Siga este Blog

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

A cratera recém surgida na Sibéria

Essa cratera,  é a primeira de outras duas descobertas no decorrer do mês de julho. Todas vem sendo associadas a mudanças climáticas no planeta  e por isso vem recebendo o singelo nome de "cratera do fim do mundo".  
A primeira vez que li sobre isso, associei imediatamente a outra notícia, pouco difundida na mídia convencional mas que circulou em inúmeros blogs, incluindo este.  O vídeo a que me refiro, é da conferência sobre o possível  escape abrupto de metano na plataforma do ártico siberiano ocidental. Embora aparentemente sejam  coisas distintas, o que me chamou a atenção (além da simetria perfeita desses buracos) é que também há um nível anormal de metano neles, conforme anunciado no link acima.
Deixo o vídeo dessa conferência e posterior a ele, outro artigo falando dos três buracos.


Três buracos misteriosos surgem na Sibéria e deixam cientistas confusos

O primeiro buraco foi detectado em meados de julho e é o maior até agora
Um acontecimento intrigante tem chamado a atenção dos cientistas de todo o mundo. Em um intervalo curto de menos de um mês, três buracos surgiram na região da Sibéria, na Rússia - ainda não existe confirmação precisa da causa para o surgimento das crateras. Um vídeo feito pelo jornal Siberian Times mostrou o primeiro buraco, com imagens capturadas por um helicóptero mostrando a formação cheia de detritos e sinais de combustão.
O primeiro buraco foi detectado em meados de julho. Ele tem cerca de 80 metros de diâmetros, 60 m de profundidade e fica na Península Yamal, localização de um grande campo de gás que é explorado pela gigante da energia russa Gazprom - o campo foi descoberto em 1972.
Primeiro buraco encontrado na Sibéria (Foto: Reprodução)
Apesar de ter sido visto recentemente, há desconfiança de que o buraco está lá há meses ou anos: uma camada de gelo foi detectada nas bordas do buraco. Ou seja, se foi alguma explosão, o calor teria derretido todo esse gelo, que voltou a surgir com o tempo. Cientistas foram ao local coletar dados para investigar o caso.
Esta semana, dois novos buracos foram detectados. Eles são menores que o primeiro, mas têm estrutura parecida.
Buraco perto da aldeia de Antipayuta (Foto: Acervo Pessoal)
Um está perto da aldeia de Antipayuta, no distrito de Taz. Tem diâmetro de 15 m e fica a algumas centenas de quilômetros do primeiro buraco, também na Península Yamal. O outro está perto da aldeia de Nosok, na região de Krasnoyarsk. Tem 4m de diâmetro e profundidade estimada entre 60 e 100 m. Ele tem um formato perfeito de cone.
Buraco Nosok encontrado esta semana (Foto: Acervo Pessoal)
No momento, a principal teoria para explicar o surgimento dos buracos envolve um fenômeno conhecido como fuga de gás - o gelo no solo derrete e com isso bolsões de gás acabam escapando de maneira violenta, não causando necessariamente fogo ou explosões. Ainda não há um consenso sobre a formação das crateras e cientistas estão tentando investigar mais para chegar a um ponto em que consigam prever o surgimento de um buraco do tipo.

NÃO DEIXE DE CLICAR NOS ANÚNCIOS DESTE, VOCÊ ESTARA AJUDANDO A PERMANENCIA DO MESMO. OBRIGADO