Translate

Trabalhamos para divulgar notícias SOBRE: POLITICA, CURIOSIDADES, SAÚDE, ASTRONOMIA, UFOLOGIA, GUERRA, MISTÉRIOS E MUITO MAIS.Precisamos de sua ajuda, clique nas propagandas expostas no Blog, para manter nosso site no ar.

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Aviões de guerra turcos no Iraque, a França também promete apoio à guerra contra ISIS

Encontrarmos novos aliados na última guerra

por Jason Ditz
 08 de agosto de 2014
 
A imprensa turca está relatando que os F-16 da Turquia agora estão aparecendo em cima do norte do Iraque, e alguns relatos sugerem que eles podem ser destinados a bombardear alvos sortidos contra ISIS, a primeira etapa de uma guerra internacional crescente no Iraque.
  O presidente Obama anunciou suas intenções de começar um guerra aérea dos EUA no norte do Iraque, autorizando ataques aéreos contra alvos ISIS na área, bem como missões de resgate para salvar Yazidis presos no topo de uma montanha.
Não vai ser apenas os EUA e a Turquia, ou, como a França também prometendo "apoio técnico" não específico para o esforço de guerra internacional para expulsar ISIS da região, embora neste ponto fontes francesas dizem que o envio de tropas não está sendo considerado.
O Irã já está envolvido na guerra ISIS, com as tropas que participam na defesa do território iraquiano xiita.  A Síria também tem realizado alguns ataques aéreos contra ISIS ao longo do que foi outrora a fronteira Iraque-Síria, mas agora simplesmente atravessa o califado IS.
  É uma invulgar  de ma coleção de nações a serem envolvidas em uma guerra, e reflete a crescente preocupação regional, sobre a crescente nação ISIS, e em particular os seus movimentos recentes no Curdistão iraquiano.
  Nota: Alguns dos relatórios deste artigo é baseado do Curdistão iraquiano. Embora fontes tradicionalmente confiáveis ​​de informação, o Curdistão está abertamente fazendo lobby para o envolvimento militar americano neste momento e, portanto, os esforços para "gerenciar" a informação que sai da região não pode ser descartada.
http://news.antiwar.com

http://undhorizontenews2.blogspot.com.br/2014/08/voltamos-crisis.html

Libéria se Esforça para Conter Propagação do Ebola

Liberianos entram em conflito com os profissionais de saúde do governo sobre os temores do Ebola, enquanto o Presidente Ellen Johnson Sirleaf declara estado de emergência e impõe quarentenas nas comunidades gravemente afetadas.

Em uma área encharcada em Johnsonville, uma cidade nos arredores da capital da Libéria, Monróvia, Joseph Bayogar segura a mão ao queixo e balança a cabeça enquanto ele caminha através do que é agora um local de enterro improvisado. "Nós não tínhamos Ebola em nossa área", diz o morador local. "Agora, o governo colocou nossas vidas em perigo fazendo isso."

Ele estava visitando o local em 04 de agosto, apenas dois dias após os profissionais de saúde trazerem cerca de 37 corpos - vítimas do surto mortal de Ebola que agora matou quase 1.000 pessoas na África Ocidental - para a área por ordem do Ministério da Saúde. O Ministro Adjunto da Saúde, Tolbert Nyenswah, disse à Time que o governo havia comprado o terreno da administração municipal, a fim de usar a área como um local de enterro.

Mas, como os profissionais da saúde enterraram os corpos, os moradores locais dizem que eles os expulsaram, com medo da propagação da doença altamente contagiosa. Os profissionais de saúde abandonaram o resto dos cadáveres, despejarndo-os em buracos rasos em uma área pantanosa, dizem os moradores. O Ministério da Saúde nega que os corpos foram despejados.

Bombardeiros russos ‘testaram’ as defesas aéreas dos EUA 16 vezes nos últimos 10 dias

Tu-95
Bombardeiros nucleares estratégicos russos e outras aeronaves militares norte-americanos entraram nas zonas de defesa aérea e de identificação (air defense identification zones – ADIZs) pelo menos 16 vezes nos últimos dez dias, confirmaram funcionários da defesa americana.
“Durante a semana passada, o NORAD tem visualmente identificado aviões russos operando em e ao redor das zonas de identificação de defesa aérea dos EUA”, disse o major. Beth Smith, porta-voz do Comando de Defesa Aeroespacial da América do Norte (North American Aerospace Defense Command – NORAD).
Smith procurou minimizar as incursões que ele chamou de “um aumento na atividade”, dizendo que os voos foram avaliados como missões de treinamento de rotina e exercícios.
Mas um funcionário da Defesa familiarizado com os relatórios das incursões discordou da avaliação de Smith. “Estes não são apenas missões de treinamento, as forças nucleares estratégicas russas parecem estar tentando testar nossas reações de defesa aérea, ou os nossos sistemas de comando e controle.”
F-22 Raptor intercepts Russian bomber
O NORAD acionou caças várias vezes quando os aviões russos voavam ao longo das ADIZs. Os aviões russos incluíam uma mistura de bombardeiros pesados Tu-95H e Tu-142F de reconhecimento marítimo, bem como um IL-20 de coleta de inteligência.
Os voos de bombardeiros ocorreram principalmente ao longo do Alasca, que abrange as Ilhas Aleutas e uma incursão envolvendo a entrada em zona de defesa aérea do Canadá.
Durante a Guerra Fria, bombardeiros soviéticos tentavam acionar as defesas aéreas como preparação para um potencial conflito nuclear.
Aviões russos também têm feito incursões em ço aéreo de outros países neste ano. Em junho, a RAF enviou Typhoons para interceptar quatro aeronaves que voavam ao largo do espaço aéreo em torno dos Estados Bálticos.

É guerra - Estados Unidos fazem primeiro bombardeio contra radicais no Iraque

Os Estados Unidos bombardearam posições de artilharia do Estado Islâmico (EI) no Iraque que ameaçavam funcionários americanos baseados em Irbil, na área autônoma curda no Iraque, anunciou nesta sexta-feira (8) o Pentágono.


Dois aviões de caça, modelo F/A-18, lançaram bombas guiadas a laser em uma peça de artilharia móvel perto de Irbil, segundo o secretário de imprensa do Pentágono, John Kirby.

Kirby disse que os rebeldes islâmicos estavam usando a artilharia contra as forças curdas que defendiam Irbil, onde os militares dos EUA estão localizados.

O presidente Barack Obama disse na quinta (7) que havia autorizado um bombardeio limitado para evitar o "genocídio" e neutralizar a ofensiva dos radicais sunitas, que capturaram áreas do norte do Iraque e avançaram para próximo da capital regional autônoma curda, Irbil.

Desde que os radicais iniciaram uma ofensiva relâmpago em junho no Iraque, declarando um califado (Estado que segue as leis islâmicas) em áreas tomadas no país e também na Síria, é a primeira vez que os EUA optam pela ação militar.

Obama disse que os ataques aéreos, que seriam os primeiros dos EUA no Iraque desde a retirada americana do país em 2011, também poderiam ser usados para apoiar as forças iraquianas e curdas, que tentam romper o cerco à montanha de Sinjar, onde dezenas de milhares de yazidis se abrigaram, fugindo do EI.

Os yazidis, uma etnia curda que segue o Zoroastrismo, estão entre os poucos grupos minoritários pré-islâmicos que sobreviveu durante séculos no norte do Iraque.

Folhapress e O Tempo.com.br

http://lado-oculto-nova-ordem-mundial.blogspot.com.br/2014/08/e-guerra-estados-unidos-fazem-primeiro.html

OMS declara estado de EMERGÊNCIA MUNDIAL por causa do Ebola



A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou nesta sexta-feira uma emergência internacional de saúde por conta da disseminação do vírus ebola, que já matou mais de 930 pessoas neste ano no oeste da África.

A entidade disse que uma resposta internacional coordenada é essencial para interromper e reverter a disseminação da doença.

Nigeria Declares State Of Emergency: Everyone In The World Is At Risk From Ebola, CDC Issues Level 1 All Hands Call 20140807 ebola 0

As medidas anunciadas pela OMS não incluem restrições a viagens internacionais ou ao comércio.

Mas os países-membros deverão preparar medidas para detectar, investigar e administrar eventuais casos de ebola, incluindo em aeroportos, segundo a OMS.

O anúncio da OMS foi feito após uma reunião de emergência de dois dias na Suíça, convocada para discutir o surto da doença.

Segundo a agência, o surto de ebola, o pior da história, é "um evento extraordinário".

Até agora, somente foram detectados casos de transmissão da doença neste ano em Serra Leoa, Guiné, Libéria e Nigéria, mas teme-se que o vírus, que é altamente contagioso, possa se espalhar para outras partes do mundo.

"As possíveis consequências de uma disseminação internacional maior são particularmente sérias em vista da virulência do vírus, dos padrões intensivos de transmissão na comunidade e em áreas médicas, e dos fracos sistemas de saúde nos países atualmente afetados e sob maior risco", disse a OMS num comunicado.

Entre as recomendações feitas pela OMS estão:
Aumento da vigilância para detectar potenciais casos
Informações atualizadas para as populações das áreas afetadas
Medidas efetivas para conter os riscos para os profissionais de saúde

Segundo a organização, há muitos obstáculos nos países afetados, incluindo "sistemas de saúde muito fracos" e a falta de profissionais, de técnicos de laboratórios e de roupas de proteção.

Mas para Keiji Fukuda, chefe do setor de segurança de saúde da OMS, a disseminação do vírus ebola pode ser contida com as medidas corretas para lidar com as pessoas infectadas.

"Essa não é uma doença misteriosa. É uma doença infecciosa que pode ser contida", disse. "Não é um vírus que é transmitido pelo ar", afirmou.



Transmissão do vírus ebola foi detectada até agora em quatro países do oeste africano.

Via: G1 e BBC

http://www.libertar.in/2014/08/oms-declara-estado-de-emergencia.html

CURA PARA O EBOLA NÃO FOI TOTALMENTE DESENVOLVIDO DEVIDO BIG PHARMA NÃO ESTAR INTERESSADA EM SALVAR AS VIDAS DAS POBRES PESSOAS NA ÁFRICA

o departamento de back-queimador ..

Créditos da imagem: Domínio público

por MIKE MASNICK | TECNOLOGIA SUJEIRA |

Como você já deve ter ouvido, tem havido um pouco assustador surto de Ebola na África ocidental. Você também pode ter ouvido falar sobre o que alguns estão chamando de "soro milagre secreto" que impede efetivamente o impacto do vírus para quem pegá-lo. É uma droga experimental que não sofreram testes clínicos em humanos ainda, mas aparentemente foi dada a um casal de americanos e parece estar funcionando. Há algumas indicações de que levaria alguns meses para produzir um maior número de doses - embora, mais uma vez, a falta de testes, aqui, significa que as pessoas realmente não tem certeza se ele vai trabalhar (ou se existem efeitos colaterais graves).

Dito isto, como um artigo observa, uma grande razão que não tenha havido muitos testes sobre isso é porque o tratamento de pessoas pobres na África simplesmente não é muito rentável para as companhias farmacêuticas:

"Estes focos afetam as comunidades mais pobres do planeta.Embora eles criam turbulência incrível, eles são eventos relativamente raros ", disse Daniel Bausch, um pesquisador médico em os EUA, que trabalha em Ebola e outras doenças infecciosas.

"Então, se você olhar para o interesse das empresas farmacêuticas, não há grande entusiasmo para tomar uma droga Ebola através de fase um, dois e três de um julgamento e fazer uma vacina contra Ebola que talvez algumas dezenas de milhares ou centenas de milhares de as pessoas vão usar. "Enquanto alguns podem questionar se a declaração de Bausch é apenas da frustração de onde ele é, os executivos da Big Pharma mais ou menos confirmar suas alegações. Lembre-se que era apenas alguns meses atrás que nós escrevemos sobre o CEO da Bayer afirmando diretamente que eles fazem as drogas para os ricos que podem pagar:

Bayer Chief Executive Officer Marijn Dekkers chamada licença compulsória "essencialmente o roubo."

"Nós não desenvolver este medicamento para os índios", disse Dekkers dezembro 3 "Nós o desenvolvemos para os pacientes ocidentais que podem pagar."

Como observamos no momento, vale a pena comparar essa afirmação com o que George Merck, o ex-presidente da Merck disse que há muitas décadas sobre a indústria farmacêutica:

Nunca tente esquecer que a medicina é para o povo. Não é para os lucros. Os lucros seguem, e se ter lembrado disso, eles nunca deixaram de aparecer. O melhor que temos lembrado que, quanto maior eles foram.

Parece que nós percorremos um longo caminho desde os dias.




FONTE:

ISIS ameaça a América: "Vamos levantar a bandeira de Alá na Casa Branca"

Jamie Weinstein 
Caller Diário 
O grupo terrorista ISIS, ao presidente Barack Obama, ameaçou atacar no Iraque quinta à noite e está em si ameaçando atacar o território americano.
"Eu digo para os Estados Unidos que o califado islâmico foi estabelecido," Abu Mosa, um porta-voz do grupo terrorista conhecido como Estado Islâmico no Iraque e na Síria (ISIS), disse a Vice Media em uma entrevista em vídeo postada online quinta-feira. "Não sejam covardes e nos atacar com drones. Em vez disso, enviar seus soldados, os que humilharam no Iraque. "
"Vamos humilhá-los em todos os lugares, se Deus quiser, e vamos levantar a bandeira de Alá na Casa Branca", acrescentou.
O vídeo é o primeiro de uma série concatenada no ISIS VICE mídia diz que pretende lançar. Vice Media repórter Medyan Dairieh recentemente passou três semanas na cidade síria controlado por ISIS de Raqqa, que o grupo terrorista tem proclamado a capital de seu califado islâmico recém-declarado.


FONTE:
http://www.prisonplanet.com/isis-threatens-america-we-will-raise-the-flag-of-allah-in-the-white-house.html


 
ISIS ameaça América: "Vamos levantar a bandeira de Alá na Casa Branca '
Jamie Weinstein O grupo terrorista presidente Barack Obama ameaçou atacar no Iraque quinta à noite é em si ameaçando atacar o território americano.

"Eu digo para os Estados Unidos que o califado islâmico foi estabelecido," Abu Mosa, um porta-voz do grupo terrorista conhecido como Estado Islâmico no Iraque e na Síria (ISIS), disse a Vice Media em uma entrevista em vídeo postada online quinta-feira. "Não sejam covardes e nos atacar com drones. Em vez disso, enviar seus soldados, os que humilharam no Iraque. "

"Vamos humilhá-los em todos os lugares, se Deus quiser, e vamos levantar a bandeira de Alá na Casa Branca", acrescentou.

O vídeo é o primeiro de uma série concatenada no ISIS VICE mídia diz que pretende lançar. Vice Media repórter Medyan Dairieh recentemente passou três semanas na cidade síria controlado por ISIS de Raqqa, que o grupo terrorista tem proclamado a capital de seu califado islâmico recém-declarado.

RELÓGIO:
A ameaça de ISIS para conquistar os Estados Unidos veio antes do anúncio quinta-feira do presidente Barack Obama de que ele pode autorizar ataques aéreos contra o grupo terrorista, a fim de proteger os funcionários norte-americanos no Iraque.

"Hoje eu autorizei duas operações no Iraque", disse o presidente em um discurso a partir da Casa Branca. "Ataques aéreos direccionadas para proteger nosso pessoal americanas, e um esforço humanitário para salvar milhares de civis iraquianos que estão presos em uma montanha, sem comida e água, e estão enfrentando a morte quase certa."

"Para parar o avanço em Erbil, eu tenho dirigido os nossos militares a tomar ataques direcionados contra ISIL comboios terroristas que eles deveriam se mover em direção a cidade", Obama elaborado, usando o acrônimo para outro nome do grupo terrorista é conhecido por, o Estado Islâmico do Iraque e do Levante. "Temos a intenção de permanecer vigilantes e tomar medidas, se essas forças terroristas ameaçam nosso pessoal ou instalações de qualquer lugar no Iraque, incluindo o nosso consulado em Erbil e nossa embaixada em Bagdá."

ISIS - que recentemente começou a se referir a si mesmo simplesmente como o Estado Islâmico - agora controla uma grande faixa de território que se estende da Síria para o Iraque, onde implementou uma forma severa da lei islâmica e parece estar a cometer um genocídio contra as minorias religiosas que se recusam a converter ao islamismo.

FONTE:  

Os EUA hoje é “O EIXO DO MAL”

Posted by  on 08/08/2014
O Ocidente desmascarado e destronado: Washington (os EUA) hoje é “O EIXO DO MAL
Quanto tempo vai levar ainda antes que o (des) governo de Washington comece a atirar em seus próprios cidadãos sem-teto e abrigo, com fome, e que esta protestando nas ruas?
Os últimos trezentos anos de progresso evolutivo da raça (branca) Europeia se reduziram  todos a nada, usando quatro palavras: egoísmo, genocídio, falta de vergonha e a corrupção   Yan Fu
Tradução, edição e imagensThoth3126@gmail.com
Pelo Dr. Paul Craig Roberts - (paulcraigroberts.org) – Global Research
Levou apenas 300 anos para o resto do mundo desmascarar o mal que se disfarça como civilização ocidental”, ou talvez foi necessária a ascensão de novas potências (como os países integrantes do BRICS, Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) com confiança para dizer e declarar o que hoje é MUITO ÓBVIO. Se ainda houver qualquer dúvida sobre a responsabilidade dos Estados Unidos para a disseminação do mal no planeta voce precisa ler The Untold History of the United States por Oliver Stone e Peter Kuznick.
O “Novo Século Americano” proclamado pelos neoconservadores chegou a um fim abrupto em 6 de setembro de 2013, durante a reunião do G-20, em São Petesburgo, na Rússia. Os líderes da maioria dos povos do mundo disseram a Obama que não acreditam nele e em seu (des)governo, que será uma violação da lei internacional, se o governo dos EUA atacar a Síria sem a autorização da ONU.
O presidente da Rússia, Vladimir Putin disse aos líderes mundiais reunidos que o ataque com armas químicas era“uma provocação em nome dos insurgentes (mercenários pagos) armados na esperança de uma ajuda de fora, dos países que sempre os apoiaram desde o primeiro dia.” Em outras palavras, Israel, Arábia Saudita, e EUA, o eixo do mal.
A China, Índia, África do Sul, Brasil, Indonésia e Argentina se juntaram ao presidente russo Putin para afirmar que um líder que comete agressão militar sem a aprovação do Conselho de Segurança da ONU se coloca “fora da lei”.
Em outras palavras, se você desafiar o mundo, Obama, você é um criminoso de guerra.
O mundo inteiro está esperando para ver se o Lobby de Israel pode empurrar Obama para desempenhar o papel de criminoso de guerra (ao agir de “acordo com os sionistas de Israel). Muitos estão apostando que Israel vai prevalecer sobre o fraco presidente americano, um enigma desprovido de qualquer princípio. 
Um par de décadas atrás, antes do advento do governo norte americano se transformar num carneiro cujo pastor é Israel, um dos últimos resistentes americanos, o almirante Tom Moorer, Chefe de Operações Navais e presidente do Joint Chiefs of Staff, declarou publicamente que nenhum presidente dos EUA pode se levantar contra (a vontade de)Israel. O alto escalão militar de oficiais dos Estados Unidos não poderia sequer começar uma investigação séria e honesta sobre o ataque israelense (típico False Flag Attack) ao navio norte americano USS Liberty.
Nós estamos ainda para ver um presidente americano que pode opor-se ABERTA E FRANCAMENTE contra Israel. Ou, para esse mesmo assunto, um Congresso que o fizesse, se opusesse contra Israel. Ou o sistema de comunicação (controlado por judeus norte americanos), a mídia.
O regime Obama tentou aceitar sua derrota esmagadora na última reunião de Cúpula do G20, na Rússia, forçando seus estados fantoches a assinar uma declaração conjunta condenando a Síria. No entanto, os estados fantoches qualificaram a sua posição, afirmando que se opunham a ação militar e aguardavam o relatório da ONU.
Mais aliados comprados-e-pagos (pelo apoio) de Obama são impotentes. Por exemplo Obama contava com o Reino Unido como um país que apoiasse a invasão da Síria por ter o apoio pessoal do desacreditado primeiro-ministro britânico, David Cameron, apesar do fato de que Cameron foi repudiado pelo Parlamento britânico em uma votação que proíbe a participação britânica na onda de crimes de guerra de Washington. Assim, embora Cameron não pudesse trazer o povo britânico e o governo britânico junto com ele, Obama conta com o Reino Unido como um apoiador do ataque dos EUA sobre a Síria. Claramente, esta é uma contagem desesperada para buscar “apoio de países.”
O governo fantoche da Turquia, que filmou seus cidadãos que se manifestaram pacificamente protestando nas ruas, contra um ataque à Síria, sem nenhum protesto de Obama ou do Lobby de Israel, apoia uma “investigação responsável na Síria”, mas não sobre si mesmo, é claro, ou sobre Washington.
Os estados fantoches do Canadá e da Austrália, dois países sem nenhum poder real, nenhum dos quais carregam uma grama de influência sobre o resto do mundo, que se alinharam para fazer a licitação de seu mestre (Israel) Washington. O trabalho dos dois governos no Canadá e na Austrália foi apoiado totalmente por Washington.
O enigma Obama também reivindicou o apoio do Japão e da Coreia do Sul, para um ataque à Síria, outros dois países desprovidos de qualquer influência diplomática e poder de qualquer espécie. Um abandonado Japão está à beira de ser destruído pelo desastre nuclear de Fukushima, para o qual não encontra solução. Como os vazamentos de radiação se espalharam para o aqüífero sobre o qual Tóquio e áreas vizinhas consomem sua água, o Japão se depara com a possibilidade de ter que mudar cerca de 40 milhões de pessoas.
Arábia Saudita, implicada na transferência para o grupo rebelde Al-Nusra das armas químicas usadas no ataque, apoia Washington, sabendo que, caso contrário sua tirania é removida. Mesmo os neoconservadores dirigidos pela estridente Conselheira de Segurança Nacional de Obama, Susan Rice, querem derrubar os sauditas.
Obama afirma também ter o apoio da França e da Alemanha. No entanto, tanto Hollande assim como Merkel tem afirmado claramente que uma solução diplomática, e não a guerra (com a invasão da Síria), é a sua primeira escolha e que o resultado repousa sobre a ONU.
Quanto ao apoio da Itália e da Espanha, os dois governos estão esperando para serem recompensados pelo (controlado pelos banqueiros sionistas de Israel) Federal Reserve fazer uma impressão de dinheiro suficiente para socorrer suas economias endividadas para que ambos os governos não sejam derrubados pelo movimento de protestos nas ruas sobre a sua aquiescência à pilhagem de seus países por banksters internacionais. Como tantos governos ocidentais, a Itália e Espanha, e, claro, a Grécia, apoiam os banksters internacionais, e não os seus próprios cidadãos.
O presidente da Comissão Europeia declarou que a União Europeia, senhor central sobre a Grã-Bretanha, França, Alemanha, Itália e Espanha, não apoia uma solução militar para a crise síria. ”A União Europeia esta certa de que os esforços devem ser destinados para se obter um acordo político“, disse José Manuel Durão Barroso, a jornalistas na reunião do G20. A UE tem o poder de emitir mandados de prisão para os chefes de governo da UE que participarem em crimes de guerra.
O que isso revela é que o apoio por trás do mentiroso (e controlado governo) Obama é fraco e limitado.
A capacidade dos países ocidentais de dominar a política internacional ( em nome dos planos e desejos sionistas de Israel) chegou ao fim na reunião do G20. A autoridade moral do Ocidente esta completamente desaparecida, destruída e corroída por inúmeras mentiras e desavergonhados atos de agressão com base em nada além de mentiras e auto-interesses. Nada resta de “autoridade moral” do Ocidente, que nunca foi nada além de uma cobertura para o auto-interesse (egoísmo da pior espécie), assassinato e genocídio.
O Ocidente foi destruído pelos seus próprios (des)governos, que disseram muitas mentiras aos seus povos, e por suas corporações capitalistas, que deslocaram postos de trabalho e tecnologia do Ocidente para a China, Índia, Indonésia e Brasil, privando os governos ocidentais de um imposto base e com o apoio dos seus cidadãos.
É difícil saber se os cidadãos do Ocidente odeiam tanto os seus próprios governos corruptos menos do que os muçulmanos, cujas vidas e países foram devastados pela agressão ocidental (EUA, Israel e Europa), ou do que os cidadãos de países do terceiro mundo que foram empobrecidos por serem saqueados pelos predadores das organizações financeiras do dito “Primeiro Mundo”.
Os governos ocidentais ocupados por idiotas e  imbecis tem-se irritado embora perca sua influência. Não há perspectiva alguma de a fantasia neoconservadora de “hegemonia global” dos EUA ser exercida sobre a Rússia, China, Índia, Brasil, África do Sul, América do Sul, Irã. Estes países podem estabelecer seu próprio sistema de pagamentos internacionais e finanças e deixar o padrão dólar assim que desejarem. Uma pergunta que deve ser feita é pelo que eles estão esperando?
“O dólar dos EUA está sendo impresso em quantidades inacreditáveis (sem nenhum lastro real) e não esta mais qualificado para ser a moeda de reserva mundial. O dólar dos EUA está à beira de inutilidade total“.
A reunião de Cúpula do G20 deixou claro que o mundo não está mais disposto a marchar junto com as mentiras do Ocidente (e de Israel) e conduta genocida e assassina. O mundo foi capturado pelo Ocidente (Europa e América do Norte). Cada país agora entende que os resgates (socorro financeiro) oferecidos pelo Ocidente são apenas mecanismos para saquear ainda mais os países e empobrecer o seu povo.
No século 21, (os loucos de) Washington tem tratado seus próprios cidadãos da forma como ele trata os cidadãos de países do terceiro mundo. Incontáveis trilhões de dólares foram presenteados para apenas um punhado de bancos, enquanto essas mesmas instituições financeiras jogaram milhões de norte americanos para fora de suas casas (por falta de pagamento devido à crise) e ainda arrestou e apreendeu quaisquer ativos remanescentes das famílias falidas e desestruturadas.
AS Empresas norte-americanas tiveram seus impostos cortados para praticamente pagarem quase nada, com poucos pagando todos os impostos, enquanto as corporações transferiram os empregos e carreiras de milhões de norte-americanos para os chineses e indianos. Com esses trabalhos foi junto o PIB dos EUA, a base tributária e o outrora poder econômico, deixando os americanos com os déficits orçamentários enormes, uma moeda desvalorizada e cidades falidas, como Detroit, que uma vez foi a força motriz de fabricação de automóveis do mundo
Quanto tempo vai levar ainda para o (des)governo de Washington atirar em seus próprios cidadãos sem-teto, abrigo, com fome, e protestando nas ruas?
Washington representa Israel e um punhado de poderosos interesses privados organizados (n.t. – Illuminati, NWO-Nova Ordem Mundial).
Washington não representa mais ninguém. Washington é uma praga sobre o povo norte americano e uma praga sobre o mundo“. 
Saiba mais sobre FARSAS dos EUA e sobre terrorismo em:
http://thoth3126.com.br/a-guerra-ao-terrorismo-dos-eua-e-uma-farsa/
http://thoth3126.com.br/a-farsa-sobre-a-al-qaeda/
http://thoth3126.com.br/osama-b-ladentim-osman-um-agente-treinado-pela-e-da-cia/
http://thoth3126.com.br/bin-laden-foi-hospitalizado-em-dubai-em-2001-em-hospital-dos-eua/
http://thoth3126.com.br/osama-bin-laden-em-uma-entrevista-esclarecedora/
http://thoth3126.com.br/a-morte-de-osama-bin-laden/
http://thoth3126.com.br/dezembro-de-2001-funeral-de-osama-bin-laden/
http://thoth3126.com.br/a-familia-bush-eua-e-o-nazismo/
http://thoth3126.com.br/a-farsa-da-morte-de-bin-laden-em-01052011/
 
 Dr. Paul Craig Roberts:  Nascido em 03 de abril de 1939, é um norte americano economista e colunista do Sindicato de CriadoresEle serviu/trabalhou como Secretário do Tesouro no governo Reagan ganhou fama como um co-fundador da política Reaganomics“.  Ele é um ex-editor e colunista do Wall Street Journal , Business Week , e Howard Scripps News Service . Roberts tem sido um crítico de ambos os governos democratas e republicanos. Ele já escreveu ou co-escreveu oito livros, contribuiu com capítulos para vários livros e publicou vários artigos em revistas de bolsa de estudos. Ele testemunhou perante comissões do Congresso, em 30 ocasiões em questões de política econômica. Seus escritos freqüentemente aparecem em OpEdNews , Prisonplanet.com , Antiwar.com , VDARELewRockwell.com , CounterPunch , American Free Press e  Global Research.
Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

Obama autoriza ataques aéreos no Iraque 'para proteger americanos'

O presidente Obama anunciou na quinta-feira que autorizou o uso de ataques aéreos no Iraque se forem necessárias para proteger os funcionários norte-americanos e da embaixada em Bagdá.

Falando a partir da Casa Branca, o presidente também disse que autorizou ajuda humanitária aérea - alimentos e água -, a fim de ajudar a salvar milhares de civis que enfrentam a "morte certa" de militantes do Estado islâmico, que estão presos nas montanhas vizinhas.

Obama afirmou que o Estado Islâmico autoproclamado pediu a destruição sistemática dos yazidis - uma minoria curda étnica no norte do Iraque -. E que esta declaração constitui genocídio "Hoje, a América está chegando para ajudar", disse ele, observando que, embora os Estados Unidos "não pode e não deve" intervir cada vez que há uma crise no mundo, ele deve agir quando pessoas inocentes estão enfrentando a violência em uma escala horrível. 

Seguindo em frente, o presidente disse que os Estados Unidos estão preparados para assumir o "alvo de ação militar" na forma de ataques aéreos, se forem consideradas necessárias para proteger os funcionários americanos em Erbil - onde um consulado americano está localizado - bem como a embaixada em Bagdá .

Obama também disse que os EUA estariam trabalhando com as Nações Unidas para resolver a situação de escalada no Iraque. No entanto, ele alertou que "não permitirá que" os EUA sejam arrastados para uma nova guerra no Iraque. O presidente norte-americano descartou o uso das tropas de combate que regressaram ao país, enfatizando que não há solução militar para o problema. O Iraque precisa, segundo ele, é a reconciliação política sobre as partes de seus próprios cidadãos. 


Uma guerra comercial já está em curso entre Rússia contra EUA-UE

A guerra  comercial se intensifica à medida que a Rússia proíbe importação de alimentos dos EUA



  Perigosa escalada na guerra econômica entre a Rússia e o   Ocidente
  
  07 de agosto de 2014 
  Na quinta-feira a Rússia respondeu a sanções, impondo uma proibição total de certos produtos alimentares provenientes dos Estados Unidos.
"Cumprindo a ordem presidencial, eu assinei um decreto do governo.  Rússia impõe uma proibição total de entregas de carne bovina, carne de porco, frutas, legumes, aves, peixe, queijo, leite e produtos lácteos ", disse o primeiro-ministro russo , Dmitry Medvedev, durante a abertura de uma sessão semanal governo.
  O comércio entre os Estados Unidos e a Rússia mais do que triplicou na última década.  De acordo com oDepartamento de Comércio dos EUA , a carne dos Estados Unidos representou 19% do comércio entre os dois países.A Rússia é um dos maiores mercados de exportação de frango, com 39% do total das exportações de frango dos EUA vai para a Rússia em 2008.
Além da proibição da importação de alimentos, Medvedev disse que as companhias aéreas da Ucrânia seriam proibidas de voar no espaço aéreo russo em voos para o Azerbaijão, a Geórgia, a Arménia e a Turquia.  O presidente russo disse que seu país está considerando uma proibição similar sobre companhias aéreas dos EUA e da UE em trânsito para a Sibéria e Ásia.
A proibição imposta aos produtos provenientes da União Europeia, dos EUA, Austrália, Canadá e Noruega terá a duração de um ano e será revisto no final do período de 12 meses. O presidente russo, Vladimir Putin anunciou a proibição na quarta-feira.  Os economistas dizem que as sanções impostas aos setores de finanças, petróleo e de defesa da Rússia, em resposta à posição da Rússia sobre a Ucrânia têm afetado a economia russa e afiado o país para uma recessão.
Rússia considera a sanções como uma declaração de guerra econômica e prometeu responder na mesma moeda.
É importante deixar claro que as sanções são - guerra econômica", Caleb Maupin , um ativista político de Nova York disse RT na quinta-feira. "Quando os EUA ou os países ocidentais sancionam um país, eles estão tentando cortá-lo do comércio internacional e que resulta em muito sofrimento naquele país.  E porque a economia mundial está centrado em torno de bancos ocidentais e corporações, que têm a capacidade de atacar países.  Assim, a Rússia está respondendo ao que está sendo feito pelos EUA ".
  Além de atacar a economia russa com sanções punitivas, o mês passado os EUA acusaram a Rússia por violar um tratado de controle de armas quando ela testou um míssil de cruzeiro lançado de terra.
  "É a mais grave acusação de violação de um tratado de controle de armas que a administração Obama levantou contra a Rússia e acrescenta uma outra disputa de um relacionamento já sobrecarregado por tensões sobre o apoio do Kremlin para os separatistas na Ucrânia e sua decisão de conceder asilo a Edward J. Snowden, o ex-contratado da Agência de Segurança Nacional, " The New York Times relatou.

voltar ao topo, inicio