NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO

Siga este Blog

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

EUA buscam a guerra com a Rússia

As novas sanções contra a Rússia anunciadas por Washington e na Europa não fazem sentido como medidas meramente econômicos.  Eu ficaria surpreso se russas indústrias petrolíferas e militares eram dependentes de mercados de capitais europeus de uma forma significativa. Tal dependência indicaria uma falha no pensamento estratégico russo.  As empresas russas devem ser capazes de garantir o financiamento adequado de bancos russos ou do governo russo. Caso haja necessidade de empréstimos externos, a Rússia pode tomar emprestado da China.

Se críticas indústrias russas são dependentes dos mercados de capitais europeus, as sanções ajudarão a Rússia, forçando um fim a esta dependência debilitante.  Rússia não deve ser dependente do Ocidente de forma alguma.
A verdadeira questão é a finalidade das sanções. Minha conclusão é que o objetivo das sanções é dividir e enfraquecer as relações econômicas e políticas da Europa com a Rússia. Quando as relações internacionais são intencionalmente prejudicadas, a guerra pode ser o resultado.  Washington vai continuar a empurrar as sanções contra a Rússia até que a Rússia mostre que a Europa não é um custo pesado de servir como ferramenta de Washington.

A Rússia precisa acabar com esse processo de cada vez mais sanções, a fim de desviar o carro em direção a guerra. Na minha opinião isso é fácil para a Rússia para fazer.  Rússia pode dizer que a Europa já que você não gosta de nossas companhias de petróleo, você não deve gostar da nossa companhia de gás, por isso estamos desligando o gás.Ou Rússia pode dizer a  Europa, nós não vendemos gás natural aos membros da OTAN, ou a Rússia pode dizer que vai continuar a vender o gás, mas você deve pagar em rublos, e não em dólares. Isso teria a vantagem adicional de aumentar a demanda de rublos nos mercados cambiais, tornando mais difícil para os especuladores e do governo dos EUA para reduzir o rublo.

  O verdadeiro perigo para a Rússia é uma continuação da sua discreta, moderada resposta às sanções. Esta é uma resposta que incentiva mais sanções.  Para parar as sanções, a Rússia precisa mostrar à Europa que as sanções terão custos graves para a Europa.
  A resposta russa a Washington seria a parar de vender para os EUA os motores de foguete russo em que o programa de satélites dos EUA é dependente. Isso pode deixar os EUA, sem foguetes para seus satélites durante seis anos, entre o período de 2016 e 2022.

  Possivelmente, o governo russo está preocupado com a perda dos ganhos com a venda de gás e de motores de foguetes.No entanto, a Europa não pode ficar sem o gás e iria abandonar rapidamente a sua participação nas sanções, de forma que nenhum receitas do gás estaria perdido.  Os norte-americanos vão desenvolver seu próprio motor de foguete de qualquer forma, assim que as vendas russas de motores de foguete para os EUA têm, no máximo, cerca de mais 6 anos.  Mas os EUA com um programa de satélite prejudicado por seis anos significaria um grande alívio para todo o mundo a partir do programa de espionagem norte-americana. Ele também dificultaria a agressão militar dos EUA contra a Rússia durante o período.O presidente russo, Vladimir Putin e seu governo têm sido muito discreto e unprovocative na resposta às sanções e ao trabalho que Washington continua a causar para a Rússia, na Ucrânia. O comportamento russo discreto pode ser entendida como uma estratégia para minar o uso de Washington da Europa contra a Rússia, apresentando uma face não ameaçadora para a Europa.  No entanto, uma outra explicação é a presença dentro da Rússia de uma quinta coluna que representa o interesse de Washington e limita o poder do governo russo.

  Saker descreve os dois grupos de poder dentro da Rússia como os soberanistas Eurásia que estão por trás Putin e uma Rússia independente e os integracionistas do Atlântico, a quinta coluna que trabalha para incorporar a Rússia na Europa sob a hegemonia dos Estados Unidos ou, na sua falta, para ajudar Washington quebrar o russo Federação em vários países mais fracos que são muito fracas para restringir o uso de Washington de poder.http://vineyardsaker.blogspot.com.br/2014/09/strelkov-de-natação-com-piranhas-to.html
Os integracionistas  atlantistas da Rússia compartilham as doutrinas Brzezinski e Wolfowitz com Washington.  Estas doutrinas são a base da política externa dos EUA. As doutrinas definir a meta da política externa dos EUA em termos de prevenção do surgimento de outros países, como a Rússia e a China, que poderia limitar a hegemonia de Washington.

  Quinta coluna do Washington não está melhor posicionada para vencer. No entanto, Washington pode, pelo menos, contar com a luta causando discordância dentro dos soberanistas Eurásia sobre a resposta de baixa-chave de Putin às provocações ocidentais.  Parte dessa discordância pode ser vista em defesa da Rússia e muito mais pode ser visto aqui do Strelkov:
  http://slavyangrad.org/2014/09/13/o-novo-round-de-sanções-o-periodo-pre-guerra/#more-3665
  Rússia, pensando que a Guerra Fria terminou com o colapso da União Soviética, abriu-se para o Ocidente. Governos russo confiável do Ocidente, e como resultado da ingenuidade da Rússia, o Ocidente era capaz de comprar vários aliados entre as elites russas.  Dependendo do alinhamento da mídia, essas elites comprometidas são capazes de assassinar Putin e tentativa de golpe.
Alguém poderia pensar que até agora o governo de Putin iria reconhecer o perigo e prender os principais elementos da quinta coluna, seguido de julgamento e execução por traição, a fim de que a Rússia pode estar unida contra a ameaça ocidental. Se Putin não dar esse passo, isso significa que qualquer que Putin não reconhece a extensão da ameaça ou que seu governo não tem o poder de proteger a Rússia da ameaça interna.

É claro que Putin não atingiu qualquer descanso para o seu governo a partir do Oeste de propaganda e agressão econômica, recusando-se a defender a área de Donbass do ataque ucraniano e pressionando a República Donetsk em um cessar-fogo, quando suas forças militares estavam à beira de um grande derrota do exército ucraniano se desintegrando. Todos Putin conseguiu é abrir-se a crítica entre os seus apoiantes para trair os russos na Ucrânia oriental e meridional.

Os políticos e as elites europeias estão tão profundamente no bolso de Washington que Putin tem pouca chance de cortejar a Europa com um show russo de boa vontade. Nunca acreditei que essa estratégia pode funcionar, embora eu ficaria contente se ele fez. Apenas uma ameaça direta todeprive Europa de energia tem a chance de produzir na Europa uma política externa independente de Washington. Eu não acho que a Europa pode sobreviver a um corte do gás natural russo. Europa iria abandonar as sanções, a fim de garantir o fluxo de gás. Se o domínio de Washington sobre a Europa é tão poderoso que a Europa está disposta a suportar uma grande ruptura do seu aprovisionamento energético, como o preço da sua vassalagem, a Rússia vai saber a cessar as suas tentativas inúteis de diplomacia e se preparar para a guerra.

Se a China fica à margem, a China será o próximo alvo isolado e receberá o mesmo tratamento.
Washington pretende derrotar ambos os países, seja através de dissidência interna ou através da guerra.
Nada dito por Obama ou qualquer membro do seu governo ou qualquer voz influente no Congresso sinalizou qualquer recuo na unidade de Washington a hegemonia sobre o mundo.
A economia dos EUA está agora dependente de saque e pilhagem, e a hegemonia de Washington é essencial para essa forma corrupta do capitalismo.

UND 2
http://noticia-final.blogspot.com.br/2014/09/eua-buscam-guerra-com-russia.html
NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO