Siga este Blog

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Ex-diretor da Petrobras vai falar o que sabe …

Posted by  on 26/08/2014
petrobras-corrupção
Ex-diretor da Petrobras vai fazer delação premiada
O ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa decidiu fazer delação premiada. Acuado, na iminência de sofrer uma sucessão de condenações como réu daOperação Lava Jato, Costa considera que não tem a menor chance de sair da prisão tão cedo. Ele quer preservar seus familiares, que também se tornaram alvos da Policia Federal pela operação Lava Jato.
Edição e imagens:  Thoth3126@gmail.com
Ex-diretor da Petrobrás, preso pela Operação Lava Jato, vai falar tudo o que sabe de corrupção na estatal
Horas antes de Costa se decidir por falar o que sabe de corrupção em negócios da Petrobras, a Polícia Federal deflagrou a quinta fase da Lava Jato e vasculhou os endereços de 13 empresas de consultoria, gestão e assessoria, todas situadas no Rio e ligadas a uma filha, Ariana Azevedo Costa Bachmann, e a um genro, Humberto Sampaio Mesquita, e a um amigo dele, Marcelo Barboza.
petrobras-diretor
Desde que a Polícia Federal prendeu Paulo Roberto Costa, o ex-executivo mais poderoso da Petrobras,  Brasília não dorme mais. Dezenas de grandes empresários, entre eles diretores das maiores empreiteiras do país e das gigantes mundiais do comércio de combustíveis, todas com negócios na Petrobras, também não dormem mais. Paulo Roberto Costa era diretor de Abastecimento da Petrobras entre 2004 e 2012. Era bancado no cargo por um consórcio entre PT, PMDB e PP, com o aval direto do ex-presidente Lula, que o chamava de “Paulinho”. Ele guardava provas de todas as suas transações que agora estão sendo analisadas pela Policia Federal (Foto: Blenda Souto Maior/DP/D.A Press)
As buscas foram realizadas a pedido da Procuradoria da República, que apontou“vertiginoso acréscimo patrimonial” das empresas no período em que Costa foi diretor da Petrobrás (2004/2012). Após sua saída da estatal, verificou-se “decréscimo de receita” no caixa dessas empresas. Ele não fez ainda nenhum depoimento. Nem o acordo foi assinado. Se falar o que sabe muitos políticos poderão ser incriminados. 
ampulheta
No período em que Paulo Roberto Costa atuou na Petrobras, manteve contatos com parlamentares, empreiteiros e também com o doleiro Alberto Youssef, o mentor da Lava Jato, segundo a PF. Preso na sede da Superintendência Regional da PF em Curitiba (PR), ele se reuniu ontem com a advogada criminalista Beatriz Catta Preta.
Na advocacia desde 1997, Beatriz é especialista na condução de acordos para delações premiadas. A advogada já participou com êxito de pelo menos oito procedimentos dessa natureza. Em troca de informações à Justiça, os acusados por ela defendidos alcançaram o perdão ou significativa redução de pena.
O caso mais célebre foi o da delação do investidor Lúcio Bolonha Funaro, durante o processo do mensalão federal. Em nota, a criminalista observou. “Assumi o caso (de Paulo Roberto Costa) hoje (ontem). O acordo é um dos caminhos possíveis por ser meio de defesa previsto em lei. Vou me inteirar e analisar todas as possibilidades.” 
Crivo - O acordo precisa ser submetido ao crivo do Ministério Público Federal e homologado pela Justiça Federal. Força-tarefa composta de seis procuradores, todos com ampla experiência em investigações sobre crimes financeiros, vai analisar o que Costa tem a oferecer e se isso justifica concessões. O ajuste traz as condições, inclusive o benefício que o acusado poderá receber. Celebrado o termo, o juiz homologa e aí começa a fase dos depoimentos.
petrobras-gracas_foster
Costa é réu em duas ações criminais conduzidas pelo juiz Sérgio Moro, da Justiça Federal no Paraná. Ele é acusado por lavagem de dinheiro desviado da Petrobras e por suposta destruição de documentos. Outras ações deverão ser abertas. Se fizer delação pode neutralizar os efeitos de novas acusações. Há algum tempo, ele vinha avaliando a possibilidade da delação.
Mas ainda apostava em possível “virada de jogo” no Supremo Tribunal Federal, onde foi protocolada uma reclamação formal, por meio da qual seus antigos defensores sustentam que a competência para o caso é da Justiça Federal em São Paulo.
O argumento é que as empresas citadas por lavagem ficam em São Paulo. Não deu certo. Pesou na decisão de Costa o alerta de pessoas próximas de que poderá passar mais tempo atrás das grades que o operador do mensalão, Marcos Valério, condenado a 37 anos de prisão.
petrobras-divida-total-e-liquida
Enquanto isso, o endividamento total da empresa cresceu quase 7 vezes em APENAS 6 ANOS, PULOU DE $ 39,7 para $267,8 bilhões!!!

Dilma Rousseff blinda Petrobras após acordo de delação premiada de Paulo Roberto Costa
http://noticias.portalvox.com - Dia 25 de agosto de 2014
Um dia após a divulgação do acordo de delação premiada firmado com Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras envolvido na “Operação Lava Jato”, a presidente Dilma Rousseff convocou entrevista coletiva para blindar a estatal. 
Presidente disse que estatal é muito maior” que seus funcionários.
Pela primeira vez desde o início da crise de Pasadena, a presidente abandonou a cordialidade em relação aos executivos da Petrobras, afirmando que a empresa “é muito maior” que seus funcionários e agentes responsáveis por “equívocos”.
ore-pelo-brasil
Mesmo quando responsabilizou, no semestre passado, o ex-diretor Nestor Cerveró pela aquisição de refinaria superfaturada, Dilma sempre demonstrou cuidado ao se referir a dirigentes da Petrobras. Na época, porém, nenhum nome interceptado pela Polícia Federal colaborava com as investigações de aparelhamento da empresa.
A cúpula da campanha de Dilma Rousseff demonstrou apreensão com a notícia da adesão de Paulo Roberto Costa ao benefício da delação premiada. O temor é que ele envolva ainda mais seus apadrinhados políticos – o PT e o PP – na investigação.
——————————————————————————–
ContagemRgressiva
Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos (os inconscientes e ignorantes), e Cristo te esclarecerá. Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios*, mas como sábios”  Efésios 5:14-15
{Nota: Significado de Néscio: adjetivo, Característica de quem não possui (não desenvolveu) conhecimento, capacidade, sentido ou coerência. s.m. Sujeito ignorante, estúpido, incompetente, burro, incoerente, inepto e sem discernimento. (Etm. do latim: nescius.)
Mais informações em:
  1. http://thoth3126.com.br/petrobras-incompetencia-e-corrupcao-atrai-inferno-astral/
  2. http://thoth3126.com.br/petrobras-e-o-estopim-de-uma-grave-crise/
  3. http://thoth3126.com.br/equinocio20marco/
  4. http://thoth3126.com.br/abril-e-o-brasil/
  5. http://thoth3126.com.br/revoltas-populares-unem-se-contra-governos-incompetentes-e-corruptos/
  6. http://thoth3126.com.br/pao-e-circo/
  7. http://thoth3126.com.br/os-anjos-caidos-the-watchers-os-vigilantes/
Permitida a reprodução desde que mantida na formatação original e mencione as fontes.
NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO