NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO

Siga este Blog

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Ebola – Uma arma biológica sionista para redução populacional global?

De acordo com o site inglês Mirror um passageiro passou mal, vomitou e caiu morto após descer de um voo vindo de Serra Leoa, no aeroporto internacional Gatwick na Inglaterra.
Tradução das notícias: Google Tradutor


(03-08-2014) O pessoal do aeroporto esta noite falou de seus temores de um surto de Eboladepois que um passageiro de Serra Leoa desmaiou e morreu quando ela desceu de um aviãono aeroporto de Gatwick.
Trabalhadores disseram que estavam aterrorizados, pois o vírus poderia se espalharglobalmente através do ocupado saguão do aeroporto internacional do país desde o Oeste Africano, que está nas garras da epidemia mortal.
A mulher, que dizem ter 72 anos, ficou doente no corredor depois que ela saiu de um jatoGâmbia Bird com 128 passageiros a bordo. Ela morreu no hospital.
O Ebola já matou 256 pessoas em Serra Leoa. Um total de 826 morreram na África Ocidentaldesde que o surto começou, em fevereiro.
Os testes estão sendo realizados para ver se a mulher tinha a doença.
O avião foi colocado em quarentena quando funcionários tentaram desesperadamenterastrear todos os que tiveram contato com a mulher.
Trabalhadores do aeroporto enfrentam uma espera ansiosa para ver se a mulher tinha Ebóla.Um deles disse“Todo mundo está petrificado.
Nós todos vimos quantas pessoas morreram de Ebóla, especialmente na Serra Leoa, e éassustador.
Fontemirror.co.ok
De acordo com o site Médicos Sem Fronteiras, a primeira vez que o vírus Ebola surgiu foi em1976, em surtos simultâneos em Nzara, no Sudão, e em Yambuku, na República Democrática do Congo, em uma região situada próximo do Rio Ebola, que dá nome à doença.
O Ebola pode ser contraído tanto de humanos como de animais. O vírus é transmitido por meio do contato com sangue, secreções ou outros fluídos corporais.
A doença é frequentemente caracterizada pelo início repentino de febre, fraqueza, dor muscular, dores de cabeça e inflamação na garganta. Isso é seguido por vômitos, diarreia, coceiras, deficiência nas funções hepáticas e renais e, em alguns casos, sangramento interno e externo.
Os sintomas podem aparecer de dois a 21 dias após a exposição ao vírus.



Nos EUA já se encontra o médico contaminado com Ebola e foi transferido para um hospital em Atlanta. Esta internação está gerando pânico em toda a população estadunidense.
O gráfico abaixo ilustra a complexidade e periculosidade do transporte do doente.


Neste site é divulgado que um homem da Libéria morreu no Marrocos, terão que rastrear todas as pessoas que tiveram contato com o doente.
O vírus começa a aparecer nas manchetes de outros países fora do continente africano. Foi noticiado que nas Filipinas desconfiam de caso de Ebola.


(03-08-2014) MANILA, Filipinas – O Departamento de Saúde (DOH) está em alerta máximo e intensificou o monitoramento de possíveis portadores do vírus Ebola mortalno país, Malacañang assegurou ao público ontem.
O porta-voz presidencial Abigail Valte deputado disse sobre dzRB o governo estáseguindo um procedimento padrão em monitorar aeroportos para monitorar pessoas que possam ter a doença.
Ela disse que o DOH tem a experiência ea capacidade de lidar com a ameaça doEbola, citando seus preparativos com o vírus da Síndrome Respiratória Oriente Médio.
“Nossos procedimentos tornaram-se mais forte“, disse ela. DOH teve prática com ele.
Ela disse que o DOH está em alerta para os trabalhadores imigrantes, especialmente aqueles provenientes de países com infecções relatadas ao Ebolae está preparado para tomar medidas de quarentena.
As autoridades de saúde também emitiram avisos sobre a importação de animaisexóticos de África, o que pode transportar o vírusValte acrescentou.
O DOH tambêm alertou às Forças Armadas das Filipinas em relação ao seu pessoalque serviu como soldado de paz na Libériaonde um surto de Ebola foi relatado.

Fonte: philstar.com
Embora o Governo brasileiro tente acalmar a população de que “não há nenhum caso de Ebola e existe pouca chance de contágio“, é bom não confiar.
Ao pesquisar um pouco mais para saber se há alguém que poderia lucrar com este vírus, surge o nome do judeu sionista e mega-especulador George Soros, o mesmo que promove “primaveras árabes” no Oriente Médio e golpe de Estado na Ucrânia apoiando nazistas.  O criminoso Tony Blair, um dos sionistas que apoiaram a invasão ao Iraque, também é citado.


Serra Leoa está segurando uma conferência de investimento em Londres na quarta-feiramostrando aos países menos desenvolvidos do mundo que ainda podem aspirar a tornar-se as economias emergentes.
Existem alguns sinais preliminares de dinheiro entrando no país, que estava marcadopor uma guerra civil 1991-2002.
CDCbraço de financiamento do desenvolvimento do Reino Unido, disse na semana passada que estava investindo US $ 5 milhões em private equity em Serra Leoaem empresas de pequeno e médio porte que vão desde a pesca aos serviços financeiros.
O investidor bilionário George Soros também disse que seu fundo de desenvolvimentoeconômico estava fazendo “compromissos significativos” para a Serra Leoa.
Soros, o presidente de Serra Leoa, Ernest Bai Koroma e o ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair, todos os recursos na conferência de quarta-feira.
Koroma está no poder nos últimos dois anos, e os investidores vêem uma certa estabilidadeo que é bom para o investimento.
O governo disparou dois ministros no início deste mês em uma tentativa de melhorar o seu desempenho no combate à corrupção.
Um consórcio liderado pela Anadarko Petroleum fez um óleo encontra ao largo da costa de Serra Leoa no início deste anoeo país tem diamantes e ouromas analistas dizem que há pouco espaço para investimentos fora do setor de mineração.
O país não tem os mercados financeiros necessários para atrair fluxos de investimento, dizem analistas.
“É provavelmente pré-pré-pré-emergente”, diz um analista de mercado emergente.
Mas à medida que os investidores começam mais uma vez para perseguir retornos mais elevados em todo o mundopoderia Serra Leoa ainda se tornar uma “fronteira”mercado emergente?

Fonte: reuters.com
Quando começam a aparecer nomes de criminosos financeiros, políticos e até petroleiras, desconfie.


George Soros

George Soros possui Fundações e Fundos, que são usados para seus “investimentos” na Libéria e Serra Leoa. Além dele, aparece o USAMRIID(Armed Forces Health Surveillance Center-Global Emerging Infections Surveillance and Response System) no foco do surto de Ebola.



USAMRIID Fornece suporte ao Laboratório de surto de Ebóla
Análise de amostras clínicas de casos suspeitos de febre de Lassa em Serra Leoamostraram que cerca de dois terços dos pacientes tinham sido expostos a outras doenças emergentese quase nove por cento deram positivo para o vírus Ebola. Os resultados, publicados na edição de Doenças Infecciosas Emergentes deste mês,demonstra que o vírus Ebola tem circulado na região desde pelo menos 2006-bem antes do surto atual.
Primeiro autor Randal J. Schoepp, Ph.D., retornou recentemente de Libéria e Serra Leoa, onde passou seis semanas ajudando a montar um laboratório de testes Ebolae formação de pessoal local para executar testes de diagnóstico em amostras suspeitas clínicas da febre hemorrágica Ebola. Ele faz parte de uma equipe do Instituto de Pesquisa Médica do Exército dos EUA de Doenças Infecciosas(USAMRIID), que tem vindo a prestar assistência ao surto de Ebola na África Ocidental desde março.
Três outras pessoas USAMRIID também foram envolvidos neste esforço contínuo:Wes Carter, que viajou com Schoepp a Libéria; Aileen O’Hearn, Ph.D., que voltou recentemente de apoio laboratorial para o Hospital Governo Kenema (KGH) em Serra Leoa; e Mateus Voorhees, que está atualmente no local, KGH.
Usamriid vem trabalhando na região desde 2006, quando iniciou um projeto de colaboração para desenvolver e refinar os testes de diagnóstico para o vírus da febre de Lassa endêmica para a Serra Leoa, Libéria e Guiné. Como esses ensaios têm amadurecido, os cientistas começaram a otimizar testes adicionais para uma série de doenças emergentes.
Como a equipe estava trabalhando na identificação da doença e diagnóstico, e que tinha ensaios pré-posicionados na região, disse Schoepp: “Tivemos pessoas na mãoque já estavam avaliando amostras e ofereceu-se para começar a testarimediatamente quando o atual surto de Ebola iniciado.
Segundo os autores da publicaçãoentre 500 e 700 amostras são enviadas a cada ano para o Laboratório de Diagnóstico Lassa KGH em Serra Leoa. Geralmente, somente 30 a 40 por cento das amostras de teste positivo para febre de Lassa, por isso o objetivo deste estudo foi determinar que outros vírus tinha sido causandodoenças graves na região.
Usando ensaios desenvolvidos no USAMRIID que detectam a presença de IgM, uma proteína cedo produzido pelo organismo para evitar a infecçãoa equipe de pesquisaencontrou evidências de dengue, Nilo Ocidental, febre amarela, febre do vale do Rift,chikungunyaEbolaMarburg e vírus nas amostras coletadas entre 2006 e 2008.
Além dissoas amostras que testaram positivo para o Ebolaa grande maioria reagiucom a estirpe do Zaireque era inesperadode acordo com os autores.
Antes do surto atualapenas um caso de Ebola já tinha sido oficialmente notificadosnesta região, e foi a partir da cepa Costa do Marfim“, disse Schoepp“Ficamos surpresos ao ver que o Zaire ou uma variante do Zaire-se causando infecção na África Ocidental há vários anos.
O site de testes laboratoriais em Kenema é apoiado pelas Forças Armadas Centro de Vigilância Sanitária-Global Emerging Infections Surveillance e Sistema de Resposta.Em colaboração com o país anfitrião, o site permite a coleta de amostras que podem ser usados ​​em pesquisas para novas contramedidas médicase permite USAMRIIDpara avaliar o desempenho dos testes de laboratório anteriormente desenvolvidosutilizando amostras coletadas no local. O Instituto espera eventualmente obter isolados virais para desenvolvimento contramedida médica e receber dados sobre odesempenho dos ensaios de diagnóstico.
Além de fornecer testes de laboratório e treinamento de suporte para o surto atual,usamriid forneceu mais de 10.000 testes de Ebola para apoiar as capacidades laboratoriais na Serra Leoa e na LibériaO Instituto também forneceu equipamentos de proteção individual para Metabiota Inc., uma organização não-governamental(ONG) envolvidas no teste.
Outros contribuintes para o trabalho incluem o Departamento de Defesa ExecutivoPrograma Conjunto Office-Critical Programa Reagentes, a Agência de Defesa Redução de Ameaças (DTRA) Cooperativa Programa de Engajamento Biológica, eo ConjuntoCiência e Tecnologia Escritório DTRA.
COL Erin P. Edgar, comandante do USAMRIIDchamou o projeto de um grande exemplo de diplomacia médica no trabalho.
“Esta colaboração permite USAMRIID para trazer a nossa experiência para ter emresposta a uma crise sanitária internacional“, disse ele. “Além disso, permite-nostestar os diagnósticos médicos que desenvolvemos em um cenário do mundo real, onde essas doenças ocorrem naturalmente.

Curioso notar a sequência dos eventos:
  • Soros aparece como “investidor” em Serra Leoa e Libéria;
  • Exército dos EUA aparece como “colaborador técnico” no Hospital Kenema(laboratório de armas biológicas?);
  • Obama assina lei para prender qualquer indivíduo que apresente “doenças respiratórias” nos EUA(enviados aos campos FEMA?);
  • Médico estadunidense contaminado com Ebóla é transferido aos EUA para receber tratamento;
  • Exercício de emergência contra “ataque biológico” é realizado em Nova York;
A presença dos militares estadunidenses e George Soros em Serra Leoa seria indício de que pretendem criar uma vacina efetiva contra o Ebola ou pretendem usar este vírus como uma arma biológica contra os bilhões de “indesejáveis” que a elite financeira quer eliminar?
NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO