negros” em miniatura cerca de meio ano após sua partida (seria por volta de setembro de 2001). Isso não ocorreu, até 2014 quando aconteceu um acidente cientifico no CERN, e os cientistas descobriram algo menor que o átomo, correndo risco de abrir um buraco negro na terra e engolir tudo.
Um artigo que seria publicado por volta do tempo em que ele previu a criação dos buracos negros em miniatura pela CERN (um tema recorrente, também atribuído aos laboratórios de pesquisa Fermilab e ao Brookhaven em várias épocas) foi tomado por alguns como uma evidência para sua afirmação, mas esses eventos também não ocorreram.
cern-lhc
O Large Hadron Collider – LHC,  do CERN, é o maior acelerador de partículas e o de maior energia existente do mundo. Seu principal objetivo é obter dados sobre colisões de feixes de partículas, tanto de prótons a uma energia de 7 TeV (1,12 microjoules) por partícula, ou núcleos de chumbo a energia de 574 TeV (92,0 microjoules) por núcleo. O laboratório localiza-se em um túnel de 27 km de circunferência, bem como a 175 metros abaixo do nível do solo na fronteira franco-suíça, próximo a Genebra, Suíça.
A guerra civil não esteve nem remotamente perto de explodir após as eleições americanas de 2004, sem nenhum conflito adicional em 2008 (ano da eleição de Obama) da maneira que Titor descreveu. Na conversa online ele afirmou que uma parte de sua missão era previnir a futura guerra mundial, mudando a história, ao alertar a humanidade de que tal fato estaria para acontecer.
Ainda em outubro de 2000, um mês antes de ele começar a postar, ele apareceu numa sala de bate-papo IRC do Reino Unido. No chat, sua resposta uma pergunta feita por Yariesa sobre ser possível ele mudar o futuro que ele estava prevendo foi a seguinte: Já é tarde demais. Eu só desejo que as coisas não tenham que ocorrer do mesmo modo em que elas aconteceram.
ContagemRgressiva
Se voce leu todo o texto e quer mais informações sobre o FUTURO dos EUA, veja no link
  1. http://thoth3126.com.br/a-visao-das-provacoes-dos-estados-unidos-por-george-washington/ 
  2. http://thoth3126.com.br/o-futuro-dos-eua-por-ned-dougherty/
Mais informações em
  1. http://thoth3126.com.br/category/nova-ordem-mundial-nwo/
  2. http://thoth3126.com.br/e-u-a-o-exercito-dos-illuminatinova-ordem-mundial/
  3. http://thoth3126.com.br/o-governo-oculto-secreto-nos-eua/;
  4. http://thoth3126.com.br/forcas-das-trevas-atuam-de-dentro-do-governo-dos-eua/
  5. http://thoth3126.com.br/o-governo-oculto-secreto-nos-eua-ii/
  6. http://thoth3126.com.br/grupo-bilderberg-misterios-e-controle-alienigena/
  7. http://thoth3126.com.br/euao-poder-militar-illuminati-nwo-invade-o-planeta/  
Permitida a reprodução desde que respeite a formatação original e mencione as fontes.

Nova pesquisa Datafolha demonstra mudança drástica no cenário eleitoral com morte de Campos

Publicado por Revolta Brasil em 18 agosto
Nova pesquisa Datafolha demonstra mudança drástica no cenário eleitoral com morte de Campos
Em pesquisa anterior divulgada pela Datafolha, Dilma liderava com 36%, Aécio aparecia em 2º com 20% e Eduardo Campos com 8% era o terceiro. Em nova pesquisa que foi divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo desta segunda-feira (18), já com Marina aparecendo como candidata, Dilma manteve os 36%, no entanto quem aparece em 2º é Marina Silva, com 21% das intenções de voto enquanto que seu antecessor Eduardo Campos tinha apenas 8% das intenções de voto, Aécio caiu para terceiro com 20%, mantendo o mesmo percentual da pesquisa anterior (como a pesquisa tem margem de erro de 2 pontos percentuais, tecnicamente Marina está empatada com Aécio). Os indecisos, que eram 14% na pesquisa anterior, caíram para 9%, votos brancos/nulos também caíram de 13% na pesquisa anterior, para 8%
Simulação de Segundo Turno
Marina larga também em situação de empate técnico com Dilma na simulação de segundo turno: Marina com 47% e Dilma com 43%. O Datafolha não pesquisou um cenário entre Marina e Aécio. No cenário entre Dilma e Aécio, a petista tem 47%, e o tucano, 39%. (Revolta Brasil, com G1)

Paulo Eduardo Martins, jornalista e ferrenho críticos do governo petista a pouco se pronunciou em sua página no facebook sobre um cenário político entre Marina e Dilma. “ Ter que escolher entre Dilma e Marina é viver o drama do suicida que não sabe se se envenena ou se enforca.”

Conheça o vidente que teria previsto morte de Campos 9 anos antes de acontecer

Publicado por Revolta Brasil em 18 agosto
Conheça o vidente que teria previsto morte de Campos 9 anos antes de acontecer
O vidente Jucelino Nóbrega da Luz divulgou em seu site o que seria uma carta com registro em cartório, que teria enviado acerca de sua premonição ainda em 2005 por correspondência para Eduardo Campos.
A carta descreve com riqueza de detalhes desde a data até a forma como aconteceria a tragédia e diz que seria uma sabotagem, ou seja, um atentado, e não um acidente.
Veja a íntegra da carta:
Venho mui respeitosamente, pedir que me escute porque teremos um acidente da TAM em São Paulo JJ 3054 e esse é um sinal que sua vida estará em risco e uma sabotagem vai derrubar seu avião em Santos com avião labace 2012, em 13/08/2014. Deverá ter muito cuidado, pois será candidato a presidente em 2014. Seu avião será sabotado e poderá ter outro acidente da TAM EM 26/11/2014.
Espero estar errado.
Jucelino Nóbrega 15/06/2005.
Veja a carta:
Apesar dos anexos da carta mostrarem o registro em cartório realmente do ano de 2005 é importante pesquisar um pouco mais sobre o autor desta provável carta que, segundo ele mesmo, teria sido encaminhada à Campos 9 anos antes da tragédia acontecer.

Pois bem. Em 2009 o Fantástico, programa de maior audiência dos domingos da Rede Globo, dedicou 10 minutos à desvendar Jucelino. E o que foi constatado, demonstra segundo a própria reportagem, que este vidente tem usado de esperteza e charlatanismo para se auto-promover.


O vidente foi ao programa Sônia Abraão, na Rede TV, rebater as acusações da Globo.


O site E-Farsas, o maior site do Brasil especializado em desmascarar mentiras espalhadas pela web falou sobre a carta de Jucelino, que teria sido enviada para Eduardo Campos. Veja a análise final do E-farsas sobre a carta:
“A carta existe mesmo e foi publicada (somente após o acidente) no site do vidente Jucelino da Luz. No entanto, seu conteúdo não aparenta nenhum grau de confiabilidade! Quer um conselho: encare isso como fazem com horóscopos, apenas como diversão e entretenimento!”

Vírus ebola atravessa fronteiras

O mortífero vírus ebola atingiu a Ásia. Na Índia, foi internado um homem que chegou ao aeroporto internacional Indira Gandhi, procedente da Nigéria. Na véspera, na zona de trânsito do aeroporto de Abu Dhabi, morreu uma mulher, que seguia à Índia proveniente da Nigéria.

Foram-lhe diagnosticados alegados sintomas da febre ebola.
Aeroportos de vários países estão recebendo equipamentos suplementares, incluindo câmaras térmicas e brigadas de médicos. A maior atenção tem sido dedicada aos voos da África e cidadãos dos países africanos.
A Organização Mundial da Saúde já introduziu limitações à deslocação de pessoas contaminadas. Esta categoria abrange os doentes com sintomas suspeitos: tais pessoas podem ser hospitalizadas em regime de quarentena até que sejam feitos exames necessários.
Acontece que até hoje o ebola não tem cura, sendo o isolamento um único meio de evitar a pandemia, realça o especialista em virologia, Viktor Larichev:
“O vírus se propaga através de líquidos produzidos pelo homem. Por isso, tudo que estiver em contato com o doente poderá ficar contaminado. Dai, a necessidade de isolamento completo. Na Rússia, tal seria um compartimento isolado, no qual podem entrar médicos, vestidos de escafandros. Mas na África, o nível de serviços epidemiológicos é muito baixo, sendo, pois, indispensáveis medidas drásticas semi-militares”.
Na Libéria, os locais em que permanecem os pacientes contaminados são protegidos por guardas armados. Tal opção surgiu devido à ação de bandidos que, dias antes, tinham atacado uma enfermaria de isolamento na capital liberiana. Eles quebraram a porta, soltaram 20 doentes em quarentena e roubaram equipamentos, inclusive os colchões e a roupa de cama. Na sequência disso, o risco de propagação da doença veio aumentar múltiplas vezes.
O problema tem sido agravado pelo fato de que muitos habitantes da Guiné, Libéria, Nigéria, Serra Leoa e de outros países do oeste africano, afetados pelo surto da doença, se recusam a seguir prescrições de médicos: preferem morrer em casa, pondo em perigo a vida dos familiares. Na opinião de alguns, a morte se causa não pelo vírus, mas por fatores religiosos ou devido à conspiração da civilização ocidental.
Tudo isso e outras superstições tem dificultado o combate à propagação da ebola, assinala o epidemiologista Serguei Romanchuk:
“Tais precedentes não são uma novidade. No Haiti, por exemplo, em que se assistiu a um surto de cólera, a população local também pensava ser vítima de contaminação organizada por pessoas de raça branca. Assim, alguns habitantes locais tinham agredido funcionários e médicos da Organização Mundial da Saúde. No Haiti, o ambiente cultural é idêntico aos costumes liberianos. As pessoas são analfabetas e pouco educadas. Em todo o caso, a epidemia poderá ser vencida. A questão é de forças e meios a utilizar. Um isolamento completo do país sairá muito mais caro”.
Enquanto isso, o número de vítimas da ebola atingiu, no fim da semana passada, 1.145 pessoas. O número de doentes é duas vezes maior com uma possibilidade de sobreviverem igual a 1:10.

NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO